segunda-feira, 6 de julho de 2009

Alba quer intervir militarmente em Honduras

Em suas leituras matinais, agora incluindo jornais de Honduras, o PoPa leu que Daniel Ortega, presidente da Nicarágua falou (elheraldo.com):

“Esperamos como nicaraguenses que a situação (em Honduras) se resolva rapidamente reinstalando em seu lugar Manuel Zelaya”.

“Para a Nicaragua é inadmissível que se prolongue essa crise em Honduras, porque vai afetar a todos os centroamericanos, já que outros exércitos poderiam, eventualmente, optar por resolver os conflitos com golpes de Estado".

É exatamente este o medo dos bolivarianos! Que a moda pegue e o povo comece a pensar por si mesmo e as instituições comecem a funcionar diferente do desejo deles.

E Chávez, com seu estilo malucão, fala que Obama apoia a saída de Zé do governo: “Que bom seria ouvir o presidente dos EUA pronunciar-se a respeito... estamos certos que esta junta militar e este governo ilegítimo de gorilas está sendo apoiado pelo império ianque. Se não, não estão atuando como deveriam". O PoPa acha que Obama também deveria pronunciar-se logo, sob pena de ser continuar a ser ridicularizado por Chávez. Obama, como da Silva, acha que alisar os ditadores garante boa imagem mundial. E de que junta militar ele fala? Não há um único militar no governo de Honduras!

Se o mundo permanecer com esta posição, os bolivarianos da Alba vão se achar no direito de intervir militarmente em Honduras. Aí será tarde condenar a ação. Isto está dito com todas as letras por Ortega e Chávez, apoiados por Cristina, Lugo, da Silva, Correa e, de maneira transversa, por Obama. Se gostam tanto de consultas populares, quem sabe não façam uma destas nos países latinos: Querem que se invada Honduras e se deponha o presidente de fato, mesmo que a custa do sangue de muita gente?

2 comentários:

zefirosblog disse...

"estamos certos que esta junta militar"

Chegamos a um estágio em que ditadores e presidentes podem dizer praticamente as besteiras e mentiras que bem entenderem sem que isso reflita em sua aprovação popular. A desgraça desses países não são seus governantes, a desgraça desses países é o seu próprio povo.

Charlie disse...

Acho que esses comunas de meia pataca da "ALBAbaca" estão apavorados.