quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Estacionamento rotativo

O falado estacionamento rotativo no centro de Pelotas, tem tido controvérsias por conta do que fazer com os "guardadores de carro". Alguns políticos querem a realocação deles em outras atividades, outros pretendem que eles sejam cadastrados e treinados em coisas que possam fazer. Mas nenhum deles se dá conta que eles são, simplesmente, vagabundos que não trabalham! Como fazer um deles carregar tijolos em alguma obra, ganhando salário mínimo? Impossível!

E fazer um cadastramento é complicado, já que muitos voltariam imediatamente para o presídio... Novo Hamburgo expurgou este tipo de "serviço público voluntário" de suas ruas. Pelotas ainda está no nível razoavelmente civilizado, pois as gangues ainda não estão preparadas, como em Porto Alegre, por exemplo. Lá, em dias de futebol, shows ou o que seja, há uma tarifa e quem não paga está sujeito a sanções muito rígidas...

Mas, precisamos de um estacionamento rotativo para fazer valer a lei? Precisamos de estacionamento pago para que se tenha ordem no caos? Vagas que hoje estão indisponíveis, serão quando a cobrança se fizer presente, Soluções aparecerão para que a cobrança valha a pena. A lei deveria prever que toda a grana arrecadada tivesse que ser investida na área em questão - o tal quadrilátero central. Usar esta grana para melhorar os passeios públicos, para esconder a fiação elétrica, para melhorar a limpeza. Isso seria um avanço! Mas, claro, esta grana vai para uma empresa privada (de fora, provavelmente) e uma menor parte para a prefeitura, que vai gastar como bem entender.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

BR392 - duplicação comprometida

Em suas leituras matinais, o PoPa ficou sabendo que a duplicação da BR392, antigo anseio e necessidade da metade sul, está com problemas sérios. Três quilômetros não serão duplicados por conta da proteção da flora e fauna locais... há uma liminar proibindo a construção deste trecho. Depois de duplicada, poderemos ter alguns acidentes, algumas mortes no local mas o que é isso, comparado com a proteção de algumas árvores e pássaros? Ambientaleiro - ou ambientalocrata? - (termos que o PoPa acredita ter criado, para distinguir dos verdadeiros ambientalistas) é, antes de tudo, um estúpido...

Nível de vida europeu...

Pois o PoPa leu que o ministro Mantega disse que demoraria uns 20 anos para o brasileiro ter o nível de vida europeu. O que ele quis dizer com isso, afinal? Que daqui a 20 anos, teremos o padrão do europeu atual? Ou que estaremos em nível de igualdade ao que eles estarão então? Bem, tirando esta pequena dúvida, o PoPa acredita que demoraremos um pouco mais, caso não se resolvam os problemas mais básicos de nossa sociedade, como a educação, a saúde e a segurança. Na verdade, caímos em termos de qualidade de ensino, até em comparação com o próprio Brasil de algumas décadas atrás. Nossas crianças estudam menos tempo que as crianças européias. Estudam menos conteúdos de exatas. Leem menos. Escrevem menos. Como querer que nosso padrão chegue perto do deles, sem estas coisas básicas? O agreste nordestino vai estar mudado daqui a 20 anos? O Acre vai ter progredido em 20 anos? Os índios vão ter deixado de viver como favelados? Os favelados das grandes cidades vão ter desaparecido? Infelizmente, para todas estas perguntas, o PoPa acredita que a resposta seja negativa, pois nada se está fazendo para mudar esta dura realidade.

E os programas de transferência de renda, diriam alguns? Bem, transferir renda, sem trabalho, não é o caminho ideal... o que se passa no Brasil de hoje, é a transferência de renda dos trabalhadores para uma classe muito especial: políticos, amigos de políticos, empreiteiros, grandes industriais e por aí vai. Um pouquinho disso também vai para as esmolas oficiais, que permitem a manutenção destes maus brasileiros no centro do poder. E, infelizmente, não será um (ou uma) presidente que vai conseguir mudar esta história. A corrupção está enraizada com muita força na política brasileira. Vão ser precisos mais de 20 anos para mudar-se esta realidade. Isso, se começarmos a trabalhar agora! Voto Distrital seria um bom começo. Mas vai depender de quem, mesmo, para implantar algo assim?

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

E as Falklands voltam ao noticiário...

Pois o PoPa ficou sabendo - pela imprensa internacional - que o Mercosul resolveu fazer boicote aos navios com bandeira das Falklands, em apoio à Argentina que anseia conquistar aquele território. O PoPa não conhece os fatos históricos que levaram a Inglaterra a ter a soberania das ilhas, mas sabe que apenas a proximidade da Argentina não é argumento suficiente, senão Cuba pertenceria aos EUA...

É um boicote burro, porque apoia uma pretenção belicosa, de um país belicoso. Negociar, talvez. Pressionar, talvez. Boicotar? O PoPa não vê muita inteligência nisso. Bem, ver inteligência nestes governos latinos é um pouco difícil mesmo.

Os ingleses poderão, então, usar navios de bandeira inglesa para abastecer as ilhas, parando nos portos do Mercosul? E se eles trocarem a nacionalidade dos navios que operam nas ilhas para a inglesa, como ficará? Troca de bandeiras em navios é algo bastante comum, a propósito. A ponto de ser difícil identificar a origem de alguns. Vamos bloquear navios ingleses, então? A retaliação - bloqueio de navios do Mercosul na Europa - poderá ser feita? Quem sai ganhando com isso?

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

O PoPa e a Veja

Pois a assinatura da Veja acabou e o PoPa não renovou nem tem comprado a revista nas bancas. Achou que, sem esta leitura, as coisas poderiam parecer mais atraentes, menos bizarras, já que continuamente foi acusado de ser um "leitor da Veja". Ora, vejam, este é uma ofensa muito particular, que o PoPa acredita ter sido criada pelos denunciados da revista ao longo destes últimos anos. Particularmente neste último ano, as coisas tem ficado muito feias para todos os burladores das leis que acabaram caindo na malha fina da revista.

Pois sem ler a revista nas últimas três semanas, o PoPa continuou a ver notícias desagradáveis na imprensa em geral. Mesmo naquelas notícias que tentavam ser favoráveis ao governo, o PoPa percebeu as tentativas de esconder a verdade dos leitores.

Começando pelos necessários investimentos em infraestrutura, as notícias não são boas. Há um atraso enorme em tudo que foi planejado - e o PoPa não fala em Copa do Mundo - nos últimos anos. O Estadão noticiou que nada menos de 50 bilhões de reais, em projetos de infraestrutura, foram empurrados para 2012.

E o Senado, que não gosta de aumentar salário de aposentados, abriu um concurso para contratar 246 novos servidores. O Senado é aquele lugar onde tinha uma oficina com dezenas de funcionários para manter menos de 100 carros oficiais. Estes funcionários ainda andam por lá, mesmo que os carros agora sejam alugados e mantidos pela empresa que venceu a licitação. Bem, estes novos funcionários vão custar mais de 50 milhões por ano aos cofres públicos. O menor salário, de técnico, é de 13,8 mil e o maior, de consultor, de 23,8 mil. Salários iniciais! Nada mal... A notícia está na Folha.

E a notícia de que a CNJ somente poderá punir juízes corruptos se a corregedoria regional autorizar? É o corporativismo em sua forma mais bestial, mandando a justiça calar-se para a própria justiça... Esta notícia está em todos os jornais nos últimos dias. Será assim tão importante para ter este destaque todo? Ou será apenas um reflexo dos tempos que o Brasil vive, onde os poderosos tudo podem?

E o julgamento do mensalão segue se arrastando no Supremo. Pode ser que esta morosidade deixe os 40 gajos do Ali Babá sem nenhum tipo de punição. E seguirão no cone de poder do País por muito tempo. Ao menos a sociedade brasileira poderia ficar sem ver estes nomes estampados em cargos públicos, eleitos ou não. Se isso acontecesse, até o fato de ficarem sem punição seria um pouco menos cruel.

E tem a penca de ministros atolados em casos escabrosos. Também, com um ministério deste tamanho, como controlá-los? A saída seria baixar pela metade, pelo menos, para que a guria presidente pudesse conversar com eles de vez em quando... mas ela parece não gostar de falar com vários deles!

Pois é, deixar de ler a Veja não melhorou em nada as notícias que o PoPa anda lendo por aí. Quem sabe, fazer uma assinatura da Carta Capital? Pelo menos, diversão garantida...

Bom final de ano aos parcos leitores do PoPa e vamos torcer, com todas nossas forças, para que 2012 seja um ano melhor para os brasileiros. Complicado de ser, já que é um ano eleitoral, quando todos políticos - sem excessão - torcem a verdade para impor suas mentiras. E conseguir o apoio de um povo anestesiado, que não lê, não vê, não pensa.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Ponte sobre o Guaíba



Em suas leitura matinais, o PoPa ficou sabendo que a guria presidente anunciou a construção da nova ponte sobre o Guaíba. Sim, é verdade que a ponte atual apresenta problemas sérios, principalmente porque algum governo estúpido resolveu construir um polo petroquímico rio acima, causando um movimento diário de embarcações sob a pobre velha ponte. Sim, é verdade que precisa ser feita uma nova ponte para que a travessia possa ser feita em melhores condições. Não, não é verdade que esta ponte seja uma obra que beneficie diretamente a Zona Sul e o Porto de Rio Grande, como afirma o Diário Popular de hoje. Benefício maior existiria se fosse construído um ramal ferroviário entre Porto Alegre e Pelotas, garantindo a redução do movimento de caminhões sobre a apinhada BR116 - Sul.

Na matéria do DP, o PoPa ficou sabendo que o custo está estimado em R$900 milhões, o que quer dizer - pelos padrões de obras públicas federais - que vai custar algo em torno de R$1,5 bilhão... e, antes mesmo de começar, já vai deixar muita gente rica.

Bem, voltando à terrinha, o PoPa gostou que a caixa dágua de aço, importada da Escócia em 1875, está totalmente restaurada. Mas a cor... será que era mesmo este vermelho brilhante? Pode ser, mas é muito esquisita. E, na reportagem, uma escorregadela da repórter e do revisor: "...quando o ferro está comprometido, incha e fica oco por dentro..."

E os políticos brasileiros... caramba, o PoPa acredita que a corrupção atingiu o estado da arte, superou qualquer coisa que jamais alguém possa ter imaginado. Fazer o que, então? Torcer para que o voto distrital seja uma realidade futura e que estes pulhas tenham que prestar contas ao seu próprio eleitorado.

imagem: Ilustração de Gustave Doré (inferno), para a "Divina Comédia", de Dante. Do site Art Passions seria aquele personagem um político?

sábado, 26 de novembro de 2011

O mst está morto. Viva o mst...

Pois o PoPa estava lendo aquela revista feita com papel de jornal, que é escrita na quinta feira, impressa na sexta, distribuída no sábado, com data de domingo, que a maioria chama de ZH Dominical. Em uma das matérias de capa, alguém escreveu que o mst estaria tendo uma dissidência "radical"... na matéria, os escribas chegaram a conclusão que estes novos dissidentes estariam descontentes com o andar do movimento e estariam dispostos a radicalizar.

Ora, este movimento nunca teve nada a ver com produção primária, com produtores primários, com qualquer coisa que dissesse respeito aos verdadeiros homens rurais, sejam eles com terra ou sem terra. Sempre foram um grupelho disposto a dar seu nome e sua estrutura para quem estivesse disposto a pagar alguma coisa para eles. Eventualmente terra mas, quase sempre, grana para cooperativas, nem sempre com nobres destinações. Assim, vimos invasões, depredações e muitas outras ações feitas em nome deste movimento e seus tentáculos. Com a chegada do partido preferido ao governo, seus líderes passaram a ter mais espaços nas lides públicas e acabaram deixando o movimento ao largo, já que não ficava bem estar invadindo enquanto apoiavam o governo.

