terça-feira, 10 de maio de 2011

General Heleno

No momento em que passava para a reserva, o General Heleno homenageia a memória de seu pai, que foi coronel do Exército: “Lutastes, em 1964, contra a comunização do país e me ensinastes a identificar e repudiar os que se valem das liberdades democráticas para tentar impor um regime totalitário, de qualquer matiz”. 


O PoPa espera que o General se disponha a assumir suas posições de libertador junto à classe política, tornando-se candidato à Presidente da República. Já tem o voto do PoPa!

6 comentários:

Vindo dos Pampas disse...

Também tem o meu voto.

Anônimo disse...

General Heleno,

O único brasileiro de resgatar o respeito internacional para o Brasil.

Por favor, General

Atenda o apelo desta mãe brasileira.


Grata

Anônimo disse...

Tinha de ser do sul mesmo para promover esta m.... de ação.
Precisavam estar em 64 paa ver a "festa" que esta corja promoveu.
Muito me admira, "brasileiros" (se é que podemos chamar assim) elogiar atos de despreso aos direitos humanos e a liberdade de expressão.

Anônimo disse...

VÁ PRA CASA GENERAL!

Ninguém esperava uma atitude, um pensamento, um discurso diferente desse general. Alguns oficiais e outros tantos abestalhados da mídia do PIG sentem saudades da era de chumbo, da ditadura ensandecida, do poder que permitia e exigia torturas, da censura de idéias e opiniões. Para gente assim o AI-5 foi o clímax de uma era gloriosa. Gente assim gostava de torturar pessoas até a morte e depois esconder os corpos em cemitérios clandestinos. Gostavam de estuprar, ameaçar famílias, violar todos os direitos humanos com requintes de crueldade. Esqueça, general Heleno, esse tempo de ditadura e tortura, nunca mais. Vá pra casa, vista o pijama, coloque chinelos e tente cuidar de flores, é uma ótima terapia. Agradeça a Deus, general Heleno, por ser brasileiro, porque na Argentina, Chile, Uruguai, você não iria para casa cuidar de flores. Lá os golpistas, os assassinos e os torturadores saudosistas da ditadura vão para a cadeia, condenados à prisão perpétua.

Anônimo disse...

Tem o meu voto e dos meus amigos com certeza!

pOpA disse...

Caro anonimo número 1, há um pequeno erro na tua análise. O General Heleno graduou-se na Aman em 69, não fazendo parte, portanto, do que você chama de torturadores, assassinos e coisas piores ainda. Não seria, portanto, alguém a ser condenado pelo tribunal que alguns pretendem.

Assim como apenas uma pequena parcela dos militares aderiu à tortura, apenas parte dos militantes esquerdistas pegou em armas e matou. Mas o fizeram e não se arrependem até hoje. No tribunal que pretendes, eles teriam seu julgamento também?