terça-feira, 12 de junho de 2007

CONSULTA PÚBLICA EM PELOTAS

A Consulta Pública sobre o zoneamento ambiental lotou o teatro Guarani em Pelotas. O Pobre Pampa, viajando pelo rico Nordeste não pode participar, eu também não. Mas nas noticias que colhi junto ao Diário Popular tudo ocorreu dentro da mais perfeita normalidade e a grande maioria dos presentes defendeu o desenvolvimento com responsabilidade ambiental, que no final é o que todos queremos. Houve poucas manifestações contra o plantio de eucaliptos, sendo uma das mais destacadas a do MTD, Movimento dos Trabalhadores Desempregados, que, não sei por que razão, são contra uma ação que, entre outras coisas, vai trazer emprego. Eles devem ter sido favoráveis a expulsão da Ford também. Outra manifestação contrária foi da ong CEA, Centro de Estudos Ambientais, que acusou as fábricas de celulose de iniciarem os plantio sem respeitar as leis ambientais. Como já foi muitas vezes discutido aqui o que não se respeitou foi um zoneamento capenga, sem poder de lei, que agora está sendo transformado no grande vilão da Metade Sul

9 comentários:

Pobre Pampa disse...

Aproveitando um poquinho de chuva agora pela manhã, o Pobre Pampa colocou um pequeno post também. Fico muito satisfeito em ver que minha gente está abrindo os olhos para a dura realidade do desenvolvimento. Quem sabe não estamos entrando no século 20? (vai demorar mais um pouco para chegarmos ao 21)

CINEMAN disse...

Mais noticias de Pelotas. Parece que a turma levou a sério e, ainda bem, desmentiu tudo o que eu falei no blog sobre a possibilidade de uma participação pequena da gente da Metade Sul. Não que eu aprove, mas até vaia houve para a turma que se manifestou contra o plantio de eucaliptos.

Anônimo disse...

Porque o MTD (Movimento dos Trabalhadores Desempregados) é contra é muito fácil de entender. As industrias de celulose vão reduzir o número de desempregados e consequentemente levar o MTD a extinção por falta de sócios.

Pobre Pampa disse...

Alguns movimentos têm estranhas posições. Reconheço que o MST tem muito a perder com a implantação de florestas de eucaliptos. Áreas antes improdutivas ficarão produtivas e, consequentemente, fora do risco de desapropiação. Eucaliptos nos assentamentos, reduzirá o poder do comando, por trazer recursos extras e trabalho para os que já estão assentados.
Mas o MTD, realmente é estranho que tenha esta posição... talvez anonimo tenha razão.

Pobre Pampa disse...

Segundo a presidente da FEPAM:

Além das contribuições orais durante as audiências públicas, a Fepam seguirá recebendo, até 10 (dez) dias após o último encontro, documento escritos com análises e propostas. O que for recolhido será consolidado e, após a proposta final do Zoneamento Ambiental da Silvicultura será encaminhada para apreciação do Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema).

O Pobre Pampa fará uma análise e sugestões. Provavelmente não será lida, mas ficará registrado aqui, para todos os nossos dez leitores!

CINEMAN disse...

Minha sugestão: Vamos montar no Pobre Pampa, com a colaboração dos 10 leitores, um conjunto de sugestões para o zoneamento ambiental. Sugiro que o Pobre Pampa faça o primeiro rascunho.

Pobre Pampa disse...

Combinado! assim que tiver um tempinho, vou rascunhar e colocar por aqui.

Buggyman disse...

Tenho estranhado a total falta de comentários sobre estas audiências públicas. Nos sites do governo do Estado, nem uma notinha (tanto o geral, como da Fepam e da Sema). Silêncio total. Parece (parece?)
que este assunto não tem grande importância. Mas o silêncio da mídia (a grande, a alternativa, a nanica) também está estranho. Ou não! A blogosfera da esquerda politicamente correta está bem quieta, também...

Pobre Pampa disse...

Após a última consulta pública, permanece o silêncio nos sites oficiais do governo e o silêncio na mídia RBS e seus jornais do interior.

Apenas alguns dos sites da blogosfera esquerdista reclamando sobre a mobilização que houve na região. Pelo menos, aprendemos esta lição com o antigo PT...