O que os dissidentes querem, é seguir o que sempre fizeram: baderna. E estão dizendo que vão fazer o que sempre fizeram, infiltrar-se em outros movimentos para dar suporte a greves, invasões e outras coisas, mesmo que nada tenham a ver com assentamentos, produção rural e coisas do gênero.

É simplesmente um retorno às origens! Faltou, aos jornalistas, um pouco de experiência, talvez. Um pouco de conhecimento da história, talvez. Mas o PoPa aposta que eles sabiam muito bem o que estavam escrevendo...

A emoção se foi... The Thrill is gone!

Bom final de semana! Com nosso governo acobertando ministros corruptos, a emoção se foi. Você sabe que me fez mal, bebê (minha querida...).

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Vamos invadir a Floresta!

Vendo um vídeo que rola na internet com artistas globais falando com convicção do que não tem nem idéia do que se trata, o PoPa ficou a pensar sobre este povo, principalmente uma das meninas, das quais o PoPa era um fã ardoroso.

O PoPa não é um comprador de revistas tipo Playboy. Nada a ver com moralismo ou coisas do gênero, apenas acha que tem mais sentido em gastar a suada grana em outras coisas. Mas quando saiu o ensaio feito por J.R.Duran com aquela menina que o PoPa era um apaixonado - tanto pela plasticidade quanto pela inteligência, foi correndo comprar. O ensaio foi magnífico, como somente Duran seria capaz de fazer. Fotos em P&B e um cenário fantástico. Sobre pedras, a menina mostrava seus atributos. Era uma época anterior aos silicones e o PoPa ficou um pouco - bem pouco - decepcionado com a flacidez dos seios da então jovem. Sutians tem seu mérito. Eles mantém as coisas no lugar, mesmo quando a gravidade age com força. Se ela hoje quer tirar o sutian em sinal de protesto, a ela deve ser dado este direito. No entanto, ela tem inteligência suficiente para estudar o assunto e não ser meramente repetidora de clichês preservacionistas. Pena que não o fez. Pena que o PoPa se decepcionou mais um pouquinho com ela (desta vez, na verdade, bem mais).

Idéias também precisam de sutians para manterem-se aprumadas e firmes. E este sutian - o da verdade - não admite modelos muito diferentes, embora possa ter pequenas variações.

Se o PoPa é um especialista que conhece tudo sobre Belo Monte? Nada mais falso! O PoPa não conhece o projeto em detalhes mas tem vivência suficiente para saber que o que está sendo dito é um apanhado de bobagens. Em primeiro lugar, falam dos mais de 600km² de alagamento, sem descontar a área do próprio rio! Falam no povo ribeirinho que será desalojado, sem saber qual será a condição que eles terão após o projeto. Na verdade, sem saber como eles vivem hoje! Com certeza, terão mais conforto e condições dignas de vida do que dispõem atualmente! Falam em alagar o parque Xingu, que está centenas de quilômetros dali!

O Popa não gosta do projeto em função da distância, dos custos que representará a transmissão desta energia e como isso será feito. Mas tem consciência que é um passo importante para a ocupação da floresta. Afinal, ela hoje está ocupada apenas por madeireiros, índios exploradores (sim! índios que, mancomunados com madeireiros e mineiradores, exploram a floresta) e ongs internacionais, que nem sempre são transparentes em seus atos... Isso sem contar com os traficantes, guerrilheiros dos países vizinhos e por aí vai.

A floresta precisa ser ocupada! Imediatamente!

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Delegados e professores. Profissões públicas que merecem respeito!

Pois em suas leituras matinais, o PoPa ficou sabendo que aqui na terrinha, no sul do Sul, a greve dos professores não pegou. Prova que os professores já estão ficando cansados das greves de final de ano, sem sentido e sem causa. Professores ganham pouco? Sem dúvida! Merecem mais? Sem dúvida, também. Mas fazer greve no final de um ano letivo, é dose! É não ter nenhum apego à profissão, aos que dela dependem, aos alunos, aos pais. Parabéns aos professores que não caíram nesta esparrela imbecil!

Em outra notícia, o PoPa ficou sabendo que os delegados de polícia estão inconformados pois não ganham o que acham que merecem. Bem, toda a polícia é muito mal equipada e muito mal paga. Todos sabemos. Mas também sabemos que os delegados não ganham tão mal assim... o PoPa também acha que delegados deveriam ser recrutados entre policiais de carreira, através de concursos internos, com os mesmos requisitos atuais (bacharelado em direito, condição física, etc). Como está, aparecem os concurseiros de plantão, que eventualmente não conseguiram passar em concursos de promotores e juízes. Bem, o PoPa pode estar errado, claro, mas não acha justo a movimentação para boicotar a operação verão, que dá segurança à população gaúcha que se desloca às praias para seu justo descanso. É o que eles pretendem. O pior - ou melhor - é se a operação transcorrer normalmente, sem que se note falta dos delegados...

sábado, 19 de novembro de 2011

The Who - Won't get fooled again...

Meet the new boss
Same as the old boss



The Who, com o genial Keith Moon na bateria.

Bom final de semana!

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Safados existem em todo lugar. Na política são mais perigosos.

video
Este vídeo (de fevereiro deste ano) me lembrou um pouco o que acontece no Brasil, nestes tempos complicados, onde tanta gente não joga limpo. E onde a imprensa acolhe versões que não refletem a verdade. Onde políticos apresentam seu "outro lado" apenas no grito e obtém espaço para estas defesas sem consistência. No vídeo é apenas um jogo de futebol. Na vida brasileira, é uma técnica cada vez mais utilizada pelos sem escrúpulos, sem moral, sem vergonha.

Por isso, o PoPa torce para que tenhamos o voto distrital, onde políticos prestarão contas a seus eleitores, assumindo riscos de não serem reeleitos caso tenham comportamento safado como vemos frequentemente. Se ainda não assinou a petição, vai lá! http://www.euvotodistrital.org.br

Ok, o filme é hilário mas representa o safado em plena ação. Representa a safadeza, a tentativa de enganar os outros em benefício próprio. Rimos dos dólares na cueca mas sofremos com o resultado, como nação. No vídeo, o jogador chileno Bryan Carrasco faz a bobagem e consegue cavar uma falta. Não mais que isso. Neste caso, a safadez não rendeu muito, pois o Chile perdeu a partida contra o Equador.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

O exemplo que veio da UnB

O diretório dos estudantes da UnB saiu da mão dos esquerdistas idiotas (porque tem, claro, esquerdistas inteligentes) e ficou com estudantes de verdade. Pelo visto, a USP também precisa de uma "revolução" nesta linha e existe uma única chapa que não é da linha que clama ser o PT um partido de direita... O PoPa captou a seguinte mensagem no blog do Reinaldo Azevedo e coloca aqui para os seus dez fiéis leitores:

Me chamo Rodrigo Souza Neves. Sou um dos fundadores e integrantes da chapa não-esquerdista (…) e que concorre ao DCE neste ano de 2011 com o nome “Reação”.

Faço parte do “Movimento Liberdade USP”, grupo aliado desde 2009 ao “Liberdade UnB”, vencedor das eleições do DCE da UnB.

Primeiramente, gostaria de agradecer a divulgação desse texto e a reportagem detalhada das eleições e do contexto da USP. Nesta e em outras reportagens.

Agradeço também, em nome da chapa Reação, a todos que declararam apoio à nossa causa em seus comentários. Peço que entrem em contato conosco o quanto antes para que possamos contar com seu auxílio nas eleições e impedir que novamente o DCE fique nas mãos de elementos sectários, partidarizados e de conduta semicriminosa, que compõem a grossa parte da esquerda do movimento estudantil.

Aproveito também o momento para esclarecer que a chapa Reação não possui nenhum filiado ao Partido Progressista (PP) e que tais acusações fazem parte de uma campanha de difamação promovida por integrantes do PSOL e do PSTU (e alguns elementos fisiológicos) contra estudantes reconhecidamente contrários às suas posturas autoritárias e antidemocrática.

Também esclareço que há, sim, uns poucos estudantes filiados ao PSDB (em grande parte, pela ojeriza e necessidade prática de oposição ao PT, descrita aqui como voto de nariz fechado) que fazem parte da chapa. Entretanto, estes são um setor minoritário (6 pessoas) dentre os 61 integrantes da chapa (e mais de 50 apoiadores) e assumiram o compromisso de deixar quaisquer simpatias e fidelidades partidárias para fora dos muros da universidade. Enquanto tal compromisso for respeitado, aceitaremos de bom grado o apoio dos mesmos, deixando claro que, caso haja tentativa de partidarização por parte dos mesmos, como houve na UnB, tomaremos as mesmas medidas adotadas por nossos colegas brasilienses.

Em todo caso, gostaria de ressaltar o apelo do Reinaldo Azevedo neste blog e conclamar a todos que participem e votem nesta eleição do DCE, para que possamos evitar mais um ano de greves, invasões e depredações de nossa universidade e para que tenhamos um DCE que, de fato, consulte democraticamente os estudantes e defenda os interesses dos mesmos, e não o de meia-dúzia de iluminados da extrema esquerda partidarizada.

A esquerda radical já está preparando os seus para construir o que eles querem que seja “a maior greve universitária dos últimos 10 anos”. Eles já estão organizados e já deixaram claro suas intenções nos próprios nomes de suas chapas: “Não vou me adaptar” (PSOL + PSTU) e “Fora PM” (LER-QI, MNN e outros invasores).

Cabe a nós, estudantes, manifestarmos nossa oposição e construirmos a nossa “Reação” contra esses grupos que vêem a USP como um espaço para promover seus partidos por meio da destruição da universidade.

Tendo dito isso, deixo o meu abraço a todos e os convido a fazer parte dessa onda democrática que já alcançou a UnB e que queremos que chegue também à USP.

]Rodrigo Souza Neves
Secretário Geral - Reação USP 2012

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Puxa, este capitalismo é mesmo um saco!!!

Assistam ao vídeo. É engraçado e mostra bem nossa atual sociedade. Sim, o capitalismo é responsável pelo progresso e pelo conforto atuais. Tem gente sofrendo no mundo? Aos montes, mas não é culpa do capitalismo, mas de governos corruptos e políticos safados. Sem excessão!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

A extrema pobreza gringa ganha mais que o salário mínimo brasileiro...

Em suas leituras matinais, o PoPa ficou sabendo que um em cada 15 gringos apresentam pobreza extrema, sendo a maioria destes pobres, hispânicos. A regra é simples, quem ganha menos de US$5.570,00 anuais ou US$11.157,00 para famílias de quatro pessoas, é extremamente pobre. A notícia fala que esta situação ficou pior nos últimos anos.


Bem, vamos fazer um pouco de conta. O valor da pobreza extrema dos gringos, é superior em 35% ao salário mínimo brasileiro, considerando-se o 13º e sem descontos de inss e vale transporte. Coisa louca! Nos padrões gringos, a pobreza extrema brasileira seria muito maior do que o nosso governo pretende que seja. E olha que o custo de vida por lá é bem inferior ao nosso. Bananas são mais baratas em Nova Iorque que em Porto Alegre...

Mas o PoPa apenas lembrou-se de fazer este cálculo para confirmar o que sempre soube... os gringos são sérios nestas questões de censo e estatística. Não alteram as linhas de miséria como fizeram aqui, recentemente, para tirar gente do fundo do poço. Não aumentam o "pacote de bondades" para que se tenha a impressão que a pobreza é um pouco menor. Talvez por isso, o cara tenha ficado puto da vida com o resultado do PNUD, que colocou o Brasil ainda na cola dos países subdesenvolvidos do mundo, em 84º lugar. Ao demonstrar seu inconformismo, alegando que muito fizeram para melhorar a vida do brasileiro, não deu-se conta - ou sabe, mas fez-se de bobo - que outros países aproveitaram muito mais a boa maré que a década passada ofereceu ao mundo. Aqui, a onda de desenvolvimento que varreu o mundo inteiro, melhorou um pouco a vida da população, mas não foram feitas obras de infraestrutura, não foram feitos investimentos de longo prazo e roubou-se como nunca!

