quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Aberrações e suas consequências

Hoje pela manhã, o PoPa acompanhou uma entrevista de Tarso à Band. Muito contido, parece que não vai repetir o governo desastrado de Olívio Dutra, que enxotou investimentos, bagunçou a segurança pública, quase liquidou a Emater e causou sérios problemas ao Banrisul, para ficar apenas nestes. Provavelmente não colocará a bandeira de Cuba na sacada do Palácio Farroupílha, nem receberá guerrilheiros das Farc...

Mas o que chamou a atenção na entrevista, foi a indignação dele da não eleição da filha, Luciana. O PoPa concorda com o governador eleito que isto é uma aberração mas, fica imaginando se oito anos de governo não teriam sido suficientes para amenizar esta e outras aberrações do sistema político brasileiro. A apregoada reforma política não saiu do papel mas poderia ter tido algumas pontuais e pequenas alterações. Como esta, que não permitiu a eleição de uma candidata extremamente bem votada, ao mesmo tempo em que coloca um mensaleiro pouco votado na esteira do voto no palhaço. Esta é uma distorção séria, realmente. Mas eles tiveram oito anos no governo e nada fizeram para melhorar. Talvez porque esta regra beneficie, mais do que prejudica, seus amigos e apoiadores...

10 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

Estou gostando dos primeiros acordes do Tarso. Ele quer fazer um governo de coalizão e "consertação". Acho que vai ter apoio do PDT e talvez - pasme - do PP (ex Arena e PDS). Mas vai ter pressão por parte do radicalismo, como coloquei no depósito: Tem gente que quer tirar Eva Sopher do Theatro São Pedro.

PoPa disse...

Eu participei dos tais "diálogos de cersertação". Pura perda de tempo!

charlie foxtrot disse...

Tarso é comuna. Vai fazer algo parecido com o do bigode.

Cachorro Louco disse...

Não se iluda meu amigo ,Tarso é comunista e vai fazer o que comunistas fazem ,ou seja , se aproveitar e roubar .Uma coisa me deixou triste nessa eleições ,o Rio Grande do Sul foi o único estado sulista onde o PT venceu e com boa margem .Isso é perigoso.
Abraços

paschoal disse...

Meu amigo Popa o cachorro louco tá cheio de razão, comunista é comunista se não caga na entrada caga na saída!
Te cuida tché!

CINEMAN disse...

Voltando ao Lula. -"Agora a policia bate em quem tem que bater"

CINEMAN disse...

Hoje no Campo & Lavoura da ZH foram colocadas as primeiras idéias do Tarso Genro para a agricultura.Algumas são engraçadas, outras nem tanto.
A engraçada é retomar o programa Sabor Gaúcho do Olivio. Um selo de qualidade sem qualidade. Infelizmente, para este tipo de programa, existe um cara chamado consumidor que se o selo não significar qualidade vai ter o efeito contrário. O selo vai ser um aviso para o cara chamado consumidor não comprar o produto.
A nada engraçada é ver que o programa do Tarso para a agricultura está muito parecido com o do Olivio. Cria uma Secretaria de Desenvolvimento Rural e Cooperativismo que parece que vai ter uma orientação toda para assentamentos. Quando o PT fala em agricultura familiar não é exatamente de agricultura familiar que ele está falando. Tanto é que a pergunta na ZH é se esta secretaria fará desapropriações ou só consolidará os assentamentos. (Como se pudessem ser consolidados). A EMATER vai direto para esta secretaria segundo o ex-presidente da EMATER no governo Olivio e agora um dos mentores do programa de Tarso. Tem mais PobrePampa mas o resto eu deixo para ti.

CINEMAN disse...

Considerando os resultados no Sudeste e Sul tenho que concordar com Franklin de Oliveira - Rio Grande do Sul, o novo nordeste.

Anônimo disse...

tarso vai falir o RS.

PoPa disse...

O PoPa espera, sinceramente, que Tarso utilize os melhores quadros do pt para governar o Estado. E existem excelentes técnicos ligados ao partido e que estão nos quadros de carreira de várias secretarias e órgãos públicos. O pior que ele pode fazer é trazer gente que não tem idéia do que o Estado faz, para controlar secretarias e órgãos importantes para o desenvolvimento. Agricultura, Fazenda, Planejamento, Banrisul, Emater... Estes cargos precisam ser ocupados por gente com capacidade técnica e burocrática (no seu bom sentido) e principalmente, mas não somente, honestas.