quarta-feira, 3 de outubro de 2007

O NOVO GOLPE

Eu há muito tempo tenho a convicção que os políticos acham que todos nós somos idiotas. Em parte sim, porque o fato de termos eleito esta turma já é um solene atestado desta idiotice. Mas não exagerem, pliiiiiiiise. A governadora Yeda montou agora, com sua turminha de colégio, um belo golpe. E deste golpe estão participando os nossos deputados estaduais e a nossa imprensa livre (leia-se ZH). O primeiro passo da tungada foi a apresentação de um orçamento que, diferente de todos os que eu vi até hoje, não fecha. O objetivo foi criar um factóide para a imprensa começar a mostrar aos poucos que um aumento de impostos era inevitável. Os deputados, cobertos por esta ação da midia, poderão agora votar com mais tranquilidade, sem medo de represálias, o tão ansiado aumento de impostos. O vice já saltou mas agora acredito que não terá tanta cobertura e ficará falando sozinho. E a redução de gastos onde é que fica? O vice colocou algumas idéias interessantes. Para que é que nós queremos a Corag? Esta entidade já foi palco de poucas e boas no passado. A UERGS só falta alguém com coragem para dizer que foi uma bobagem do Olivio e que estaria na hora de botar uma pedra em cima. R$ 70 milhões por ano? E os CCs? Ninguem se anima em cortar. Sem falar nos cargos que foram criados para acomodar companheiros, ops, correligionários. Tem banco estatal que aumentou o número de diretores no governo da Dona Yeda. Que nova forma de governar é esta? E os salários dos diretores das estatais? Existem novas formas de governar mas estas só vão começar a acontecer quando nós, em algum lugar do futuro, finalmente, deixarmos de ser idiotas.

12 comentários:

Pobre Pampa disse...

70 milhões na UERGS? Quantos alunos ela forma por ano? E que tipo de profissional está saindo dali? Certamente não são técnicos em áreas industriais, que poderiam ter empregos garantidos e trabalhar para o desenvolvimento do Estado... Melhor ainda, seria ver como estão empregados os que estão formados nas áreas desta universidade.

A Emater custava, aos cofres públicos, cerca de 110 milhões por mês e foi obrigada a reduzir este custo para uns 80 milhões. Como é uma empresa de prestação de serviços técnicos, o maior valor é para a folha de pagamento e, portanto, tiveram que despedir muitos técnicos. Ou seja, a Emater, hoje, custa praticamente a mesma coisa que a UERGS???? Para pensar...

Li, em algum lugar, que a governadora cortou 70% dos cargos em comissão... que ainda não estavam sendo utilizados... oras, corte 100% dos que não foram utilizados e mais alguns dos que estão por aí! E use funcionários públicos concursados e não paraquedistas que acabam ficando depois do mandato e inchando a máquina pública. Quem não conhece casos assim?

Carlos Eduardo da Maia disse...

A UERGS foi uma grande bobagem do Olívio. Concordo plenamente. Li uma entrevista com o vice que disse que cada aluno da UERGS gera um déficit de R$ 3 mil por mês e que esse dinheiro seria melhor investido de outra forma. Estou pesquisando sobre este assunto e pretendo escrever algo sobre isso em seguida.

CINEMAN disse...

Existe um procedimento muito comum nas nossas estatais e que garante uma boa grana para os CCs. A coisa funciona assim: O diretor quando entra no cargo tem direito a um ou mais assessores, secretária e motorista. Quando ele sai esta turma procura não perder a boquinha. Muitas vezes eles conseguem e acabam se efetivando nos cargos. Quando não conseguem a primeira coisa que fazem é entrar com uma ação trabalhista para abocanhar umas horinhas extras que eles nunca fizeram. E ganham. Vocês acham que algum diretor que deixou esta bomba relógio alguma vez foi responsabilizado? Claro que nunca.

Anônimo disse...