O cara voltou ao pódio. De onde nunca saiu, na verdade...

terça-feira, 1 de novembro de 2011

O Cara, seu tratamento e nossa sorte!

O velho PoPa vem acompanhando a novela que envolve o cara e sua mania de ser o melhor do mundo. Leu gente que queria ver ele tratando-se no SUS e gente defendendo o direito dele tratar-se onde bem entender. O PoPa acredita que ele tem direito de escolha e é esta a diferença entre os que acreditam na liberdade e os que acreditam na ditadura socialista.

Mas uma coisa é preciso salientar. O SUS é um sistema imperfeito, obviamente. Não está preparado para atender ao contingente de necessitados de todo o País. Não tem condições técnicas, humanas e científicas para fazer o trabalho que deveria ser feito. Isso explica as filas, a falta de medicamentos, a falta de profissionais, a falta de infraestrutura. Mas, onde estas "pequenas" coisinhas são dribladas, o sistema pode funcionar. Na Santa Casa de Rio Grande, temos um hospital que atende pacientes do SUS de todo o estado e atende bem. Em outros hospitais Brasil afora, existem condições adequadas e suficientes, embora não seja a regra.

Então, o cara tratar-se no SUS não seria um risco em si. Ele poderia, sim, tratar-se em um dos hospitais da rede, com as mesmas condições que está tendo no famoso Sirio Libanez. Claro que sendo quem é, não estaria sujeito a filas e autorizações. E não acho que devesse, como não acho que ninguém deva padecer deste problema.

Mas ele, felizmente, resolveu tratar-se no melhor hospital do continente. No mais caro, pago pelo seu plano de saúde, segundo a imprensa. Ô planinho bom!!!!

O PoPa acha que foi muito bom, pois ele poderia estar em um hospital da rede do SUS, sendo muito bem tratado, com todas as condições de cura garantidas. Felizmente não foi assim pois a exploração - que já é demais por conta deles - seria muito maior. Somos sortudos, mesmo! E precisamos pensar que estaria a ocupar uma vaga e profissionais que poderiam estar atendendo trabalhadores de verdade.

Pensem assim, meninos e meninas. O povo brasileiro saiu ganhando com isso.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Pastéis de beira de estrada.

Pois em suas andanças pelo Pampa, o velho PoPa já experimentou tudo que é tipo de comida. E começou a pensar nas melhores e piores de cada "categoria"...

Pastéis, por exemplo. Em Pantano Grande (assim mesmo, sem acento), existe um restaurante que serve um enorme pastel de carne, absolutamente fantástico. Deve ter umas 300 gramas de recheio, uma massa crocante e é enorme, suficiente para uma refeição completa! Pelo sucesso que ele tem entre os frequentadores, a certeza de que está sempre novinho e quente, servido na portinhola da cozinha. Este é um pastel nota 10, com certeza. O nome estranho do restaurante: Raabelândia.

No outro lado desta culinária viajeira, temos o pastel do posto de gasolina na entrada de Candiota. Sempre frio, mole e velho... claro que o PoPa comeu apenas uma vez e não passou da primeira mordida, por ser incrivelmente ruim. Ao passar por ali, em outra oportunidade, o companheiro de viagem do PoPa queria comer um pastel. Como não bastou a recomendação negativa, o PoPa perguntou a um camioneiro que estava comendo o tal pastel na frente do balcão: 'Como está o pastel, amigo'? 'Ruim'! Tentando desviar um pouco o assunto, já que a atendente ficou olhando um pouco pasmada, o PoPa arrematou: 'mas claro que deves ter comido algum pior por aí'! 'Nunca', foi a resposta, 'e olha que já comi muita coisa ruim pelo Brasil afora'!

Bem, aí estão duas sugestões aos viajantes do Pampa Gaúcho. Onde comer e onde não comer pastéis...

Pastéis são como políticos. Podem até enganar meio de longe, quando não se nota a superfície sebosa, molenga e repugnante. Se o observador não está atento a estes detalhes, o recheio vai indicar do que realmente são feitos. Mas, como existem bons pastéis, devem existir bons políticos. Ambos são difíceis de encontrar e estragam facilmente.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Carro de senador

Pois o senado, aquele lugar de homens probos que respeitam a grana pública, resolveu trocar a frota de carros por carros alugados. Pela bagatela de R$ 1.990,00 mensais, eles alegam que sairá muito mais barato, já que a frota terá atendimento da empresa locadora. Provavelmente isso é verdadeiro, pois um mecânico do senado deve ganhar bem e ter pouco serviço, já que são carros bons, dirigidos por profissionais, com boa manutenção.

Mas o PoPa gostaria de saber quando vão despedir os mais de 400 servidores que estão à disposição na oficina do senado. Quando vão alienar as ferramentas, dar um destino mais social ao espaço das oficinas. O PoPa não tem as resposta, mas tem uma vaga idéia delas...

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Abaixo a geração de energia com carvão!

Pois hoje o PoPa viu de perto uma manifestação de burrice e uma arbitrariedade de um bando de sindicalistas que o PoPa não sabe exatamente o que queriam. Bloquearam uma ponte importante, causando problemas sérios para centenas de pessoas, inclusive uma grávida que deu a luz na ambulância.

O que queriam os valentes? Chamar a atenção da presidente Dilma! Mas ela não passou nem iria passar pela ponte! Estava ali, a poucas centenas de metros dos infelizes. Por que não se deslocaram para o lado da Assembléia para protestar diretamente na fonte? Medinho, talvez? Ou não queriam perturbar a presidente, já que tanto o presidente do sindicato como o próprio prefeito de Candiota - presentes no local - são petistas? Perturbem-se os que trabalham, portanto.

O fato é que a PRF deveria ter liberado a pista de qualquer maneira. Não há sentido em deixar vagabundos desocupados durante duas horas infernizando a vida das pessoas que nada tem a ver com o problema deles. Não, o PoPa tem a ver com isso, sim. Agora, os mineiradores ganharam vários opositores, o PoPa entre eles. Não importa o que queiram, estaremos contra.

Provavelmente alguns dos leitores do PoPa estão acompanhando as manifestações em Nova Iorque. Lá, eles estão acampados em um terreno particular (o dono permitiu). Hoje, eles se deslocaram até a prefeitura. TODOS os que tentaram parar o trânsito, foram presos. Podem fazer manifestações, em paízes decentes. Mas não podem atrapalhar a vida dos outros.

Mineiradores, continuem assim. Vão querer queimar carvão? Quando temos possibilidade de energia eólica, hidráulica? E onde fica o meio ambiente? O PoPa nunca se preocupou com a chuva ácida proveniente da queima do fraco carvão gaúcho (mais de 50% de cinzas) mas acha que chegou a hora de paralizar projetos que queimem carvão...

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Zelosos funcionários públicos mandam prender aposentado que era roubado pelo sistema

Em suas leituras matinais, o PoPa ficou sabendo que um aposentado foi preso e será processado pela justiça federal por exigir seus direitos. É isso mesmo! O INSS estava fazendo descontos indevidos em sua aposentadoria e não dava conta de acomodar o estrago. Após muitas tentativas, o aposentado perdeu a paciência e estourou na repartição pública. Os zelosos funcionários públicos chamaram a BM e prenderam o cidadão.

O RS poderia passar sem esta vexatória reportagem que dá conta do que acontece nas repartições públicas brasileiras. Quem não consegue o que precisa e merece, acaba preso! Seria um sinal da atual situação brasileira? A atitude dos burocratas seria apenas um reflexo do que acontece nos "andares de cima"?

Depois de tudo, os burocratas reconheceram o erro e estão prometendo o ressarcimento da apropriação indébida para os próximos dias (é, mas só depois da reportagem ter buscado informações...). Resta saber se foi por arrogância, imbecilidade, ignorância ou, simplesmente, incompetência dos ditos funcionários públicos. Zelosos no atendimento da lei quando se refere aos "desacatos" vindos de usuários, incompetentes quando se trata de corrigir um erro grosseiro.

Sim, o Rio Grande poderia ter ficado sem este acontecimento...

sábado, 8 de outubro de 2011

Estudo secundário gaúcho sem matérias, mas com "projetos"

A notícia parece até interessante. O governo do Estado do RS está para mudar o ensino secundário. Com o Enem por aí, com as dificuldades que os estudantes enfrentam para entrar em uma boa faculdade, com as dificuldades para conseguir uma boa formação e, consequentemente, um bom emprego, mudanças são bem vindas. Mas, que tipo de mudança é necessária? O PoPa acredita que aumentar a carga horária ou a qualidade do conteúdo de física, matemática, português, biologia seria um bom começo.

Mas, em suas leituras matinais, o PoPa ficou sabendo que o Estado está preparando uma mudança, a valer já para o ano que vem, da maneira de ensinar nossos jovens. Não existirão mais as tradicionais matérias no curriculo, mas "projetos" que englobarão o ensino de várias matérias ao mesmo tempo. É fácil imaginar o que isso significa. Teremos nossos jovens acompanhando "projetos" que englobarão o "social", a "natureza" e outras bobagens de quem não sabe o que realmente ensinar para quem estará enfrentando a vida real em poucos anos.

Depois, para compensar, iremos fazer novas cotas para estes pobres estudantes que não conseguirão entrar em faculdades exigentes por absoluta falta de conhecimento.

Se isso faz parte de um plano maquiavélico de imbecilizar nossa população, o PoPa não sabe. Mas, mesmo que não seja esta a intenção final será o resultado, sem dúvida. E manterá a tal "elite" - classe média trabalhadora - que pode pagar escolas particulares para seus filhos, ainda mais distante do povo que depende do ensino público. Mobilidade social se faz com conhecimento, com cultura, com trabalho. O resto é coisa de gente que, amparado em um emprego público, nega, aos jovens pobres, o acesso a uma vida realmente melhor.

Tivessemos parlamentares que realmente representassem a população, esta poderia ser discutida nas bases e se pressionaria o governo a não tomar este tipo de atitude. Por isso, #EuVotoDistrital. Não assinou ainda? Está esperando o quê, vivente? Clica aí do lado e faz a coisa certa!

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Gisele contra o governo



Saiu na imprensa local e também na internacional. O governo brasileiro achou esta propaganda inadequada por ser "ofensiva e sexista". O PoPa acha a propaganda muito bem feita, mostrando que existem várias maneiras de dar uma notícia. O governo acha que só ele pode se utilizar destes meios de enganar o povo...

Ofensivas são as maneiras utilizadas para gastar o que não temos no que não precisamos e tentar empurrar um imposto para as coisas que precisam de dinheiro e não tem porque estamos gastando no supérfluo. Ou na corrupção.

Alguma dúvida?

domingo, 25 de setembro de 2011

#BrasilForadaCopa - na contramão do desejo popular?

O PoPa acha que o Brasil não deveria sediar a copa do mundo. Pelo menos, acha que não deveria ser como está sendo, com jogos espalhados por todo o país. Que se fizesse no eixo Rio-São Paulo, onde já existe uma infra-estrutura razoavelmente adequada para o evento. Estádio em Manaus? O que é isso???

Enquanto vemos gente elogiando a Copa do Mundo pelas maravilhas que o evento deixará no País após sua realização, o PoPa apenas vê brechas para aumento de corrupção. Investimentos necessários o são pela sua própria natureza. Dizer que vamos investir na melhoria da mobilidade urbana apenas porque vamos ter um evento de alguns dias, é caçoar da inteligência dos brasileiros. Se Porto Alegre precisa de um metrô, que se planeje e invista nele, com qualidade e tempo. Sem essa de dizer que vai ser feito por causa da copa! As urgências hospitalares precisam ser melhoradas? Claro que sim! Mas não precisamos de uma desculpa para isso!

Este governo está arrastando as decisões de investimento há mais de dois anos e agora quer relaxar a fiscalização por conta deste atraso. Corrupção à vista (ou em suaves prestações)! A pré-copa vai dar mais grana que o pré-sal.

