quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Janer Cristaldo

Leiam Janer Cristaldo sobre o livro "Infiel". O PoPa deu uma pequena olhada no livro e ainda não se animou a entrar na leitura! É muito peso, muito sofrimento e, principalmente, a constatação da hipocrisia do ocidente sobre o que algumas etnias fazem nos dias atuais. Tudo em nome do "respeito aos valores religiosos de outros povos". O "politicamente correto" destruindo a civilização como nós a conhecemos.

4 comentários:

Tosco disse...

O livro é grande mas vale a pena. Me faz crer que ter nascido no Brasil subdesenvolvido não foi uma coisa tão ruim, afinal! As teocracias maometanas estão aí para provar que o Inferno pode estar na Terra...

tita coelho disse...

Não me encorajo de ler tb...mas se tu fores ler me diz se é bom ou não rsrs
beijos

Lua Nua disse...

Ainda não terminei Afrodite da Isabel Allende e nem A Gênese do Kardec. Mas esse deve ser uma boa pedida.

Beijos

PoPa disse...

Ainda do site de Janer, um Trecho de Infiel, de Ayaan Hirsi Ali:

Um dia, acompanhei uma jovem somali ao hospital para uma consulta com o ginecologista. O médico me pediu que lhe explicasse que era preciso tirar a roupa para que ele lhe examinasse o útero com um comprido instrumento prateado. Ela disse: “Tudo bem, mas duvido que ele consiga ver o meu útero”. Compreendi: a moça era totalmente fechada, nada mais que uma cicatriz.

Tentei informar o médico, mas ele se limitou a retrucar: “Faça o que eu disse”. Mas, quando a garota se deitou na maca, o homem olhou entre suas pernas e retrocedeu, chocado, deixando escapar um palavrão. Tirou as luvas com raiva, pois nenhum instrumento de aço entrava ali. A jovem não tinha vulva, apenas uma lisa superfície de tecido cicatrizado.

Era o famoso farooni, uma excisão tão extrema que extirpava inteiramente a genitália, transformando-a em uma dura faixa de pele escura.