sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Analisando o Longo Prazo (Alopra?)

O PoPa leu no Estadão, a intrigante notícia: MANAUS - Informado que só em Manaus, onde vivem mais de 1,8 milhão de habitantes, quase 700 mil não dispõem de água encanada em suas casas, o ministro de Assuntos Estratégicos, Roberto Mangabeira Unger, mudou a defesa sobre um dos pontos mais polêmicos de seu projeto Amazônia: a construção de aquedutos para levar água dos rios da região para o Nordeste. "É um paradoxo faltar água para os habitantes da Amazônia com toda a abundância dos rios. Primeiro precisamos providenciar que os habitantes da região possam usar essa água", afirmou o ministro.

O PoPa passou a vida toda trabalhando em desenvolvimento regional e planejamento. Estranha que o ministro, cuja função seria de planejar estrategicamente, montou um projeto sem conhecer a realidade das regiões envolvidas! Ou seja, alguém disse para ele: ministro, Manaus tem problemas sérios de água encanada! Então, ele vem com esta preciosidade de que primeiro vamos ter que providenciar para os habitantes da região usarem esta água. Nada a ver, ministro! Manaus tem governo! Água encanada é direito básico a ser provido pelo governo municipal ou estadual ou, em áreas muito pobres, pelo governo federal. Manaus é rica!

Aproveite a assessoria que deve ter neste ministério, agora provado inútil, e veja porque Manaus não tem água encanada. Certamente, não é por falta de água, nem por falta de recursos.

Em tempo: este projeto parece ser uma bobagem... ou, pelo menos, não tem dados consistentes sobre o que pretendem. Coisa de colegial.

Um comentário:

tita coelho disse...

Popa chega a me deprimir rsrsrs!! É tanta incompetência esse governo, que não dá pra classificar o que é pior!!!
beijos meus! bom final de semana