#BrasilForadaCopa é uma campanha solitária do PoPa, pois ninguém quer se colocar contra um evento que irá colocar o Brasil no século XXI, em termos de saúde, comunicação, mobilidade urbana. Isso soa falso? Porque É falso. Vamos apenas jogar mais grana no colo dos mesmos corruptos de sempre.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Bolsonaro e a versão da imprensa

A internet tem muita coisa boa. Tirando receitas estranhas de sanduiche com maionese, alguns filmes colocam a realidade e não a versão divulgada pela imprensa. Veja o vídeo acima e compara com as versões dos jornais e blogs que tem lado e fingem estar com a verdade. Bolsonaro está no meio de um pequeno bando de estudantes raivosos e, em nenhum momento, os agride ou sai correndo. Ao contrário, ele fica ouvindo as bobagens ditas por alguns. Coisas como assassino (ele matou alguém?), racista (ele é casado com uma afrodescendente!) e coisas do gênero. Sim, ele não gosta da idéia de que gays tem que ter tratamento diferenciado (todos são iguais perante a lei, não é?) e luta para que a sociedade seja ouvida em sua plenitude e não por alguns manifestantes barulhentos.

E ele tem coragem de ir a uma universidade e dizer isso. E enfrentar as reações raivosas, calmamente. Ao contrário do que a imprensa publicou, ele não fugiu, não afastou-se da turba e saiu em uma viatura. Provavelmente, teria seu próprio carro depredado se o utilizasse. Fez bem, apesar da presença da PM, não provocou os manifestantes.

Caso o vídeo não apareça, aqui está o link: http://www.youtube.com/watch?v=v4Ra3c7zU2w&feature=youtu.be

Estadão mentindo no Twitter. Que feio!

Há quem diga que existe um tal de pig - partido da imprensa golpista. No entanto, o que o velho PoPa tem visto, é uma imprensa totalmente alijada da verdade e com um pé na ilegalidade ou, no mínimo, na mentira deslavada. Agora de madrugada, o Estadão colocou no twitter: @estadao Bolsonaro rasga documento anti-homofobia e sai escoltado de universidade:

Bem, é só seguir o link, para ver que não foi um documento anti-homofobia que ele rasgou, mas uma moção feita por alguns vereadores desconhecidos de uma cidade fluminense. Queriam espaço na mídia e conseguiram. Mas, ao contrário do que esperavam, conseguiram dar mais visibilidade às opiniões de Bolsonaro. O cara é maluco, sim, mas tem posicionamentos corretos em muitas coisas, ao contrário destes vereadores e do Estadão. Mentir é feio, Estadão! Colocar informações inverídicas em um meio de comunicação de massa, como o Twitter é mentir descaradamente, já que a própria notícia não faz referência ao tal documento anti-homofobia, que não existe, afinal.

Para concluir, não é qualquer um que se expõe dessa maneira a um público hostil. O cara tem coragem e não se esconde. É o que mais falta em nossos políticos, atualmente. Coragem para defender idéias. É o que falta na nossa imprensa. Verdade, mesmo que não seja a que nós queremos.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Alta do IPI - Tiro no pé?

O governo não  resistiu ao loby das grandes montadoras instaladas no Brasil e aumentou o IPI, atingindo algumas grandes montadoras que ainda não estão por aqui. Exemplo típico da JAC Motors, que está pretendendo instalar uma montadora em 2014, mas que está importando seus carros a preços realmente competitivos e com itens de série que são opcionais nos outros fabricantes.

A idéia geral é que a indústria brasileira estaria sendo ameaçada por estas importações e que seria preciso algum tipo de atitude para impedir o crescimento dos importados em nosso mercado. A coisa parece simples, mas não é. Mercado externo é coisa séria e pode resultar em ações contra o Brasil na OMC e retaliações que irão atingir outros setores que não o automotivo.

Mas o velho PoPa acompanha desde muito tempo estes mercados e sabe que a margem da indústria automotiva é muito grande. Tanto que durante a recente crise, a GM sustentou-se mundialmente com os lucros da unidade brasileira. E esta elevada margem permitiu a introdução destes modelos da JAC e de outras a preços competitivos. Mas ainda com uma grande margem...

Este final de semana, as revendas da JAC bateram recordes de vendas, com a ameaça do aumento de preço. Pois com este aumento súbito de preços, é possível que a empresa consiga manter o mesmo preço, com redução de margem unitária. Simples matemática... Ou com aumento bem menor do que o mercado está esperando.

O loby das outras grandes pode estar indo para o lixo. Um tiro no pé, como se diz por estas bandas.

O PoPa fica com um pensamento voltado à indústria verdadeiramente brasileira. Onde está a proteção às carnes aqui produzidas, ao arroz, às conservas, ao leite? Bem, o PoPa não acha que tenha que existir proteção, quando as regras de mercado estão sendo cumpridas. Se há dumping em algum destes produtos, no entanto, é direito do País de se proteger. Mas não proteger a incompetência ou a ganância.

Pensa nisso!

sábado, 17 de setembro de 2011

Metade está abaixo da média, Ministro???

Pois o PoPa leu uma declaração do ministro da educação, onde ele relatava que mais da metade dos estudantes ficou abaixo da nota média. Na verdade, 52,98% ficaram abaixo da média aritmética das notas de todos os estudantes que participaram da prova.

Ora, a média é exatamente isso. Não é um indicador válido para coisa nenhuma! O que precisamos saber é se a nota média foi inferior ou superior as dos anos anteriores. Saber que metade ficou abaixo da média e metade acima, é exatamente o que alguém que tenha estudado os princípios básicos - muito básicos - da matemática deveria saber. Mas em se tratando do tal ministro...

Vamos pensar assim: metade dos ministros brasileiros está com desempenho abaixo da média. Não é nenhum mérito para os que estão acima já que, do enorme contingente de ministros brasileiros, a média é, infelizmente, muito baixa. Talvez tão baixa quanto os alunos do Enem. Mas estes tem uma boa desculpa: o péssimo estado do ensino brasileiro, culpa daqueles outros.

domingo, 11 de setembro de 2011

Nosso 11 de setembro

Claro que o PoPa exagera na dose, ao fazer esta comparação. Mas, em termos econômicos, a Copa do Mundo pode ser o 11 de setembro brasileiro. Um massacre nas contas públicas que poderá paralizar o País na próxima década. Não teremos inimigos para invadir, não teremos mortos para chorar, mas teremos uma economia arrasada por conta da corrupção que se mostra irredutível em seu propósito de roubar, mesmo que para isso seja preciso alterar a legislação. Roubar com mais segurança, deve ser o lema deste povo...

As contas para a Copa do Mundo não param de crescer, mesmo sem que se tenha feito muita coisa até agora. Há urgência nas tais obras? Mas já fazem três anos que se sabe o que precisa ser feito! O que o governo passado e o atual fizeram, afinal? Além de muita conversa, nada! Ainda é tempo de esquecer esta tremenda bobagem e passar adiante a sede da Copa. Pode ser vergonhoso em termos mundiais, mas vai ser uma redenção aos verdadeiros donos do País. Não precisaremos ter vergonha frente as próximas gerações, que tentarão saber o que seus pais fizeram para deixar o País em situação de miserabilidade. Falta grana para a saúde? Claro que falta, mas por que usar um dinheiro que não existe para fazer uma festa que não diz respeito à maioria da população?

Tivéssemos um sistema legislativo realmente representativo, essa barbaridade poderia ser estancada pelo Congresso. Como temos um Congresso atrelado às safadezas de plantão, não há saída. Mas, pelo menos, precisamos gritar, dizer que a lei precisa ser seguida. Que o Brasil não pode ter um sistema de controle capenga para estas obras milionárias que estão sendo tratadas às escondidas. O Brasil precisa saber o que vai gastar e o que custa isso em termos sociais. O Brasil precisa saber que o dinheiro que falta para a saúde está sendo usado para fazer obras sem sentido e sem urgência.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

#VotoDistrital - assina a petição! Ou fique com o que está aí.

As manifestações que ocorreram Brasil afora, são uma pequena parte do que pode estar por vir. O PoPa não participou ativamente, mas gostaria, assim como milhares de outros que também não tiveram a oportunidade ou a coragem de mostrar a cara e protestar.

É um começo que pode ser interpretado corretamente pelos políticos e, quem sabe, tornar-se viral e torcer nossa realidade para novos tempos. Sonhar é preciso, afinal.

Mas, neste exato momento, as forças do obscurantismo devem estar trabalhando para obstruir toda e qualquer manifestação em prol da decência na política. E eles farão isso de maneira aberta, através de jornalistas e jornais, tentando minimizar os efeitos e as influências dos manifestos. Se terão sucesso, só o tempo dirá. E vai depender da movimentação dos esclarecidos, da exteriorização da indignação contra o estado corrupto que herdamos e sustentamos.

Vamos esperar sentados? Manifeste sua indignação assinando logo esta petição para termos o voto distrital. Ou tu acreditas que os partidos políticos, assim como estão formados, permitirão que algum político bem intencionado progrida? Que a ação dos grandes grupos de empreiteiras, sindicatos, igrejas e outros do mesmo naipe estarão buscando o bem comum, o desenvolvimento de todos, a solução para os problemas do Brasil? Tu acreditas que a saúde, a educação, a segurança são prioridades deste congresso que aí está? Acreditas nestes partidos, cujas ideologias foram para o buraco há muito tempo e que só pensam em si próprios?

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Votar é realmente obrigatório?

O PoPa tem sido um votante por toda a vida, acreditando na democracia da maioria e outras baboseiras que aprendemos na escola. Mas, como quase tudo que se aprende na escola, existe a verdade e a versão da verdade... No caso do voto obrigatório, o PoPa deu-se conta que ao ultrapassar a sexta década de vida, precisou não mais que duas ou três vezes provar que estava em dia com suas obrigações eleitorais. E, caso não estivesse, bastaria uma chegada ao cartório eleitoral, pagar uma taxa merreca e ficar quites... obrigatório? Só para quem quer!

Analisando as últimas eleições, por exemplo, o PoPa verificou que mais de 60% do congresso foi renovado. Gente nova, novo fôlego para a democracia? Bem, parece que a coisa está igual ou até pior! Sem ter um esquema decente de escolha, não há salvação no sistema atual. E pode piorar, com a entrada do sistema de voto em lista. A saída poderia ser voto distrital, mas qual partido defende isso? Quais políticos vão querer ficar "presos"a um distrito, onde precisarão mostrar serviço e prestar contas?

Por isso, enquanto não tivermos o sistema distrital em execução, o PoPa não vota mais. Já teve decepções demais com seus candidatos que pareciam ter um posicionamento e, quando eleitos, foram - como quase todos - para o lado fácil, para o lado do governo. Triste esta situação. Triste esta constatação de que não haverá futuro democrático se não tivermos, urgentemente, uma guinada neste sistema atual.

Pelo menos, os dias de votação serão feriados de verdade para o velho PoPa.

Não assinou a petição ainda? Clica aí do lado e te posiciona, vivente!

sábado, 20 de agosto de 2011

A privatização dos espaços públicos

Pois em Pelotas, algumas pessoas estão fazendo uma grande pressão para implantar a tal "área azul" no centro da cidade. Alegam alguns que favoreceria o comércio, que as vagas ficariam mais disponíveis e outras bobagens do gênero. Alegam também que a demanda vem dos próprios comerciantes, que teriam maior movimento em suas lojas.

Bem, em primeiro lugar, o PoPa não acredita nesta história de que os comerciantes estão querendo a área azul. Por que o fariam? Ninguém faz compras porque eventualmente vai ter que pagar para estacionar em plena via pública! E temos estacionamentos centrais que podem perfeitamente atender esta demanda, até com a ajuda dos tais comerciantes que poderiam ter convênios para seus queridos clientes estacionarem e fazerem suas compras. Mas estes mesmos comerciantes, que não são capazes de manter as próprias calçadas limpas, fariam isso? E por que a chamada área central esticou a ponto de sair da área central?

