quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Bufa, Suplicy!

O PoPa simpatiza com o Suplicy e fica pensando como este homem conseguiu chegar a senador da república. Ele é, sem dúvida, uma pessoa limítrofe, com dificuldades sérias de raciocínio. Mas deve ter um bom time de acessores, pois algumas vezes ele consegue dar um bom recado. O cartão vermelho para Sarney foi interessante, mas avisar Sarney do discurso confirmou a idéia que o PoPa faz do senador. O melhor da performance, contudo foi a reação dele à Heráclito, literalmente bufando no plenário. Heráclico - que não é santo - mandou ele dar um cartão vermelho para da Silva e Suplicy ficou bufando, simplesmente. Patético!

O PoPa, desde sempre, fica imaginando o que ele, um milionário dazelite paulistanas, literalmente um quatrocentão, está fazendo no pt... Não é ele um dos "poderosos" que da Silva tanto fala?

Imagem: Wilson Dias - Agencia Estado

5 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

O Suplicy, pelo menos é autêntico. E os dois filhos dele -- que fazem até um bom programa na REDETV -- têm muito mais a ver com ele do que a mãe. Deu no depósito, o Suplicy recebeu cartão vermelho do PT.

Lord disse...

Vamos dar cartão vermelho ao grão-mestre dos corruptos O Lula

Jurema Cappelletti disse...

Seria bom, mesmo, dar um cartão vermelho a todos os políticos e fazer uma faxina no Congresso.

Bom seria que nas próximas eleições entrassem apenas os políticos ainda 'virgens' na patifaria e não deixá-los lá por mais de um mandato, para evitar que sintam-se tão à vontade para roubar como os atuais.

CINEMAN disse...

O titulo está bom mas poderia ser: Bufão Suplicy

PoPa disse...

Jurema, o PoPa vai fazer sua própria reforma política: não vai reeleger ninguém e só vai colocar alguém que tenha experiência (em um ou, no máximo, dois mandatos no executivo ou legislativo, respectivamente). Para presidente, só quem tenha sido prefeito ou governador. Para senador, só quem tenha sido deputado. Para deputado, só quem tenha sido vereador. Para prefeito, dá para votar em quem tenha sido vereador e nunca prefeito.

Acho que a experiência é importante, mas não no mesmo cargo. E como ser um presidente que não conhece a realidade dos estados e municípios? Dá no que deu...