quarta-feira, 22 de abril de 2009

Reflexiones de Fidel

No Estadão online: "Sem dúvida que o presidente interpretou mal a declaração de Raúl", disse Fidel em suas "reflexões", à respeito da proposta de Raúl em discutir qualquer assunto com os EUA. Mas o PoPa não leu nada a respeito de interpretação do que disse Raúl, por Obama. Apenas o de praxe, que a ilha precisa dar algo em troca e Obama deu o primeiro [pequeno] passo. Fidel, em seu posto senil, desautorizou o atual presidente de Cuba.

"Vivemos novos tempos. As mudanças são inevitáveis. Os líderes passam, os povos permanecem. Não teremos que esperar milhares de anos, só oito serão suficientes, para que em um carro mais blindado, um helicóptero mais moderno e um avião mais sofisticado, outro presidente dos Estados Unidos, sem dúvida menos inteligente, prometedor e admirado no mundo do que Barack Obama, ocupe esse inglorioso cargo".


Como disse Miriam, em seu site sin EVAsión, as reflexões de Fidel estão cada dia mais complicadas de se entender. No caso particular de Cuba, oito anos não foram suficientes para que outro "presidente" assumisse. Mais oito o serão?

2 comentários:

Frodo Balseiro disse...

Acho essa conversa do que Fidel acha ou desacha, uma grande enganação!
Para mim está claro que se ele não tem nem condições de aparecer na janela, e dar tchauzinho para a turba, é porque ele não está em condições de aparecer!
Que dirá, escrever e divagar sobre assuntos complexos!
Tudo armação...
abs

paschoal disse...

Concordo com o Frodo.
Todos os tiranos têm um ghost writer incorporado por Göebells.
Nestas plagas temos o franklin martins, lá não sei!