segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Santa ingenuidade, Batman!

Nas leituras matinais do PoPa, a constatação, no Estadão, que nada menos que 18 governadores apoiam a criação da CPMF! Entre eles, José Serra, Aécio Neves e Yeda Crussius. A idéia dos dois primeiros é ser presidente nas próximas eleições e querem contar com a grana da tal "contribuição provisória". Pois bem, Lula já tem dito que pretende reduzir gradualmente a alíquota, mas não agora, que não é possível. Ou seja, no final de sua gestão atual, com os cofres abarrotados para fazer demagogia, Lula poderá reduzir a perto de zero a CPMF e esperar 2011... Serra e Aécio acreditam que vão ter a tal "contribuição provisória", se algum deles for eleito. Santa ingenuidade! Somente terão, se Lula autorizar... E ele já disse que quer ser candidato em 2014. Ajudaria alguém a se reeleger? Lula quer um PSDB, que já se mostrou morno, na presidência, para poder desbancá-lo facilmente em 2014. Sem a grana da CPMF e com a feroz oposição de Lula e sua tropa, estão perdidos, coitados.

O PoPa não estã satisfeito com o governo de Lula do PT. Acha que o Brasil está perdendo uma grande chance de crescer, pelo menos na mesma velocidade que o resto do mundo civilizado. Mas a culpa não pode ser atribuída somente à ele. Aliás, a grande culpa não é dele, mas de sua oposição fraca e sem liderança. Pobre Brasil!

7 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

Pampa, quem inventou a CPMF foram os tucanos. Seria uma demagogia, um contrasenso, agora os tucanos votarem contra a CPMF.

Pobre Pampa disse...

Bem, Maia, acho que eles poderiam negar, dizendo que ela já cumpriu sua tarefa e que os recursos "normais" já estão mais que suficientes para tocar o País. Nucanantesnestepaís se arrecadou como agora! Mas demagogia, mesmo, é o PT querer a CPMF, tão criticada por eles no tempo do FHC.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Está na hora, pampa, do governo federal repartir este bolo com os Estados que estão penando por ai.

Carlos Eduardo da Maia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Eduardo da Maia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
CINEMAN disse...

A minha teoria é que o estado é um comilão insaciável. Quanto mais ele come mais ele quer comer. Então enquanto os impostos forem mantidos - que mantidos - aumentados ano a ano, esta situação não se resolve. Quem trabalhou no serviço público, sabe. Os departamentos e setores vão se multiplicando e ficando, na cabeça dos burrocratas, cada vez mais indispensáveis. A solução é realmente reduzir o estado e esta redução tem que começar com a redução de impostos. Com menos dinheiro em caixa eles vão ser obrigados a encontrar soluções mais inteligentes. Vão começar a fechar empresas estatais, departamentos de secretarias, as próprias secretarias e, aos poucos, nós iremos descobrir que elas eram absolutamente desnecessárias. Menos departamentos= menos burocracia e talvez até consigamos abrir uma empresa com mais facilidade, criar empregos sem impecilhos legais e por ai afora. Precisamos de um estado anoréxico.

tita coelho disse...

Vão aprovar... com o apoio da maioria!! Somos todos palhaços