Espaço público é para uso de todos, inclusive os que tem carros e gostam de estacionar no centro ou perto dele. Quem, realmente, ganha com a implantação de uma área azul? Empresas de tiquetagem, talvez? Empresas terceirizadas que fariam a cobrança e a manutenção de tais espaços? O que sobraria para a prefeitura e o que seria feito com esta grana? Tudo muito obscuro onde tem esta tal área azul...

Em Rio Grande, por exemplo, começaram cobrando 60 centavos por meia hora e já aumentaram para 65, sem que tenha passado muito tempo desde o início da cobrança. Apenas para exemplificar, Porto Alegre cobra 50 centavos. O espaço público de Rio Grande vale mais que na capital, portanto.

Em Porto Alegre, por outro lado, já há um relaxamento na cobrança da área azul. Sumiram os cobradores do espaço e, eventualmente, aparecem azuizinhos para multar incautos que não estão com o papelucho no carro. Descobriram que apenas agentes de trânsito podem multar e perderam muitas ações de "clientes" da área de estacionamento, indevidamente multados por funcionários de uma empresa terceirizada. Mesmo assim, os azuizinhos são obrigados a permanecer no local por pelo menos dez minutos, que é o tempo de permissão sem o talãozinho, já que as máquinas podem ficar longe dos carros.

Mas, voltando aos espaços públicos, nossa cidade já tem loteados muitos destes espaços. Na av. Bento Gonçalves, por exemplo, estão à disposição de treileres de lanches "atracados" de forma definitiva no local. Enquanto um empresário tenta manter seu bar em funcionamento, ele precisa ter banheiros públicos adequados, equipamento de cozinha, projeto de incêndio e sabe-se mais o quê. Estas tralhas que ficam no canteiro da avenida, por outro lado, não tem banheiros, não tem espaço adequado e, muitas vezes, não tem sequer higiene.

As calçadas do centro de Pelotas estão sempre lotadas, mas não de gente. De camelôs, vendendo qualquer tipo de bugiganga, inclusive as ilegais. Em uma das principais artérias, a prefeitura aumentou a calçada para dar mais conforto aos pedestres e o que aconteceu? Os camelôs tomaram o lugar de assalto! Inclusive com marcações na calçada...

E, mais recentemente, há uma grande briga entre os camelôs localizado no chamado "camelódromo" e a prefeitura, pois esta - por determinação do MP - precisa construir outra área para eles. Uma parceria público privada foi ensaiada para a construção de um novo prédio, com boas condições de habitabilidade, área de alimentação, banheiros, estacionamento... essas coisas de shopping popular. Há uma realidade em nosso camelódromo: há alguns "proprietários" que arrendam estes espaços para outros, a valores bem superiores ao que seria cobrado de condomínio no novo espaço. O camelódromo, na verdade, já está privatizado. Por alguns que "compraram" estes espaços dos camelôs originais. E, tal qual uma máfia, estão impedindo que verdadeiros camelôs possam instalar-se neste novo espaço. É um pouco a doutrina que alagou a sociedade brasileira nos últimos anos - "o que é meu é meu, o que é teu é nosso"... ou "o negócio é levar vantagem, certo?"

Espaços públicos são públicos! E se há interesse da sociedade em que algumas pessoas ou empresas utilizem estes espaços, o pagamento deve ser feito para a própria sociedade. De preferência em serviços, já que grana é facilmente desviável.

Ou, abaixo a "área azul" em Pelotas! Abaixo as lancherias "estacionadas" nos canteiros e ruas da cidade! Abaixo os camelôs que empresariam os espaços públicos, alugando-os a outros!

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Desencarna Lula!

Não foi nenhuma novidade para o PoPa, a sanha do ex-cara para aparecer e mandar no governo. Afinal, se ele nunca falou a verdade, por que seguiria suas próprias declarações de que saberia se comportar como um ex-presidente, ao contrário do seu antecessor? Na verdade, o PoPa ficou um pouco surpreso, sim. Não imaginava que ele seria assim, tão incisivo em sua posição de ex, mandando e desmandando no governo. E até já dando um recado que a guria não irá concorrer à reeleição.

Enganam-se também os que acham que está em curso uma "faxina" na administração pública. Apenas e tão somente os casos escabrosos que chegaram à imprensa é que estão tendo algum tipo de resultado. E somente quando ficam indefensáveis é que os meliantes acabam saindo. Não sem antes ganharem alguns abraços e reuniões de desagravo, demonstrando que há uma grande quadrilha família tomando conta de tudo e de todos.

O PoPa está descrente na população brasileira. Os que lá estão roubando o dinheiro público, foram elevados à esta categoria por eleitores ou, no mínimo, apadrinhados por eleitos. E se a população não consegue - ou não quer - ver que a safadeza ultrapassou qualquer limite razoável (se é que existe um limite razoável para isso), é igualzinha a eles. Simples assim! Nosso povo é tão corrupto quanto os que ele elegeu para fazer o que estão fazendo. O que era para ser uma vergonha nacional, é apenas um pequeno ruído de fundo nas relações públicas...

E, para concluir, #DesencarnaLula!!!!

domingo, 14 de agosto de 2011

Ação correta, motivos errados

Pois o PoPa ficou sabendo que o prefeito de São Paulo vetou o projeto que criava o dia do orgulho heterossexual. Devia ter vetado, sim, pois é uma babaquice sem tamanho! Mas as razões foram as erradas. Segundo entrevista ao "Agora São Paulo", para ele “O heterossexual é maioria, não é vítima de violência, não sofre discriminação, preconceito, ameaças ou constrangimentos. Não precisa de dia para se afirmar”. Para ele, segundo o jornal, faz sentido que mulheres, negros e outras minorias raciais que sofreram brutalidades e ofensas tenham seus dias no calendário. “Estas datas, sim, têm sentido, pois estimulam a tolerância e a paz.”

Não, o PoPa acha que nenhuma destas datas faz algum sentido e, com certeza, nenhuma estimula a tolerância e a paz. Ou teríamos que ter o "dia do português", que é discriminado em piadas, o "dia do cadeirante", que é discriminado pela arquitetura das cidades, o "dia do palhaço", que é discriminado pois sua imagem é utilizada para fins não humorísticos, o "dia do jornalista honesto" que escreve a verdade e é discriminado pelos políticos corruptos... 

Na verdade, tirando o "dia dos pais", o "dia das mães" e outros do gênero que apenas querem promover o consumo e as vendas, todos os demais são pura bobagem ideológica, sem fundamento. Em alguns casos, inclusive, podem fomentar ainda mais o preconceito.

Orgulho hétero? O PoPa é hetero e nunca teve especial orgulho disso. O PoPa teve uma infância muito pobre e nunca se orgulhou disso. Orgulha-se de ter tido uma mãe que foi uma lutadora e também uma vencedora, ainda que pobre. Lembrando disso, temos um "dia do pobre"? Afinal, ninguém é mais dicriminado nestepaís, que os pobres. Por consequência, teríamos que ter um "dia dos ricos". Afinal, eles são minoria! E como são discriminados. O próprio ex-presidente - um novo rico - vive criticando-os. 

O PoPa propõe, então, um Dia da Elite (ou Dia do Orgulho Elitista ou, quem sabe, Orgulho Dazelites), essa esquecida classe social, discriminada em todos os discursos políticos, em todas as rodas dos politicamente corretos, em todos os rincões deste imenso País. 

O PoPa leu sobre esta notícia no blog do Reinaldo Azevedo (aqui)

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Café Solúvel, uma prioridade do governo federal...

Pois ontem o PoPa estava ouvindo a Voz do Brasil" (pois é...) e ficou sabendo que o brasileiro consome pouco café solúvel. Das 40 milhões de sacas consumidas, umas oito seriam destinadas para a produção de café solúvel. E o governo está preocupado com isso (!!!). Eventualmente, o PoPa faz compras nos supermercados da cidade e nunca percebeu que faltava café solúvel para o povo comprar. Aliás, o PoPa consome somente café solúvel e conhece várias marcas colocadas à disposição dos consumidores.

Produzir café solúvel é coisa de gente grande. A presença de pequenas empresas neste setor é desconhecida do velho PoPa, enquanto os cafés moídos tem uma enorme quantidade de micro e pequenas empresas operando Brasil afora.

Mas o governo está preocupado. E resolveu que o setor de café solúvel precisa de incentivo para aumentar sua produção! E está lançando linhas de financiamento especiais com 7,5% de juros fixos ao ano. Isso mesmo, fiel leitor do PoPa! O que você paga pelo cheque especial a cada mês (se tiver sorte, claro, pois os juros costumam ser maiores que isso), estas gigantes do setor de café solúvel vão pagar para seus investimentos a cada ano!

Esta decisão fará a Nestlé vender seus cafés solúveis mais baratos? Fará a Cacique vender seus cafés solúveis mais baratos? Todos sabem a resposta lógica. E por que raios o governo está dando incentivos a estes monstros corporativos? Por que não se dedica, por exemplo, a apoiar as micro e pequenas empresas de confecções que estão quebrando Brasil afora, por falta de condições de concorrer com os texteis chineses? Por que não dedica estes recursos que saem do orçamento da União, a melhorar as condições de nossas escolas, de nossas estradas, da nossa segurança? Investimento público é questão de escolha, pois não temos recursos para tudo que queremos e precisamos. O governo está dando sua prioridade, entre outras bobagens, para aumento da produção de... café solúvel!!! Algum dos fiéis leitores do PoPa já encontrou dificuldades na busca por seu café solúvel do dia-a-dia? Ou será que a idéia é investir em publicidade para aumentar o consumo?

Adendo: o PoPa foi buscar a informação oficial e, segundo a Resolução 3.995, de 28/07/11, publicada em 01/08, os recursos são para capital de giro! Isso mesmo, fiéis leitores do PoPa, não é para aumentar a produção ou a produtividade. É para capital de giro, para estas empresinhas do setor de café solúvel. O limite de financiamento? Pouquinha coisa: 40 milhões de reais por empresa e o pagamento é em 24 meses, com carência de seis meses. Grana boa para girar, não é mesmo? Micro e pequenas empresas brasileiras tem sorte se conseguir um capital de giro com custo inferior a 2,5% ao mês, com prazos bem mais curtos. Mas, quem manda serem pequenas?

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Gang da Matriz - Tonho Crocco

Esse vídeo é antigo. Mas virou hit nacional com a besteira do ex-presidente da Assembléia que quis censurar o artista. Podem achar que a música não é das melhores, mas é verdadeira!

Ali no alto da bronze! São 36 contra 11!

O PoPa agradece ao Cineman a lembrança.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Por que você não quer mais ir à Igreja?

O PoPa é ateu já faz algumas décadas. Depois de ter sido criado em uma família muito católica, ter sido coroinha durante algum tempo, o PoPa começou a ler e a questionar algumas coisas a respeito de religiões e comportamentos religiosos. Talvez esteja errado. Provavelmente está errado, mas não acredita mais em um ente superior que controla tudo e todos. Muito menos que este ente tenha deixado embaixadores por aqui, para falar em seu nome.

Hoje um mail de uma livraria chamou a atenção do PoPa. Um livro que custava R$ 24,90, estava custando apenas R$ 2,49! O nome do livro: Por que você não quer mais ir à Igreja? O PoPa achou que a ironia estava dada. O livro, obviamente, não vendeu nada. É um encalhe! E uma constatação...

Onde está a oposição, afinal?

Hoje um vento forte e frio varreu o Pampa e deixou o velho PoPa pensativo. O que poderia fazer com que esta terra, que já foi rica e inteligente, voltasse a um tempo de desenvolvimento e, quem sabe, um pouco sensata - para não dizer menos burra.

