sexta-feira, 3 de agosto de 2007

MST, INCRA, UFPel

Uma das justificativas para a criação de um curso de veterinária específico para o MST, é de que não se conseguem profissionais da área para trabalhar nos assentamentos. Segundo o Incra, agrônomos e técnicos agrícolas não faltam.

Hoje pela manhã, o PP leu no jornal local, que o MST novamente invadiu a fazenda da Palma, em Pedro Osório para fazer uma horta. Que agrônomos estão orientando estes "agricultores"? Que tipo de horta estão querendo fazer em pleno inverno, em uma área descampada? Pobre gente, que pretende sobreviver do trabalho no campo... pretendem?

O Pobre Pampa já comentou o assunto da "classe especial" da UFPel: O Orgulho de Fazer a Coisa Certa e Cotas & Cotas.

4 comentários:

Toscoman disse...

Devem estar aplicando técnicas especiais de cultivo aprendidas durante algum intercâmbio com produtores cubanos. Todos sabem que Cuba é líder mundial em produção de alimentos.

rsrs

Deposito do Maia disse...

A verdade verdadeira é que ninguém quer o MST por perto. Assentamento do MST gera insegurança e violência. O povo quer paz, não quer incomodação.

Pobre Pampa disse...

Não precisaria ser assim, Maia! O problema passa a ser maior, quando eles pegam pessoas sem preparo para o trabalho no campo, desempregados urbanos e colocam centenas juntos em acampamentos por mais de ano. Gente demais, sem fazer nada, com comida paga pelo governo, cachaça à vontade... eu conheço vários acampamentos. É assim mesmo, infelizmente. Depois, quando estão no seu lote, não conseguem produzir nada, pois não é esta a intenção do movimento. Aliás, destruíram aquelas pequenas mudas de eucaliptos, que davam já agora, uma renda mensal para os assentados. É bom que se diga, que os assentados que plantaram não puderam evitar a destruição, por ameaças do próprio Incra!

Pobre Pampa disse...

A justiça já mandou eles saírem. A "horta" foi feita para a preparação de mudas de cenoura, rúcula e alface. Devem ser espécies que são normalmente cultivadas na Sibéria. Bem, também fizeram um campo de futebol. Hummmm...

Alegam que estão na frente de uma terra sem uso e precisam de alimentação. Bem, em primeiro lugar, eles recebem cestas básicas, em segundo lugar, bem ao lado, exite muita terra sem uso, no assentamento Pedro Osório. Lá, nada se planta, nada se cria. Para azar deles, fica na beira da BR116 e qualquer um pode ver isso.