domingo, 4 de janeiro de 2009

Puxa-saquismo...

O termo tem ou não o hifen? (hifen continua ou não com acento?). O PoPa ainda está perdido com a novilíngua portuguesa que serve apenas para deixar os editores de dicionários e livros textos um pouco mais ricos...

Mas o troféu de maior puxa-saco destepaís deve ir para o prefeito de Recife. Ele construiu um parque (ótimo!) com projeto do Oscar Matuzalem e colocou o nome, vejam só, da mãe de Lpt!!!! Aquela mesma que, de acordo com o filho, nasceu analfabeta...

Mesmo sendo uma santa (tem que ter sido, pois aguentou uma cambada de filhos iguais ao precioso), onde está a coerência para ser nome de parque? Aliás, este tipo de homenagem deveria passar pelo crivo da população e deixar de usar nomes de pessoas que tenham morrido há menos de 100 anos, quando a história já teria definido quem mereceria ser citado. Dona Lindu? Quem a conheceu em vida? A prefeitura enfrenta várias ações pelo alto custo do tal parque e até pelo nome dado à ele.

O PoPa não entra no mérito de custos, coisa que deve ser discutida por lá, mas Lpt disse em seu discurso: "os pobres não pagarão a conta dessa crise". Pois os pobres estão pagando, Lpt! Estão perdendo seus empregos! E vão enfrentar uma inflaçãozinha, provocada pela marolinha, ainda no início do ano.

2 comentários:

Fernando disse...

Meu caro se você for fazer uma avaliação de projetos apresentados em câmaras municipais e em todas as assembléias legislativas o número de projetos para dar nomes a logradouros públicos, homenagens a parentes de políticos medalhas e títulos diversos é de assustar.
Os políticos do Brasil ainda insistem em viver no tempo da monarquia.
Os caras não legislam apenas ficam distribuindo agrados e mimos entre seus eleitores e parentes.
E no caso de RECIFILIS o puxa saquismo desenfreou a um nível de quase pantomima, mas o dinheiro é do povão e esse não está nem aí para o tal parque.
O povo não liga para nada, essa é a verdade.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Eu também ando perdido, Popa. Acho que essa nova mudança é mais uma forma da juventude brasileira perder a vontade de ler. Ler vai se tornar mais dificil porque os livros editados até 2008 serão tido como ultrapassados por uma escrita que não exite mais. No mais, no mais, um excelente 2009 e vamos à luta, porque o mundo anda conturbado.