domingo, 4 de julho de 2010

Os piores recordes do mundo.

Pois a seleção argentina foi recebida por milhares de pessoas em seu retorno à Buenos Aires. E não estavam lá  para repudiá-los, maltratá-los ou para cobrar o fracasso. Estavam lá para ovacioná-los! Sim, os argentinos acreditam que sua seleção merecia mais, mas não cobram o que não foi conseguido, preferindo festejar o que foi alcançado, que é estar entre os oito melhores do mundo.

Esta semana, Cristovam Buarque teria dito que o Brasil não festejou estar entre os oito melhores, mas esquece estar em 85º lugar, em termos de educação no mundo inteiro. Não aceitamos passivamente um oitavo lugar no futebol, mas um 85º na educação está de bom tamanho... Ou os investimentos públicos, cuja posição brasileira é, simplesmente, a penúltima, entre 135 países emergentes, ganhando só para um país que ninguém conhece e sequer sabe dizer seu nome: Turcomenistão...

Cristovam estará certo? Orgulho, para os brasileiros, é só ganhar no futebol? Perdemos em todas as coisas que importam! Os maiores juros, os menores investimentos, a pior educação... nossos recordes são tristes, infames.

3 comentários:

charlie foxtrot disse...

Boas considerações.

o copista paschoal disse...

Nosso país está se degradando pouco a pouco. Estamos no mês 07 e, até agora só se falou em passagem de ano, carnaval, páscoa, dia das mães, futebol, cachaça e mulher. Os que recebem salário trabalharam até junho para sustentar a corja de safados e pilantras que infestam a políticagem brasileira; pior que não estão nem aí para esse fato gravíssimo. Parece que vivemos na Dinamarca tal a felicidade do povo!

Viva a seleção disse...

Os brasileiros e, principalmente, as brasileiras, são assim mesmo. Quando alguém deseja agradar ao público, precisa se desmanchar em elogios a esse público, sob pena de ser recebido com frieza e desdém. Se for estrangeiro, precisa se declarar culpado por não ter nascido no Brasiu. O público sabe que é mentira, mas vibra de emoção.