sexta-feira, 4 de novembro de 2011

A extrema pobreza gringa ganha mais que o salário mínimo brasileiro...

Em suas leituras matinais, o PoPa ficou sabendo que um em cada 15 gringos apresentam pobreza extrema, sendo a maioria destes pobres, hispânicos. A regra é simples, quem ganha menos de US$5.570,00 anuais ou US$11.157,00 para famílias de quatro pessoas, é extremamente pobre. A notícia fala que esta situação ficou pior nos últimos anos.


Bem, vamos fazer um pouco de conta. O valor da pobreza extrema dos gringos, é superior em 35% ao salário mínimo brasileiro, considerando-se o 13º e sem descontos de inss e vale transporte. Coisa louca! Nos padrões gringos, a pobreza extrema brasileira seria muito maior do que o nosso governo pretende que seja. E olha que o custo de vida por lá é bem inferior ao nosso. Bananas são mais baratas em Nova Iorque que em Porto Alegre...

Mas o PoPa apenas lembrou-se de fazer este cálculo para confirmar o que sempre soube... os gringos são sérios nestas questões de censo e estatística. Não alteram as linhas de miséria como fizeram aqui, recentemente, para tirar gente do fundo do poço. Não aumentam o "pacote de bondades" para que se tenha a impressão que a pobreza é um pouco menor. Talvez por isso, o cara tenha ficado puto da vida com o resultado do PNUD, que colocou o Brasil ainda na cola dos países subdesenvolvidos do mundo, em 84º lugar. Ao demonstrar seu inconformismo, alegando que muito fizeram para melhorar a vida do brasileiro, não deu-se conta - ou sabe, mas fez-se de bobo - que outros países aproveitaram muito mais a boa maré que a década passada ofereceu ao mundo. Aqui, a onda de desenvolvimento que varreu o mundo inteiro, melhorou um pouco a vida da população, mas não foram feitas obras de infraestrutura, não foram feitos investimentos de longo prazo e roubou-se como nunca!

O cara voltou ao pódio. De onde nunca saiu, na verdade...

Um comentário:

CINEMAN disse...

Imagina o que fazem com os coitados dos burocratas do IBGE e outros avaliadores nacionais.