sábado, 30 de maio de 2009

"Meu nome está aí!"

Rigotto, em Pelotas, disse esta frase, ao lançar-se como candidato ao Piratini ou ao Senado. E completou: "mas não será uma decisão personalista".

Rigotto também falou sobre o terceiro mandato: "quem defende isso, baseia-se no alto índice de aprovação do presidente. Tenho convicção que hoje ele ganharia uma eleição. Isso não deve ser levado adiante, porque o Lula não quer". Ou seja, Rigotto aceitaria apoiar o terceiro mandato, se Lula quisesse. Há quem garanta que ele quer ser cabeça de chapa com alguém do pt para vice. O pt, claro, tem horror à idéia, mas, se da Silva quiser, o trato está feito.

Um comentário:

Clausewitz disse...

Germano Rigotto é uma das demonstrações lustrosas da falta de opções da política nacional. Vota-se no inimigo, como eu votei nele, para preservar o erário por 4 anos da ação lesiva de um inimigo muito pior. Sua afirmação só não foi mais patética do que vê-lo chorão contumaz, face aos sucessos e insucessos de uma política que tem a cara dele... de fazer chorar...