sábado, 3 de julho de 2010

A grossura que não deu certo

Como ditador (aquele que dita) do blog menos lido do Brasil, o PoPa também resolveu fazer a sua análise do "desastre" brasileiro na Copa. Em primeiro lugar, o PoPa não considera um desastre, pois não perdemos nada substancial, além da oportunidade de fazer uma grande festa popular durante alguns dias. E tudo ficaria por aí mesmo. As bandeirinhas seriam retiradas dos carros, as pessoas parariam de usar o verde-e-amarelo e acabaria a patriotada temporária.

Desde muito tempo, o PoPa acredita que a Copa poderia ser melhor utilizada para o País. Mas não para perseguir a taça de qualquer maneira, como faz um político para alcançar o sucesso. Os fins justificando qualquer meio. Dunga tirou, do torcedor brasileiro, a oportunidade de confraternizar, de ouvir, de saber detalhes de seus ídolos, enquanto dava. Ao fechar a seleção à imprensa brasileira, fechou-a ao torcedor brasileiro. Agora, quem vai querer ouvir o que eles tem a dizer? Já são passado! O torcedor brasileiro perdeu a oportunidade de acompanhar - de verdade - a sua seleção.

O PoPa é um cara que não entende de futebol. E não gosta! Mas acha que se perdeu uma excelente oportunidade de valorizar os passes de jogadores brasileiros que ainda estão no Brasil. Perdeu-se a oportunidade de dar aos clubes, uma boa grana com a valorização destes passes. Ora, um país como o Brasil não teria condições de formar uma seleção vencedora, apenas com os melhores que ainda não estão no estrangeiro? Gente que teria mais a ganhar - e, portanto, mais garra - com a vitória da seleção.

O fracasso, assim como a vitória que não houve, pertence a Dunga. O PoPa segue na Copa torcendo pelo Uruguai, a seleção cuja vitória - segundo o presidente do pt - deve ser atribuida a Mujica...

2 comentários:

CINEMAN disse...

Você olha para as caras dos jogadores e não se identifica com nenhum. Porque? A gente conhece os jogadores de nossos times e dos nossos adversários diretos. O único que atendia esta característica era o Robinho e, pela saida recente, o Nilmar. O resto é tudo japonês. Então está na hora da seleção brasileira ser do Brasil. Chega de europeus. Queremos um time jogando o futebol brasileiro e não o futebol europeu. Só para exemplificar, o time da Alemanha joga todo na Alemanha. E são jovens, alguns da idade do Neymar e do Paulo Ganso. Sem falar no aspecto econômico, se é para valorizar algum jogador vamos valorizar os dos nossos clubes. E, para encerrar, FORA DUNGA.

PoPa disse...

Ele disse que seu contrato está no final e não fica na seleção. Mas, por via das dúvidas... FORA DUNGA!!!