domingo, 2 de março de 2008

Quem ganhou

O PoPa é um leitor frenético de LFV. Aprecia sua inteligência e facilidade de transmitir emoções através de poucas palavras. Alguns podem até estranhar esta predileção do PoPa, pois LFV é um reconhecido admirador - até mais que isso, seguidor - de Lula do PT. Mas ele tem tentado escrever de maneira um pouco distanciada destas coisas todas que acabaram acontecendo ao redor de Lula do PT. Na sua crônica deste domingo (clica aqui para ler na íntegra), ele fala sobre as coisas que aconteceram na história e que nem sempre o foram da maneira como se esperava à época. O último parágrafo é sintomático:

Uma outra história parecia estar se desenhando nos loucos anos 20 do século passado, quando várias liberdades novas começavam a ser experimentadas. Mas a "era do jazz" acabou sendo a do crescimento do fascismo e de outras formas liberticidas. Nos fabulosos anos 60, as drogas, o sexo e a comunhão dos jovens pela paz e contra tudo que era velho também anunciavam uma outra história, mas a que ficou, a que ganhou, foi a do conservadorismo de Nixon, de Margaret Thatcher, dos generais daqui, etc. Sua alternativa, em vez de "História", só mereceu como rótulo a frase mais triste de qualquer língua: o que poderia ter sido.

Para o velho PoPa, aquele "etc" diz tudo... o que poderia ter sido... o cara é gênio até para se retratar! hehehe

4 comentários:

CINEMAN disse...

Eu tenho uma teoria que eu chama a Teoria do Baú. Erico Verissimo foi um grande escritor, eu li praticamente tudo que ele escreveu e só não gostei do O Tempo e o Vento. Minha teoria é que o Érico escreveu uma porção de coisas que ele achava uma literatura menor. Crônicas, historinhas que ele achava que não ficava bem para um autor do seu porte publicar. Mas ele escrevia e escondia em um baú. Quando ele morreu o Luiz Fernando encontrou o baú e ali estavam o Analista de Bagé, a Velhinha de Taubaté e todos os outros. Luiz Fernando viu que tinha uma mina nas mãos. Publicou tudo e foi um sucesso total. Acontece que faz algum tempo o baú secou. Dai não ter surgido mais nenhum personagem interessante e ele nem conseguir contar uma história com os antigos. Quando a situação política pedia historinhas da Velhinha de Taubaté ele foi obrigado a matar a velhinha. Mas é apenas uma teoria.

Ricardo Rayol disse...

Só acredito vendo ao vivo.

tita coelho disse...

Popa, não leio LFV...Para falar a verdade, já li algumas vezes, mas...Sabe como é né...
beijos

PoPa disse...

Cineman, a teoria é ótima e até faz um certo sentido! O cara decaiu bastante nos últimos anos, mas podemos deixar isto por conta da vida mansa que ele leva!

RR, é difícil para alguém como ele, reconhecer que errou dando tanto apoio ao Lula e ao PT.

Tita, ele escreve muito bem - ou, segundo a teoria do Cineman, nem tanto. Gosto de ler o que ele escreve, pois são textos bem curtos e interessantes. Quando escreve falando em política, realmente é um desastre...