quinta-feira, 9 de abril de 2009

Banco Público?

O PoPa tem lido e ouvido muito a respeito da bobagem que Banqueiro da Silva fez no Banco do Brasil. Há um equívoco muito grande do governo, da imprensa e de muita gente importante: O Banco do Brasil não é mais público! É um banco privado, cujo maior acionista é o governo federal que, como tal, pode indicar a diretoria e algumas linhas básicas de funcionamento. Mas não pode NUNCA modificar a linha de ação com respeito à segurança bancária, pois tem ações na bolsa e acionistas que precisam ter seus direitos respeitados. Entre estes direitos, o de ganhar dinheiro...

A resposta do mercado foi rápida, com a queda das ações. Provavelmente, os juros cobrados pelo BB não irão cair pela simples vontade do governo ou do presidente de plantão. Existem níveis de decisão intermediários que precisam ser "convencidos" e não o serão facilmente. Não temam, as ações deverão recuperar seu valor na próxima semana, quando o mercado perceber que não haverá a mudança exigida por Dilma e Banqueiro da Silva.

4 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Lucro em banco vem do juros, se o BB vai ter cabresto curto e não ser lucrativo porque raios dos infernos iriam os acionaistas manter em mãos esse mico?

Anônimo disse...

Eu gostaria de fazer um cruzamento da lista de nomes de deputados estaduais, deputados federais, senadores, prefeitos, governadores e etc.. com a relação de inadimplentes do BB!

Dener disse...

Prezado, como forma de tentar esquentar o debate, queria fazer algumas modestas observações:
Você escreve: "O Banco do Brasil não é mais público! É um banco privado, cujo maior acionista é o governo federal que, como tal, pode indicar a diretoria e algumas linhas básicas de funcionamento. Mas não pode NUNCA modificar a linha de ação com respeito à segurança bancária" Ai eu pergunto:
É algum absurdo substituir o diretor de uma empresa, quando este não segue o que o acionista majoritário determina? Vc conhece alguma empresa privada que isso acontece ?
Em seguida vc escreve:"pois tem ações na bolsa e acionistas que precisam ter seus direitos respeitados. Entre estes direitos, o de ganhar dinheiro..." Concordo em parte, pois segundo o que a constituição diz em seu Artigo 5º: Inciso XXII - é garantido o direito de propriedade; Inciso XXIII - a propriedade atenderá a sua função social. Ou seja, NEM que fosse totalmente privada, uma empresa não fica 100% livre de sofrer uma intervenção federal, caso esta não contribua com a sociedade, seja na forma de impostos, seja na forma de geração de empregos. Esta crise mundial ocorreu justamente por falta de controle do estado aos grandes grupos financeiros,idéia da turma do concensso de Washington, dos neo liberais de alta plumagem. Tanto é que nós estamos assistindo a estatização de parte das instituições financeiras de todo o mundo.
Um cordial abraço

Pobre Pampa disse...

Caro Dener, falei em segurança bancária. Substituir o chefe, o maior acionista pode, a qualquer momento, obviamente. Mas largar na imprensa que está fazendo isso para que o Banco reduza suas taxas, é preocupante. Fez com que as ações despencassem.

Acho que - neste ponto - o governo está certo. Banco público tem que dar a diretriz para a economia. E isso pode ser na forma de menores taxas de juros. Mas o cuidado ao fazer isto tem que ser extremo, para não abalar ainda mais o mercado. Não precisa trocar ninguém e avisar o que está fazendo. Mudanças de diretoria são frequentes e não precisam explicações profundas. Apenas devem ser feitas.

Mas o problema não é a diretoria em si. Há um enorme número de instâncias intermediárias que não irão fazer o que o presidente do Banco mandar, simplesmente. Conheço bem o sistema e sei que ele se proteje adequadamente.

A crise aconteceu por falta de controle, sem dúvida. Mas este controle não precisa ser, necessariamente, do Estado. Aliás, o que ocorreu foi exatamente por intervenção do Estado onde não devia, estimulando bancos a emprestarem a quem não poderia pagar. Isto foi feito lá nos EUA!