Com a crise americana, aprendemos que não existe, nos países ricos, essa história de "governabilidade" a qualquer custo, como vemos no Brasil. Por lá, oposição é oposição. Vão chegar a um acordo, mas deixando bem claro que é uma concessão aliada a uma necessidade de cortes nos gastos públicos. Por aqui, mantemos os corruptos para garantir seus votos no congresso. Uma vergonha absoluta e desnecessária. Afinal, quem acredita que o PR iria para a oposição, caso perdesse o seu "ganha pão" no ministério dos transportes?

Enquanto isso, aquele mesmo que dizia saber como se comportar um ex-presidente, continua ditando regras e aparecendo até mais que a presidente de plantão. Talvez ele não se considere, de fato, um ex-presidente e, por isso, não precisa se comportar como um.

Por tudo isso, o PoPa avisa aos seus parcos leitores que não está mais com disposição de escrever sobre política. Sujar o teclado com os nomes desta turma, há muito tempo que o PoPa não faz, pois considera-os indigitáveis, ilegíveis, inapropriados, indecentes, imprestáveis.

Resposta à pergunta do primeiro parágrafo: Nada
Resposta à pergunta do título: Não existe

terça-feira, 26 de julho de 2011

Somos todos "pardos"?

Pois o PoPa encontrou algumas informações interessantes sobre o IBGE e suas pesquisas. Eles consideram como raças, a cor da pele, sendo as opções brancos, pretos, amarelos, pardos e indígenas. Os pardos seriam uma mistura de qualquer destas "raças". Mas o mais interessante é que a categoria "negro" seriam todos os que não se classificam como brancos! Assim, índios e japoneses, para ficar apenas nas opções mais ridículas, estariam dentro do que o IBGE chama de negros, em suas pesquisas.

Na verdade, a grande maioria do povo brasileiro, tirando alguns rincões muito exclusivos de colonização européia ou asiática, é "não branco". E esta é a definição básica, uma vez que nós, a grande maioria dos brasileiros, que parece branco, é um mestiço quando colocado ao lado de um norueguês ou um americano branco.

Portanto, caros fiéis leitores do PoPa, somos quase todos mestiços, não brancos. O PoPa acredita que uns 80% da população brasileira se encaixa por aí. E parem de chamar mestiços de pardos! Isso é horrível!!!

Há futuro para o Brasil?

O PoPa anda meio desligado do mundo, por estes dias. Acredita que o mal, enfim, venceu o brasileiro. As notícias de corrupção já não causam estranheza, as respostas do governo a estes atos são apenas e tão somente para consumo público, uma vez que não é feita a esperada e necessária "limpeza" nos porões da corrupção.

Enquanto vemos políticos desfilando com seus afilhados corruptos e defendendo-os como coisa normal; enquanto vemos que o dinheiro público escoa pelo ralo da safadeza; enquanto vemos a educação, a segurança e tudo de mais básico que um país precisa; enquanto isso ocorre, o povo elege os mesmos que fizeram e farão as mesmas sacanagens.

Decepcionado, sim, com certeza! O velho PoPa está decepcionado com a população brasileira, na qual se inclui, pois não há como se decepcionar dos políticos que fazem o que sempre fizeram, que roubam como sempre roubaram. A diferença, atualmente, é que este roubo já não surpreende ninguém. Este roubo é até aceito por grande parte dos brasileiros. Tiraram os ladrões do ministério. E daí? Vão ser processados? Vão devolver o que roubaram? Seus corruptores serão varridos da área pública? A resposta, infelizmente, é não. Vai continuar tudo como antes...

O futuro, dirão alguns, pertence às nossas crianças e elas teriam que fazer a limpeza que não estamos conseguindo fazer. No entanto, sem uma base cultural decente, sem uma educação adequada, nossas crianças apenas farão o que fazem seus pais. Se tiverem a oportunidade de galgar cargos públicos, serão os corruptos de amanhã. Se fizerem carreira nas grandes empresas, serão os corruptores de amanhã. Se nada fizerem, serão o povo amordaçado por esmolas públicas...

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Por que o governo federal vai ficar com a grana do projeto do Porto de Porto Alegre?

Pois o PoPa estava assistindo ao Bom dia Rio Grande e escutou uma notícia, no mínimo, estranha: O projeto da revitalização do cais do Porto poderia representar a perda do status de porto para o próprio. Mas o governo federal, através de um órgão que o PoPa não sabe exatamente qual é, fez uma proposta. O governo do Estado repassaria todo o valor a receber do sistema de shoppings e tudo mais para o governo federal. EPA! Isso não está fazendo sentido para o velho PoPa! São dois milhões de reais por ano que serão repassados ao governo federal, em troca de não perder a condição de porto? Para o PoPa, isso é maracutaia da grossa ou ainda chantagem... para que se faça uma obra de melhoramento do porto de Porto Alegre, os gaúchos tem que pagar um pedágio para o onipresente governo federal.

A leitura do PoPa está errada? Há outra possibilidade? Este projeto é de autoria da prefeiitura ou do governo do Estado? Dos ocupantes autais ou dos anteriores? O Maia conhece melhor a dinâmica deste projeto e deve colocar alguma informação no blog. Mas seria interessante algum vereador ou deputado tentar saber o que se esconde embaixo desta "caixinha" preta. Dois milhões não farão cócegas no orçamento da União, mas podem fazer muita falta para Porto Alegre ou para o RS...

terça-feira, 5 de julho de 2011

Vamos vender o Pampa para os japoneses!!!

Pois o PoPa ficou sabendo de mais um terremoto no Japão. E fez uma brincadeira no Twitter, dizendo que poderíamos vender para eles o Maranhão e dar de brinde o Amapá o que, de quebra, nos livraria do "sarneyquistão"... Mas, pensando bem, acho que os japoneses ficariam melhor servidos aqui no Pampa mesmo! Desde que dessem cidadania aos atuais moradores, fechamos negócio já!

Brincadeiras à parte, temos que respeitar o povo japonês. Eles não estão se queixando das tragédias, mas trabalhando para aliviar os problemas causados. As pequenas tragédias (comparativamente, claro) que acontecem por aqui, como as inundações do ano passado, ainda estão com sequelas, ainda não foram resolvidos todos os problemas. Nosso caótico sistema de saúde - uma tragédia sem fim - ainda não tem uma resolução em curto (ou médio, ou longo) prazo, não sendo somente uma questão de grana, já que, provavelmente, vamos gastar muito mais que o necessário para isso em uma copa do mundo...

O Japão e suas tragédias naturais terá uma resolução breve. Nossa tragédia diária não parece ter fim, graças à ganância de nossos governantes e dos grandes empresários que fazem as obras para o governo. Assim, uma ponte sobre o Guaíba vai sair muito mais caro por km, que a maior ponte do mundo, feita na China. Simples. Lá, empresário ou político que faz sacanagem tem a pena de morte como "condicionador" do caráter. Aqui? Bem, aqui o pessoal diz que são aloprados, que não sabiam o que estavam fazendo...

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Grana não traz educação. Marta é a prova disso.

O PoPa viu este vídeo no Reinaldo Azevedo e trouxe para cá, para seus parcos leitores que, eventualmente, não tenham visto ainda. Mostra aquela senhora na presidência do Senado, fazendo o que faz melhor, ser mal educada e grossa. É a prova viva que nascer em berço de ouro não garante boa educação para ninguém.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Chávez e a moderna medicina cubana

Pois as coisas estão complicadas para o caudilho. Em Cuba, onde muitos afirmam existir uma medicina de ponta, Chávez está sendo tratado por um médico espanhol e outro que, apesar de cubano, trabalha em Miami. As informações sofrem de muita influência e Chávez nada está fazendo para diminuir as fofocas. Sabe-se que ele foi operado e só.

O PoPa não se importa com o que acontece e acontecerá com Chávez. No entanto, com a Venezuela é diferente. Se ele morrer, o que acontecerá por lá? Às vezes, o ruim pode ficar ainda pior, se não houver uma transição adequada. Este é um risco real e imediato. O PoPa prefere que ele saia de Cuba e vá morrer aos poucos na Venezuela, dando tempo para que o país aceite e se prepare para a transição.

O Pacotarso e suas implicações

O PoPa tem acompanhado as discussões sobre o pacote de aumento de impostos proposto - e aprovado - por Tarso. Na situação em que se encontram as finanças do Estado, alguma coisa deveria ser feita, claro. E a ex-governadora tentou várias vezes, todas elas rechaçadas pela turma que hoje aprova sorridente e realizada, as mesmas - ou piores - alterações.

O PoPa sabe, por exemplo, que a previdência do Estado está falida. Sabe que sai das contas públicas, os valores necessários para pagar os atuais aposentados. Claro que nem poderia ser diferente, afinal, são aposentados do Estado e ele deve pagá-los. Mas existem diferenças enormes entre estes e os aposentados "normais", da iniciativa privada. Estes recebem uma parcelinha do que recebiam e sofrem, ano a ano, cortes brutais em seus rendimentos. Os funcionários estatais, ao contrário, pouco contribuem e recebem o seu provento integral e corrigido igualzinho aos que ainda estão na labuta. Sim, o PoPa considera correto que eles recebam. Errado é o empregado da iniciativa privada não receber o mesmo também, não ter o mesmo reajuste do salário mínimo, que serviu de parâmetro em toda a sua vida de contribuição.

Mas fazer um aumento aleatório da cobrança da participação dos funcionários, é enterrar - por um bom tempo pelo menos - a possibilidade de fazer uma reforma decente na previdência do Estado. Sem um plano autuarial, como saber se isso que se aprovou seja suficiente? O PoPa leu que um dos deputados da base disse saber de um cálculo autuarial feito esta semana... alguém tem idéia do que é um cálculo autuarial? Não é coisa para ser feito em alguns dias! É de grande complexidade e precisa abarcar todo o universo de contribuintes nos mínimos detalhes. Logo, este falado cálculo não deve ter sido feito.

O PoPa acredita que as alíquotas de desconto devam ser recalculadas. Qualquer um sabe que estão defasadas, porque o Estado não tem recursos autossuficientes para pagar os aposentados atuais, que dirá os futuros. Mas sabe, também, que isso deveria vir apoiado em um estudo sério e definitivo. Afinal, em um ou dois anos, estaremos novamente discutindo aumento de alíquotas. Ou não... parece que no pacotarso tem uma pegadinha com os que ganham menos. Não é que não houve aumento da alíquota, existe um redutor de mesmo tamanho o que quer dizer que poderá ser retirado sem que precise passar pela Assembléia. Portanto, funcionários, preparem-se. Quando a poeira baixar, este redutor poderá ser reduzido ou retirado. Simples e sem barulho.

domingo, 26 de junho de 2011

Mais sigilos - nuncaantes... II

A listagem do PoPa não ficaria completa sem os que cabularam a importante sessão que definiu a sacanagem das contas secretas da Copa (O PoPa ainda tem esperança que a Fifa tire a Copa do Brasil...):

Bohn Gass, Henrique Fontana, Paulo Pimenta e Pepe Vargas (PT); Manuel D´Ávila (PCdoB); Enio Bacci (PDT); José Otávio Germano e Renato Molling (PP).

De uma certa maneira, estes ainda são mais culpados que os que votaram explicitamente, uma vez que se esconderam em uma das votações mais importante do ano. Se não estiveram morrendo em um hospital, não há razão para a falta...

E o povo vai continuar sem saber que os gastos desta copa poderão superar 100 bilhões de reais, grana que faz falta para a saúde, para a educação, para a segurança. O que não daria para fazer com toda essa grana? E o PoPa fica pasmo com gente querendo ampliar a capacidade das emergências de Porto Alegre para atender à Copa! Como assim? Precisa ampliar já, para atender a população brasileira! Os nativos, que não tem direito a uma saúde decente, mas que vão bancar um evento mundial, absolutamente sem ter condições para isso. E, de quebra, deixar muita gente rica. Muito rica.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Sigilo de fronteira - bobagens que viram problemas

Houve um tempo em que os vizinhos se respeitavam. Houve um tempo em que o correto era o correto e o errado era o errado. Houve um tempo em que a corrupção e os interesses particulares eram a excessão. Houve um tempo em que o Brasil era um país sério, comandado por gente séria. O PoPa tem pensado sobre vizinhos, desde que o Brasil começou a pagar por ser um pouco maior que o Paraguay e a Bolívia, principalmente.

