quinta-feira, 26 de novembro de 2009

O PoPa e a Declaração de Hamburgo

Na verdade, este é um assunto já bem batido, mas o PoPa não tinha dito nada sobre ele antes. E por que? Bem, em primeiro lugar, o PoPa nunca fez clipping direto ou poucas vezes fez o tal "corta e cola", sempre indicando a fonte.

Os tais agregadores de conteúdo citados na Declaração são, nada mais, nada menos, uma versão moderna dos velhos clippings xerografados que ainda circulam em praticamente todas as grandes empresas e todas as repartições públicas. Ou seja, enquanto estava somente entre os tais "formadores de opinião", tudo bem? Quando chega ao povo que tão somente tem a internet e não o acesso privilegiado das repartições, aí fica ruim?

Esta tal Declaração é muito sobre o politicamente correto. Que as empresas jornalísticas invistam pesado na mídia de internet, que terão espaços publicitários gordos e de grande retorno.

Blogs interessantes, dificilmente copiam integralmente as matérias jornalísticas. Por exemplo, sempre que o PoPa lê algo interessante em um blog que cite uma revista ou jornal, ele busca o link original, para saber detalhes da própria fonte. E, claro, está ao alcance da publicidade que lá se encontra. Talvez por isso mesmo, o PoPa não faz citações integrais, mas apenas das partes interessantes, com o devido link para seus parcos leitores poderem - se quiserem - ler a notícia original.

O PoPa não lê o conteúdo exclusivo dos assinantes da Folha. Aliás, acho que nem os assinantes, pois eles já estão lendo o tal conteúdo no papel... Mas até pagaria, desde que o valor fosse compatível com uma mídia que não tem custo de papel, impressão e distribuição. O que acontece atualmente, é que estas empresas querem valores praticamente iguais aos do jornal impresso... aí não tem negócio!

A DECLARAÇÃO DE HAMBURGO

A internet é uma grande oportunidade para o jornalismo profissional - mas apenas se se mantiver o equilíbrio econômico-financeiro das empresas jornalísticas nos novos canais de distribuição digitais. Não é o que acontece atualmente.

Vários agregadores de conteúdo utilizam obras de jornalistas, editores e empresas jornalísticas sem pagar por este uso. [sim, sempre o fizeram! Afinal, o que são os clippings que circulam até nas redações?] No longo prazo, esta prática põe em risco a criação de conteúdos de alta qualidade e o próprio jornalismo independente. [Por que?]

Por este motivo, precisamos melhorar a proteção da propriedade intelectual na internet. O acesso livre à web não significa necessariamente acesso livre de custos. Discordamos dos que afirmam que a liberdade de informação só será obtida com todos os conteúdos gratuitos. [Gratuitos? E a massa de publicidade que acompanham TODAS as páginas dos jornais? Gratuitos seriam se não houvessem estas publicidades...]

O acesso universal aos nossos serviços deverá estar disponível, mas não queremos ser obrigados a ceder a nossa propriedade sem autorização prévia.

Assim sendo, consideramos necessárias e urgentes medidas para a proteção dos direitos autorais de jornalistas, editores e empresas jornalísticas na internet.

Não devem existir zonas da internet onde as leis não se aplicam. Os governos e legisladores, em nível nacional e internacional, devem proteger mais eficazmente os conteúdos intelectuais dos autores e produtores. Deve ser proibida a utilização, sem prévia autorização, da propriedade intelectual de terceiros. [proibida? Na internet?]

Em última análise, também na rede mundial de internet deve valer o princípio: não há democracia sem jornalismo independente.

A propósito, a Declaração acima foi cortada e colada do site do Reinaldo Azevedo, que fazia clippings diários que não eram lidos por quase ninguém, visto que também não eram comentados... Ele deu-se conta que não era aquilo que seus leitores procuravam.

5 comentários:

charlie disse...

Eu não tenho esperanças de que um dia jornalistas entendam o espírito da rede. Pelo menos sei que eles podem gritar, espernear, reclamar mas que no fim a correnteza leva.

Roberto disse...

Ser o primeiro a relatar um evento não o torna proprietário (exclusivo) da sua divulgação. Se fosse assim, só haveria uma notícia para cada evento e, quem o desejasse comentar, teria que pagar ao pretenso proprietário.
Será esta a 'imprensa livre' que tem gente apregoando por aí?

CINEMAN disse...

Caro PoPa, assista uma aula imperdível de nosso lider maior sobre o clima.
http://video.tiscali.it/canali/truveo/686425073.html

Anônimo disse...

É..mas também não dá para fazer como Clovis Duarte(pampa), que no seu site, copia descaradamente noticias inteiras do G1, ClicRBS, Terra, Uol, ...e ainda diz que "dá tudo em primeira mão".
www.clovisduarte.com.br

CINEMAN disse...

A ai PoPa, como bons pelotenses voces queimaram o grande lider quando ele falou mal da cidade , mas agora , se verdadeiras as declarações do ex petista, dá para pensar que era só puxada de assunto.