quinta-feira, 30 de julho de 2009

Gripe opaca, oposição ingrata

Onde está a transparência do governo federal no caso da gripe suína?

Algumas dúvidas?

  • Por que retiraram o único medicamento que pode controlar esta virulenta enfermidade, sem dar explicações nenhuma a população?
  • Por que outros países, também acossados pelo virus, permitem que o medicamento seja prescrito por médicos particulares e adquirido em farmácias normalmente?
  • Quanto o governo pagou para o laboratório, para que este retirasse o medicamento das farmácias?
  • Onde está a resolução da Anvisa que manda retirar estes medicamentos do comércio?
Algumas certezas:
  • Sabe-se que este é o único tratamento eficaz contra a doença, mas apenas se administrado nas primeiras 48 horas da manifestação dos sintomas;
  • Sabe-se que não há escassez deste medicamento;
  • Sabe-se que, administrado corretamente, não há risco de criar cepas resistentes do virus;
  • Sabe-se que podem ser criadas cepas resistentes, quando administrados em pacientes em etapa adiantada da doença.
O que a oposição espera para denunciar este tipo de manobra estranha, do Ministério da Saúde? Nuncaantesnestepaís a saúde pública foi tratada desta maneira! Falam em quebrar a patente de uma vacina que nem foi desenvolvida e retiram de circulação o único medicamento que pode controlar a epidemia!

Se nem com esta aloprada manobra do governo a oposição não se mexe, não podemos esperar mais nada deste País para a próxima década...

A única opção é trabalhar para que ninguém se reeleja, em nenhum cargo. Desta maneira, poderá haver uma pequena luz no fim do túnel.

2 comentários:

Charlie disse...

Muito mal explicada essa situação do Tamiflu. Ontem mesmo, no noticiário, em matéria sobre a gripe foi dito que o governo só irá ministrar o medicamento aos casos mais graves.O governo precisa urgentemente de alguém formado em medicina servindo para orientar. E de um levantamento das mortes causadas por esta política estúpida.

Anônimo disse...

Aspartame - Uma doce miséria

A verdade sobre o aspartame. Depois de ter sido proibido nos anos 70, o aspartame foi liberado, através de um forte lobby político, pelo FDA, o orgão americano que regulamenta a comida e medicamentos nos EUA.

Após alguns anos, se teve um grande aumento de várias doencas, como cancer no cérebro e outros orgãos, desordem da tireóide, defeitos de nascenca, queda de QI, entre vários outros problemas que, pelo lobby da indústria, é ignorado pelas agências regulamentadores de saúde pelo mundo.

Adivinhem quem criou o aspartame? Adivinhão, sim a MONSANTO, a mesma que cria os alkimentos modificados geneticamente juntamente com o roundup, o pesticida mais famoso de todos os tempos.

Mesmo assim, o governo brasileiro, através da ANVISA, informa que o aspartame é seguro nesta página:
"O aspartame é seguro? Sim, existe consenso entre inúmeros comitês internacionais sobre a segurança do aspartame."

Fontes:
Aspartame - Uma doce miséria


O futuro dos alimentos

Pode-se patentear a vida? Até que ponto as alterações genéticas afetam os alimentos e como isso vem acontecendo na última década?O que a globalização e as empresas multinacionais têm feito à vida dos agricultores com o uso da modificação genética nos alimentos? Existe uma tentativa de controle do sistema alimentar planetário? Como anda a agricultura sustentável nos dias atuais e sua convivência com a tecnologia genética.

No Brazil o Ministério da Agricultura produziu uma cartilha sobre os benefícios dos produtos orgânicos, ilustrada pelo Ziraldo! Só que a Mon$anto entrou com uma ação que impediu a distribuição da cartilha. A cartilha original está aqui.

Fontes:
O futuro dos alimentos