O PoPa leu, hoje pela manhã na ZH, que os ministérios das relações exteriores e da defesa são contra a abertura de documentos classificados como ultrassecretos. O problema começa a complicar quando, na tentativa de justificar o sigilo eterno, alegam que o Brasil teria tido práticas ilegais e até imorais na definição das froteiras, especialmente na compra do Acre à Bolívia.

Bem, o Brasil já "presenteou" a Bolívia com uma instalação de petróleo e gás, ao não contestar o roubo dos bens da Petrobrás naquele país. Recentemente, o governo de lá resolveu "nacionalizar" todos os carros roubados do Brasil. Agora, com estas declarações, está aberta a negociação para mandar mais grana para lá, em função das ações "ilegais e imorais" do Brasil na compra do Acre.

Não demora nada, e vão começar a dizer que o Brasil prejudicou o Paraguay naquela guerra imbecil em que os paraguaios se meteram, querendo invadir seus vizinhos, para conseguir um acesso ao oceano. A história,  mesmo no Brasil, é contada de maneira a dar razão aos paraguaios...

Com isso tudo, não resta outra saída a não ser divulgar os tais documentos pois, como está colocado, a Bolívia pode requerer alguma indenização, já que está sendo dito que fomos os malvados da negociação. E, a seguir, os paraguaios, uruguaios, venezuelanos e sabe-se quem mais, vão querer uma fatiazinha brasileira. Ou uma graninha para aplacar a culpa.

O PoPa, no entanto, acha que deveríamos devolver o Acre à Bolívia, claro que junto com todos os que são de lá, inclusive os deputados, senadores, prefeitos, empresários. Nasceu ou mora por lá, é estrangeiro!

sábado, 18 de junho de 2011

Mais sigilos - nuncaantes...

Esta é a listagem dos gaúchos que ajudaram a aprovadar a MP527/11, que cria o tal regime diferenciado de contratações para a copa e as olimpíadas. Uma maravilha de ação política, cujos resultados provavelmente nunca saberemos. O governo federal usa e abusa de medidas provisórias para legislar sobre o que bem ententde. este assunto já esteve para ser votado em outras medidas provisórias, no velho estilo escondido. Desta vez, estava em uma mp que cria a secretaria da aviação civil... Veja aqui, a relação completa, dos deputados do Brasil todo.

Afonso Hamm, Alceu Moreira, Alexandre Roso, Assis Melo, Danrlei De Deus,
Fernando Marroni, Giovani Cherini, José Stédile, Luiz Noé, Marcon, Mendes Ribeiro Filho, Osmar Terra, Ronaldo Nogueira, Ronaldo Zulke, Sérgio Moraes, Vieira da Cunha e Vilson Covatti.

Os que não aceitaram a sacanagem explícita, são os seguintes: Darcísio Perondi(PMDB), Luis Carlos Heinze(PP), Nelson Marchezan Junior(PSDB) e Onyx Lorenzoni(DEM).

Pensa nestes nomes, ao colocar teu voto na urna, nas próximas eleições.

O pior foi ler a explicação do ministério do esporte, de que isso evitaria conchavos, pois as empresas não saberiam os valores... ou são simplórios ou acreditam realmente que o povo é otário! Conchavos, em ilicitações como as que estão por vir, são feitos entre os participantes. E, entre estes, nunca vai existir sigilo!

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Sigilo eterno...

Parece estranho que Sarney esteja querendo o sigilo eterno? Lembrem-se que, em três anos, estaremos completando 50 anos da contrarrevolução militar, que desbancou os que pretendiam instalar um regime comunista no Brasil. Documentos da época irão mostrar quem estava na primeira fila para fazer uma ou outra coisa. Ou tentar implantar o regime comunista, ou aliar-se aos militares para impedir isso.

Uns e outros estão do mesmo lado, atualmente. A nenhum destes interessa que o Brasil saiba a verdade. Mas, aos brasileiros, o que interessa?

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Para que o Ministério da Pesca? O PoPa descobriu!

Pois o PoPa ficou sabendo, neste final de semana, que o Ministério da Pesca está querendo impedir as mulheres dos pescadores de receber o seguro defeso. Este seguro é para garantir a sobrevivência destas famílias, durante o período obrigatório de defeso, ou seja, nos meses em queeles não podem pescar. Sempre as mulheres dos pescadores receberam o benefício, por um motivo muito simples. Elas também trabalham na pesca, limpando os peixes, acomodando as redes, cuidando das coisas enquanto os maridos estão na lagoa, pescando.

Agora o PoPa já sabe para que foi criado o Ministério da Pesca. Para ferrar com os pescadores, já que a captura e produção de pescado não aumentou em absolutamente nada, desde a criação desta barbaridade política e burocrática. Bem, também serviu para dar emprego à mulher do terrorista "padre" Medina, das farc. Sabe como é, neste caso, a mulher garante o sustento, não é a mesma coisa que mulheres de pescadores.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Era Gleid!!!

Conversa do cara com a guria: Pô muié, eu disse para colocar um gleidi aromatizador para tirar o fedor da casa!

Pô Palocci, não aguentou uma pressãozinha?

Pois o PoPa espera que a saída não signifique que a investigação pare. O povo (?!?) espera que fique bem claro que não houve tráfico de influência. Se houver, que seja punido, mesmo que não continue como ministro.

Claro que a "consultoria" vai voltar com toda força, faturando horrores.

Vamos ver em que pizza isso vai acabar...

Fica Palocci!

O PoPa acabou de ler na ZH, que o procurador não encontrou - com trocadilho, claro! - nada para processar Palocci. Então, é provável que a guria presidente mantenha o cara no cargo. Bem, o PoPa aprova isso, pois ela vai estar seguindo as orientações do ex-cara que, quando foi a vez dele, não conseguiu manter o Palocci no cargo.

Bem, o PoPa cansou de ter um governo fazendo bobagens e uma oposição que quer "garantir a governabilidade". Bobagem! O que o Brasil precisa, é uma oposição que não permita o crescimento deste governo, que dê uma oportunidade a outras correntes de pensamento assumirem as rédeas do nosso País. O que o PoPa quer, é uma oposição como a que foi feita pelo petê durante tanto tempo, mesmo quando as coisas eram corretas. O PoPa quer que Palocci fique, pois o governo ficará à mercê dos corsários parceiros e a "governabilidade" vai para o saco!

Fica, Palocci!

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Os bombeiros do RJ

Por mais que o PoPa não goste do governador do RJ, por mais que acredite na posição dos bombeiros e policiais daquela terra maravilhosa de que trabalham em condições precárias com baixos salários. Por mais que seja justa a reivindicação deles para melhorar tudo isso, o PoPa não pode deixar de registrar que não concorda com a ação de invasão do quartel pelos manifestantes.

Fazendo isso, passaram de manifestantes para amotinados o que, pelo código militar, é grave falha de conduta. Mas, mesmo que não fosse, não é correto usar de força para dobrar o estado empregador. Neste episódio, erraram os bombeiros e seus líderes.

Uma lástima, pois suas reivindicações justas acabaram ficando em segundo plano, face o ocorrido.

sábado, 4 de junho de 2011

Casal de Homens?

Em suas leituras matinais, o PoPa leu, no jornalzinho da terra, uma manchete, em letras garrafais, afirmando que um "casal de homens consegue primeira adoção por meio do MP". O fato é louvável, pois eles adotaram uma criança em situação de risco e ela já está plenamente incorporada à nova família e indo à escola. Mas 'casal de homens', convenhamos, é estranho. No entanto, o PoPa foi procurar nos dicionários mais recentes e encontrou a explicação politicamente correta, além do 'par formado por macho e fêmea': "Conjunto de duas pessoas que têm uma relação sentimental e/ou sexual". O PoPa não entendeu a separação do "sentimental e/ou sexual", mas aceitou o registro.

Mas ficou pensando sobre outras situações onde há casais - os tradicionais - envolvidos e que podem ser tão estranhas quanto esta. A Bíblia conta que Noé colocou um casal de cada espécie na sua arca e embarcou com sua família. Se a Bíblia não é o livro metafórico que o PoPa acredita que é (e muitos estudiosos dela afirmam o contrário), então as espécies que estão por aí, inclusive a humana, foram fruto de relações incestuosas. Aliás, também o seriam se Adão e Eva fossem a origem do homem. Eles tiveram dois filhos, Caim e Abel, um morto pelo outro. Seriam um 'casal', um crime passional, já que a outra única opção diferente seria a mãe? E como a humanidade cresceu a partir de um único casal? O que leva a outra indagação lógica: Adão e Eva tinham umbigo?

Enquanto isso, o "pobre" Palocci está agarrando-se desesperadamente ao seu cargo mal remunerado, onde pretende seguir defendendo a nação brasileira. Por que não entendem isso? Não percebem que ele largou uma milionária atividade para dar seu tempo ao povo brasileiro? Bah, sábado é dia de falar bobagem...

sexta-feira, 3 de junho de 2011

The Grand Rapids LipDub (NEW WORLD RECORD)

Uma cidade foi declarada "moribunda" pela revista Newsweek. Em resposta, os habitantes da tal cidade - Grand Rapids - fizeram uma passeata, pacífica e fantástica, cantando a música tema do "American Pie". Uma demonstração de que mesmo críticas negativas podem resultar em coisas boas e interessantes. Uma prova de que nós, brasileiros, podemos sair às ruas, cantando pela saída dos corruptos do poder? Talvez nem tanto, mas uma faisquinha de esperança se acendeu no peito do velho PoPa!

Assistam. Vale a pena! E bom final de semana!



A reportagem original da Newsweek: http://www.newsweek.com/2011/01/21/america-s-dying-cities/grand-rapids-michigan.html

quinta-feira, 2 de junho de 2011

A Crise Palocciana

O governo tem enfrentado problemas sérios nos últimos tempos. Apesar do esforço feito por oposicionistas e governistas, não se conseguiu produzir um escândalo grande o suficiente para superar o que o PoPa chama de "crise palocciana". A declaração do mais importante executivo do governo na área dos transportes rodoviários, de que deveriam "queimar as praças de pedágio" de determinada estrada, não foi levada adiante. "Os livro" deram até uma estremecida nas mentes mais esclarecidas, mas ficou por isso mesmo. A operação abafa do "kit gay", feita pela presidente, também não resultou em grande impacto. Até o presidente do Senado tentou criar um fato impactante, com o sumiço do impeachment do, agora amigão, Collor. Voltou atrás, pois a onde criada não surtiu o efeito necessário para reduzir a crise palocciana.

O povo está anestesiado completamente. Apenas coisas muito sérias podem resultar em alguma reação. Na verdade, o povo não quer saber nem da crise palocciana! Há uma guerra por espaços políticos dentro do próprio governo, e o ministro ocupa um dos espaços mais cobiçados. Com a saída dele, "o cara" teria sua influência reduzida drasticamente, já que é ali que se tomam todas as decisões mais importantes para o País. Apenas na semana passada, a oposição começou a ver que esta crise poderia render algum fruto positivo para eles. Mas, mesmo assim, alguns dos expoentes oposicionistas vieram a público dar seu aval à honestidade do ministro.Afinal, a quem interessa mesmo a saída de Palocci da Casa Civil? Certamente não é à oposição. Pelo menos, não esta oposição babaca que temos no Brasil.

O PoPa acreditava que Palocci estaria fora do governo esta semana. Como nada disso aconteceu, é possível que a influência do "cara" ainda esteja forte em seu próprio partido e tenha dado um basta à cobiça interna. A oposição não vai conseguir muita coisa, além de um pouco de fumaça. E se conseguissem? Seria mais ou menos como o cachorro que persegue o carro. E se conseguir, faz o quê?

