segunda-feira, 30 de julho de 2007

Ontem e hoje

Ontem (2002):

A CUT combate o projeto (flexibilização da CLT) com vigor porque está 100% certa de que ele abrirá janelas para que os trabalhadores percam conquistas históricas, nascidas no governo de Getúlio Vargas. Contudo, a cúpula da entidade reconhece que sua posição também pode render votos aos candidatos da oposição. ‘‘Na medida em que a franca maioria do povo entender que as mudanças na CLT são ruins, levarão vantagens nas urnas líderes populares que são contra essa farsa, como o Lula, Ciro Gomes e Garotinho’’, comenta João Felício.

Hoje (julho/2007):

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou, durante discurso no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), as discussões sobre reforma trabalhista. Segundo o presidente não é possível continuar, de uma lado, os empresários querendo rasgar a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e fazer tudo de novo, e do outro, os sindicalistas querendo manter a CLT e querendo acrescentar algo mais nela.

"Não dá acordo", afirmou Lula, acrescentando que não é possível que o ex-presidente Getúlio Vargas tenha tido a onipotência de, em 1940, fazer uma lei que permanece até hoje, sem nenhuma mudança. Lula disse que é preciso trazer a legislação trabalhista para a realidade atual, principalmente em função das mudanças ocorridas no setor de serviços. "Não temos que ter medo de discutir qualquer reforma", afirmou o presidente, lembrando que o Fórum da Previdência está discutindo mudanças na legislação. "Não sei onde vai dar, mas vai dar em alguma coisa", afirmou. (agencia Estado)

PP: Segundo a ZH de hoje, o acordo entre governo e oposição diz para não falar em "flexibilização". Ok! Vai dar alguma coisa... papo sério de governo, não?

5 comentários:

david santos disse...

POR MUITO QUE CUSTE A MUITA “BOA” GENTE, NÃO VAMOS DEIXÁ-LO ESQUECER.

Esta semana venho incomodar todos os blogues brasileiros. E por quê? Porque não quero que esta data fique esquecida. Mas que data? Pois é, é mesmo isso! Este ano, de 2007 faz 160 “cento e sessenta anos”, que nasceu um grande vulto da poesia brasileira. Quem foi?
Faz também este ano, 2007, 136 “cento e trinta e seis anos” a data do seu falecimento.
Quem foi?

Eu não devia ajudar nada, mas vou-vos dar um cheirinho: “Espumas Flutuantes”, Salvador da Bahia, 1870.

Quem souber, pode deixar a resposta no meu último poste.
Quem não souber, tenha a dignidade de perguntar no mesmo local. Pois aprender não enche barriga nem mata miolo.

David Santos

CINEMAN disse...

Fernando Pessoa puro: "- Não sei onde vai dar, mas vai dar em alguma coisa"

Pobre Pampa disse...

O PP já respondeu ao portuga David Santos: Castro Alves é a figura que estaria fazendo 160 anos se fosse viva (hehehe, não resisti!!!).

CINEMAN disse...

Valeu a pena receber esta medalha Zuanazi?
- Tudo vale a pena quando a alma não é pequena.

Anônimo disse...

E a tia do Fernando Sabino dando uma esperança para o Lula:
- No fim tudo vai dar certo.
- Mas a companheirada só tá fazendo trapalhada, já tão até me vaiando, até no Nordeste me vaiaram. Tá tudo dando errado.
- É que não chegou no fim ainda meu filho.