sábado, 16 de maio de 2009

Ronaldo e os europeus

As leituras matinais do PoPa, o levaram até o blog do Reinaldo Azevedo e às declarações do jogador Ronaldo, sobre a criação de seu filho, Ronald:

"Ele é uma criança doce, que não fala palavrão, é educado. É praticamente um europeu", disse o jogador, que logo em seguida ouviu alguém na platéia gritar: "É brasileiro". "Sim, ele é brasileiro, tem passaporte brasileiro", disse Ronaldo, que também é pai de Maria Sophia, filha de Bia Antony. "Mas eu prefiro que ele tenha amiguinhos europeus do que amiguinhos brasileiros. Os brasileiros são muito malandros", afirmou.

Diante da afirmação, o colunista da Folha Clóvis Rossi, mediador da sabatina, perguntou se a declaração não poderia ser considerada racista. "Não, acho que é a realidade. A gente não queria que fosse assim. Esta diferença é uma realidade, e, se posso escolher, prefiro que meu filho tenha uma educação europeia", disse.

Ronaldo também afirmou que o filho joga nas categorias de base do Real Madrid e que tem como companheiros de time outros filhos de atletas ilustres. "Ele joga com o filho do Zidane, o filho do Raúl, o filho do Cannavaro, mais os filhos de outros grandes jogadores de que não me lembro o nome. Imagine o treinador para tirar alguém desse time", brincou.

Alguém acha que ele está errado? O PoPa grifou a frase mais importante da tal sabatina da Folha. Ele pode escolher o melhor para seu filho, vai escolher o pior? Ele precisaria escolher entre ser um bom pai ou um "patriota"? Deixem a hipocrisia de lado e parabenizem Ronaldo por querer o melhor para seu filho! Aliás, Mariza Letícia não escolheu a cidadania italiana para dar "um futuro melhor para os filhos"?

4 comentários:

Frodo Balseiro disse...

Muito boa a posição do Ronaldo. Acho que seria a posição de qualquer pai responsável.

Clausewitz disse...

Ele foi feliz do início ao fim da entrevista. Tirando alguns tropeços, entre os quais o lamentável episódio dos travestis, admiro Ronaldo Nazário. Eu que conheço todo o Brasil, do Oiapoque ao Chui, do Cabo Branco à ponta do Acre, sei que onde encontramos ainda vestígios de equilíbrio é no Sul do país, graças à forte influência européia. Nosso povo precisa entender a cagada que fez ao colocar o PT no poder e tenho certeza que após esse entendimento e após as consequências da aventura, começaremos a respirar ares de progresso. Bom fim de semana.

zefirosblog disse...

Algumas verdades se transformaram em impronunciáveis com rapidez alarmante nos últimos tempos.

“Aliás, Mariza Letícia não escolheu a cidadania italiana para dar "um futuro melhor para os filhos"?” Perfeito. Pode-se acrescentar que nesse segundo caso trata-se da esposa do responsável por criar condições para um “futuro melhor” aos brasileiros. No primeiro, apenas de um cidadão sendo honesto.

Diego disse...

Uau! Esse cara acabou de ganhar vários pontos de credibilidade na minha conta.