Bobagem foi a mãe de vcs botarem essa gente no mundo. Desde quando a UERGS é bobagem!!! Por isso que o país tá nessa!! Educação é a única solução!! Para o estado crescer, ela precisa de profissionais capacitados que vão impulsionar a economia!! Santa ignorância!! Mas, para a tristeza de muitos gaúchos, que sinceramente, não são mais como antigamente, a UERGS nunca será fechada. Vou me formar no final do ano, e estou rindo da cara de vcs, farei mestrado na UFRGS e sugiro que conheçam mais os alunos da UERGS, que receberam nota máxima em Montenegro, maior que a UFRGS que recebeu nota 4. Estou cagando e andando por vcs, só sinto pena do meu querido estado, que está repleto de gente recalgada, que acham que tudo é um erro.

Pobre Pampa disse...

Que educação é a única saída para o Estado (assim, com maiúscula), não tenho dúvidas. Mas parece que isto está faltando ao amigo, ao usar palavras inadequadas. Aliás, "gente recalgada" sair da faculdade escrevendo errado, com intenção de mestrado, é dose...

Alessandro disse...

Lamentável que alguém, em pleno século 21, ainda tenha o pensamento de vocês em relação a alguns assuntos. A universidade estadual foi uma conquista de uma luta de vários anos e não tem como ser fechada, felizmente. Somente pessosa sem visão poderiam pensar uma coisa dessas. A educação tem que ser pensada como um investimento, e não como um gasto. Para se ter uma idéia, o valor gasto com um aluno em uma universidade pública é completamente pago em 5 anos depois que ele se forma. Esta é a chamada receita social, ou seja, esta pessoa, com o conhecimento adquirido, gerará riquezas para o estado e para o país, revertendo em impostos de volta para o governo. É só fazer os cálculos: quem gera mais riqueza, uma pessoa com nível superior ou uma com nível médio? O problema da Uergs talvez seja a má gestão e a politicagem dos seus gestores, o que a impede de crescer e cumprir devidamente o seu papel. Mas isto é outro assunto.

Pobre Pampa disse...

Um aluno da UERGS custa uns 1500 reais por mês para os cofres públicos. Uma vaga em universidade privada custa menos que isso. Por que não comprar estas vagas? E - atualmente - um profissional de nível médio (curso técnico, claro), tem mais chances de conquistar um emprego que um formado em universidade. Qualquer um que tenha saído de uma universidade nos últimos anos sabe muito bem disso.

Mas o governo faz sua parte nesta equação perversa: concursos que requisitavam pessoas com curso médio, exigem curso superior (qualquer que seja ele!). Onde está a lógica?

Pobre Pampa disse...

Também acho - e já comentei aqui - que não poderia ser ensino totalmente gratuito. O pagamento deveria ser feito após a conclusão, com serviços à comunidade (pagos, obviamente), quando o formado estaria adquirindo experiência e dando retorno de sua formação à sociedade. Quem quisesse escapar dessa, que pagasse integralmente o curso. Não seria muito mais justo?

Anônimo disse...

ah sim justíssimo, pode-se se ver , por exemplo, que o dinheiro da cpmf vai pra saúde. Eles podiam acabar com o SENAI e o SENAC tambem. Eles dão muita despesa. Assim, teria mais dinheiro para roubar.

Pobre Pampa disse...

A CPMF foi criada pelo governo FHC, para ir INTEGRALMENTE para a saúde. Nunca é demais lembrar que o PT de Lula foi contra. Senai e Senac são estruturas criadas e mantidas com grana privada, com contribuições compulsórias. Não entendi o comparativo.

Pobre Pampa disse...

E, claro, não foi para a saúde no governo FHC também. Aliás, o orçamento da saúde encolheu, na mesma proporção do "ofertado" pela CPMF da época.

Anônimo disse...

Santa ignorância...
Concordo plenamente com o amigo Alessandro, falaste tudo. Quanto à opinião dos outros colegas, sem comentários..
Só para comentar duas das coisas que não concordo com vcs amigos, não se gasta 1500 reais por aluno e sim em torno de 570 reais por mês. Outra coisa, o colega escreveu uma palavra por erro de digitação, mas isso não afirma que é incapacitado de se formar ou que é menos prestigiado por ser da UERGS. Senti um certo preconceito no ar...Além disso, conheço mais de uma pessoa que se formou na UERGS e está fazendo mestrado na UFRGS.