quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Eu Lembro!

Eu lembro de um tempo em que as pessoas tinham vergonha de mentir e, pegas na mentira, tinham vergonha. Eu lembro de um tempo em que as famílias se envergonhavam por seus membros que mentiam. Eu lembro de um tempo em que os amigos se envergonhavam pelos amigos que mentiam.

Eu lembro de um tempo em que roubar era feio, muito feio. Lembro que não se repetiam até cansar as palavras "ética", "honestidade", "caráter", pois eram apenas coisas que toda pessoa deveria ser, não uma qualidade a ser perseguida ou mimetizada.

Eu lembro de um tempo em que o Brasil era um país sério, em que era preciso estudar para passar de ano e as pessoas começavam a trabalhar cedo, aos 14, 16 anos. Eu lembro de um tempo em que se respeitava professores, se respeitava a autoridade deles dentro de aula. Lembro de um tempo em que as crianças respeitavam os mais velhos. E um tempo em que criança era simplesmente uma criança, não um marmanjo armado com um 38 assaltando e sendo protegido pela sociedade que ele ameaça.

Lembro de um tempo em que velhos, crianças, grávidas, deficientes eram respeitados pela sua condição humana e pelas suas dificuldades intrínsicas, não pelo peso de uma lei.

O Brasil mudou? Mudamos nós? Ou simplesmente algumas pessoas se julgaram melhores que outras e começaram a criar coisas que não precisávamos, para resolver problemas que não tínhamos?

Estamos cada vez mais perto do universo de George Orwell. Já temos nossa novilíngua distorcendo o significado de palavras como "cidadania", "justiça", "trabalhadores", "igualdade", "raça", "tolerância" além de criar novas, como "transversalidade", "politicamente correto", "ambientalismo"... Já temos nosso Big Brother em todas as telas de tv, bradando chavões e palavras de ordem, tentando manter e ampliar seu universo de controle.

Está nas mãos dos brasileiros seguir este rumo ou começar a mudar - um pouquinho que seja. Voltar aos tempos em que honestidade, ética e caráter não eram apenas palavras ou qualidades pessoais, mas um conjunto de regras respeitadas por toda a sociedade. Que a falta destas características seja repudiada pela sociedade e não premiada.

6 comentários:

CINEMAN disse...

Meu caro Popa este teu texto está magnifico.

PoPa disse...

Magnífico é o Reitor, caro Cineman! E o da UFPel babou bastante no chefe quando ele esteve aqui. Pudera, garantiu a compra de um frigorífico para transformar em shopping (????) e campus, devidamente inaugurado com comício pró-Dilma e achaques à Serra.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Muito bom, Popa. As cartas estão na mesa, a sociedade brasileira vai optar. O Brasil consciente já sabe em quem votar, o problema é o Brasil inconsciente e alienado que antes votava na Arena e hoje vota no PT.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Popa, ouvi tua mensagem do twitter hoje no programa do Diego Casagrande na Band News.

charlie foxtrot disse...

De modo geral o brasil está cada vez pior em termos de civilidade. Sem dúvida alguma!

Anônimo disse...

No Brasil de hoje, ser educado é ser frouxo, ser gentil é ser babaca e ter ética virou motivo de piada. Coisa triste!