quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Sai amigo de Castro, entra amigo de Cristo

O PoPa leu no Estadão que a Igreja Católica da Colômbia contatou as farc para tramitar uma "zona de encontro", que deve servir de sede para a negociação de um acordo humanitário sobre os seqüestrados. "Entramos em contato com os rebeldes, e estamos seguindo adiante com uma discrição que é fundamental nestes casos", disse o presidente da Conferência Episcopal da Colômbia (CEC), Luis Augusto Castro (ei, este é um Castro amigo de Cristo!).

E Uribe está achando que a Igreja vá conseguir negociar com narcotraficantes que se dizem marxistas (logo, ateus). Por que negociariam com uma entidade que não representa nada para eles? Ou melhor, que representa algo em que eles não acreditam e até abominam. Ou, tal qual uma ex-senadora, talvez eles sejam leninistas cristãos?

3 comentários:

Pobre Pampa disse...

Pode ser questão de semântica. Pode ser que não tenham utilizado esta expressão. Pode ter sido erro de tradução. Mas estava escrito "rebeldes"...

Lua Nua disse...

Eu só não entendo essa palhaçada atual de Farc pra cá e Farc pra lá. Há 9 anos sequestram gente, tem quase 800 pessoas sequestradas e o estado (leia país) nunca fez nada? Porque isso agora? Lá não tem exército? Não tem polícia? Não tem política? Não tem moral?

Ah bom! Eu só queira entender...

Beijão

Tosco disse...

Chavéz é um megalomaníaco desesperado por atenção. Quer ver o circo pegar fogo e, enquanto isso não acontecer, não vai desistir. As provocações contra a Colômbia evidenciam isto de forma inequívoca. Um exercício interessante: desloquem as Farc para o lado de lá da fronteira, e substituam a ideologia por outra qualquer. Como reagiria este maluco que vive delírios de grandeza? Não de forma tão light como faz o governo colombiano, com certeza. Esmagaria a guerrilha com tudo o que tem, com reféns ou sem reféns.

Ele quer criar problemas para o continente, e esta conseguindo! Alguém precisa fazer algo mais do que mandá-lo calar a boca. Alimenta abertamente o sonho da Gran Colômbia, e já deixou a entender que vai invadir a Guiana. Que tente!

Em tempo, a psolista se diz cristã-trotskista. Não que mude em alguma coisa...