Hoje é quinta feira, provavelmente não existam mais políticos trabalhando em Brasília... Terça feira vamos ver o que acontece. Vai depender mais do que a imprensa publicar do que da ação deste povo. E a imprensa está fazendo o que pode, divulgando as safadezas. Mas, como o PoPa já sabe, o povo está anestesiado. Vai ser preciso uma catástrofe para obter alguma reação.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Vamos Queimar!

“Qualquer coisa vamos queimar a praça de pedágio”. As palavras podem soar até interessantes, se ditas por um estudante, um humorista, um desmiolado. Mas soam muito estranhas quando saem da boca de uma autoridade. Esta frase foi dita pelo diretor geral do Dnit, que deveria cuidar da segurança das estradas e não incitar um crime. E quem seguir a sugestão do meliante, como ficará? E não basta dizer que a estrada que ele se referia precisa ser duplicada e que a concessionária não está fazendo seu serviço. Ele é parte do problema, pois deveria fiscalizar o contrato e, se necessário, cassar a concessão. Fazer o que fez, torna-o apenas um funcionário público infrator.

O PoPa leu esta notícia no G1, mas já é de conhecimento público e notório. A próxima notícia sobre este gajo, o PoPa espera que seja a respeito de sua demissão. 

G1 - “Qualquer coisa vamos queimar a praça de pedágio”. Esta foi a declaração do diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit), Luiz Antonio Pagot, em uma reunião com prefeitos, deputados federais e lideranças, em Cascavel, no Oeste do Paraná.

terça-feira, 31 de maio de 2011

Sem assunto

Hoje pela manhã, o PoPa estava assistindo ao Bom Dia Brasil e ficou pasmo com uma entrevista realizada com o governador de Goiás que declarou, com todas as letras, que o estado não tinha condições de prover segurança, estudo e a infraestrutura necessária em suas próprias cidades. A reportagem era sobre cidades localizadas próximas de Brasília que a população de lá chama de "terra do nem", nem Goiás, nem Brasília.

Coisa simples de resolver! Se Goiás não tem condições de atender seus próprios habitantes, que entregue esta faixa de terra para o Distrito Federal, já que é de lá que seus moradores tiram seu sustento. O PoPa não admite choro de governo, seja ele qual for. Se está lá, é para prover o necessário para que seu povo tenha o mínimo de infraestrutura. Está lá na hora de arrecadar, está lá na hora de reprimir. Tem que estar lá na hora de dar segurança, saúde, educação!

Em outra reportagem, o programa falou sobre as comunidades "pacificadas" no Rio de Janeiro. Ali a coisa é ainda mais complicada, pois estas comunidades cresceram sem a presença do Estado, encontrando-se em um caos urbano absurdo. Solução por ali seria a retirada de mais da metade dos habitantes para que o restante pudesse ter um mínimo de segurança. E não é só segurança policial, mas segurança completa, com coleta de esgoto, lixo, água, ensino e saúde, ruas decentes, casas que sigam padrões básicos de construção, comércio legalizado, etc. O mínimo que nunca será alcançado com as atuais políticas de governo. Ou aquele povo tem cidadania completa ou nunca existirá como tal!

E o PoPa fica pensando nas tais ongs que querem acabar com a produção do campo. Nas que fizeram os índios de Roraima irem morar em lixões e favelas por não terem mais trabalho no que é hoje a tal reserva Raposa Serra do seilá o que. As ongs que "lutam" contra o Código Florestal tem qual interesse, afinal? Fazer com que o Brasil retorne à época do descobrimento em termos de florestas? Por que isso não funciona nos EUA, na Europa e nos outros países ditos civilizados? Afinal, a maioria destas ongs é de lá, embora recebam polpudos valores de nosso próprio governo...

Esse é um País interessante. O presidente do Senado acabou de retirar do chamado "túnel do tempo", um corredor que liga o plenário e os gabinetes, as referências ao impeachmant do Collor, sob a alegação de que aquilo não deveria ter acontecido na história do Brasil. Legal, vamos apagar tudo que não deveria ter acontecido no Brasil. Vamos apagar a gênese do petê, por exemplo, a criação do Amapá que só serve para manter esta figura como senador. Vamos apagar a história da escravidão porque afinal, nunca deveria ter acontecido! Melhor - e mais simples - é apagar certos políticos de nossa história. Certas histórias de nossos políticos vão continuar nos atormentando por muito tempo. Como esta, do político que prestou enormes serviços ao regime militar e seguiu prestando enormes serviços ao governo esquerdista do petê.

Sem assunto? Esses políticos brasileiros nunca deixam o velho PoPa sem assunto... sem saco para criar um título, talvez!

sábado, 28 de maio de 2011

Código Urbano. Por que não?

Desde os tempos da faculdade de agronomia, que o PoPa ouve muita coisa a respeito da Amazônia. Uma delas ainda está na memória do velho: seria mais rentável catar as castanhas nativas que simplesmente desmatar tudo e colocar pasto no lugar. Tem lógica! Existem várias árvores de castanha em cada hectare da floresta e muitas árvores que não tem interesse madeireiro, pelo menos naquela região. Assim, os desmatamentos fazem a riqueza imediata dos que estão apenas extraindo a madeira, mas os que querem ficar na região não teriam recursos perenes para sua sobrevivência.

O que acontece, então? Os madeireiros não são proprietários de terras. Eles avançam nas áreas públicas ou negociam com quem tem terra e é levado aos ganhos rápidos proporcionados pela venda da madeira. Ficam com uma área desmatada que poderá ou não prover seu sustento futuro. É um problema de difícil - mas não impossível - solução.

Uma delas, seria a existência de um plano de uso da floresta, com a definição exata de quais árvores poderiam ser cortadas. Parece contraditório, mas isso poderia garantir a preservação da floresta, uma vez que ela é composta de seres vivos - as árvores - que tem um ciclo de vida finito. Algumas árvores extraídas anualmente de cada lote, poderiam permitir uma exploração racional e duradoura da floresta. Isso, claro, não interessa aos madeireiros, que precisariam investir para este tipo de exploração. Mas, com os recursos que poderiam ser cobrados pelo Estado para esta finalidade, poderiam existir redes de fiscalização muito mais efetivas na região.

O Rio Grande do Sul, por exemplo, tem uma política de caça bem definida. Embora o PoPa abomine a caça de animais selvagens, admite que a política é bem feita, pois também possibilita uma fiscalização mais rigorosa. Então, paradoxalmente, o único estado que permite caça, é também o que menos se caça.

Legislações protecionistas, apesar de sua boa intenção, nem sempre apresentam o resultado esperado. Outro exemplo clássico é a exagerada proteção que as figueiras têm no RS. São consideradas patrimônio estadual. Bem, como não há possibilidade de corte destas árvores, nenhum produtor rural permite que uma mudinha desta árvore se desenvolva em seus campos... quando a última das velhas figueiras morrer, o que restará ao Estado? Controle é necessário, sim, mas a intransigência tem seu preço. E este preço, ao contrário do que a lei espera, é acabar com as espécies protegidas.

Portanto, o PoPa olha com um pouco de apreensão as opiniões que se sucedem quanto ao novo Código Florestal. Opiniões cheias de boa vontade e boas intenções. Mas que podem resultar em uma produção primária mais cara e complicada, com custos que serão repassados ao povo em geral.

Quando se faz uma análise mais acurada da situação da poluição brasileira - e do resto do mundo - verifica-se que o grande problema encontra-se nas cidades, nos esgotos não tratados, nas indústrias poluidores, na impermeabilização do solo, no lixo em geral. E onde estão os defensores do planeta para responsabilizar os políticos que mantém este tipo de coisa? Por que não se faz um Código Urbano, onde se responsabilizem todos pela produção e controle do lixo, dos esgotos, da emissão dos veículos, do uso das encostas e margens de rios, da poluição em geral? Sim, existem algumas ações e tentativas nesta direção mas que, comprovadamente, são ineficientes ou insuficientes.

Portanto, o PoPa lança um desafio aos moradores dos grandes centros: tua cidade está fazendo alguma coisa pelo meio-ambiente? E não é só a frescurinha de separar o lixo, juntar pilhas, tentar barrar sacolinhas plásticas... é fazer o que realmente interessa, que é tratar os esgotos (no caso de algumas cidades, até mesmo a coleta destes esgotos está longe de ser adequada), controlar as emissões veiculares, dar um tratamento adequado à drenagem urbana, ter total controle do lixo urbano, hospitalar e industrial. A lista é imensa e não está nem perto de ser lembrada ou tratada com a gravidade que merece. Se temos políticos que não se interessam por isso, é porque temos eleitores que nem sabem o que é isso!

terça-feira, 24 de maio de 2011

Código Florestal

Pois o PoPa está tentando acompanhar a votação do Código Florestal, na Câmara dos Deputados. Já leu sobre ameaças de veto da presidente, se acaso o Código anistiar desmatadores. Mas ela não leu o que está sendo votado? Anistia, só para o que foi desmatado antes de 1988 o que, aliás, já foi anistiado pelo ex-presidente Lula, por decreto.

O assunto é motivo de muita polêmica, principalmente porque muita gente não leu o conteúdo do que está sendo proposto e aí temos artistas, manifestantes e toda classe de gente dizendo o que pode e o que não pode. Ongs estrangeiras estão fazendo uma enorme pressão, ao mesmo tempo em que não fazem pressão em seus próprios paízes. Afinal, o Brasil é o único país no mundo, de grandes dimensões, que manteve intacta boa parte de sua cobertura vegetal. Está sendo penalizado por isso! Os americanos destruíram toda sua floresta, restando alguns parques espalhados por lá. Não vemos estas mesmas ongs brigando com Obama, por exemplo!

Também não vemos estas mesmas ongs trabalhando para reposição de mata ciliar em rios e córregos dentro das cidades! Afinal, por que somente o campo deveria ser responsabilizado? Por que as cidades seguem poluíndo sem nenhum controle, assoriando rios e lagos sem que isso seja contestado? Mata ciliar no Tietê, já!

O que o Código proposto pretende, é manter a produção de alimentos nas áreas que atualmente já são utilizadas para isso. Não permite novos desmatamentos e, pelo contrário, prevê a recomposição de áreas tidas como sensíveis.

Há, sim, grandes interesses na não aprovação do Código Florestal. Entre estes interesses estão os verdadeiros desmatadores da Amazônia. Enquanto esta discussão anda, eles desmatam. Já foi constatado isso e o imobilismo do governo federal diz muito sobre o que está acontecendo. Com a legislação atual, estes desmatadores poderiam ser punidos. Com a que se está tentando, também. Qual a diferença? Talvez uma nova lei seja mais fiscalizada, mais conhecida, mais discutida... Quem realmente não quer isso?

domingo, 22 de maio de 2011

Governo do Mato Grosso e Ministério do Meio Ambiente admitem crime!

Em suas leituras matinais, o PoPa andou lendo uma estranha matéria no Estadão. Sob o título "Documento liga Código Florestal a aumento de desmate na Amazônia", o jornal revela que o secretário do Meio Ambiente de Mato Grosso, Alexander Torres Maia, afirma que tais desmatamentos se derem por conta da discussão do Código Florestal. EPA, as atuais leis já são suficientes para barrar novos desmatamentos. Aliás, são até mais rígidas que o proposto Código Florestal.

O jornal segue ainda, com a declaração da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, que confirmou o recebimento do ofício. Ao anunciar que as áreas de alerta de desmate produzidas por imagens de satélite haviam mais do que quintuplicado em março e abril, em relação ao mesmo período de 2010, Izabella preferiu não apontar eventuais responsáveis. Caberia ao gabinete de crise, segundo ela, identificar as causas. Errado, Ministra! Cabe aos órgãos do governo responsáveis por isso. Ministério do Meio Ambiente entre eles! Ibama, Governo do Estado e outros. Afinal, como isto está acontecendo somente neste estado?

O Código Florestal, ainda segundo o jornal, poderá ser vetado em parte ou até integralmente pela presidente, segundo o líder do governo na Câmara. Vai sonhando, Vaccarezza!