sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Violência no trânsito

Boas, notícias, más notícias...

O Ministro da Justiça busca aumentar o rigor com quem dirige sem respeitar as mínimas regras do trânsito. E são boas as ações, embora o PoPa não acredita que façam grande efeito, pois as causas são um pouco mais complicadas.

No primeiro ano de sua primeira habilitação, a filha do vice-governador morreu esta madrugada, aos 18 anos, em um acidente automobilístico. Ela dirigia o carro. Uma tragédia, com certeza! E, certamente, ela tinha acesso às informações corretas de que não deveria correr, não deveria dirigir alcoolizada ou cansada. Não é, pois, uma questão de rigor nas multas ou campanhas publicitárias. É uma questão de educação básica. Se não em casa, na escola. Obrigatória! Mostrando casos reais, chocando as crianças! Assim, elas poderão ser fiscais de seus pais e, quando dirigirem, o farão com mais cuidado.

3 comentários:

Lua Nua disse...

Adorei a parte da lei que proíbe bebida alcoolica nas estradas federais, mesmo sabendo que o número de caminhoneiros que vai levar uma garrafa no caminhão é grande.

Qdo morei no interior de SP essa era uma lei estadual, e lembro que na época tinha diminuido bastante os acidentes por alcool.

Aí vem a Globo Loura Platinada & Burra e mostra os donos de postos de gasolina que estão desrespeitando a nova lei.

O cara que tá agindo de forma certa e tendo um bruta prejuízo no carnaval pensa: "Sou um idiota, parei de ter lucro enquanto os espertos estão vendendo pinga à vontade. Que se dane o povo! Vou vender e o povo que se mate na estrada, afinal de contas fiscalização não existe mesmo..."

Aí pessoas que vão pra estrada como eu: "lata zero" se ferram com os bebuns e/ou cansados.

Infelizmente o vice aprendeu tarde demais que educação é coisa para se dar em casa e que o bom mesmo é uma pessoa de 18 anos, com carteira recém tirada, andar sempre com alguém que tem mais kow how na matança do trânsito.

bjs

Pobre Pampa disse...

Cara Lua, acho que a proibição é muito boa. Os camioneiros não se arriscam a levar a bebida na boléia, pois o patrão pode ficar sabendo. E, com esta nova regra, mesmo sem beber, a bebida na cabine configura a infração. Boas medidas!

Sobre a filha do vice, foi uma tragédia, mesmo. Eu não deixaria minha filha dirigir à noite, em Porto Alegre, sem ter a necessária habilidade e maturidade. Mas não dá para culpar um pai que já teve o maior dos castigos.

Lua Nua disse...

PoPa,
Se os caminhoneiros não arriscam a levar pinga, sei que levam "bola" (remédios para não dormir). Já tive uma carreta branca de frente pra mim. Ou eu fazia o "certo", ou matava minha família. Até hj falo que foi meu anjo de guarda que fez eu tomar a decisão certa.

Qdo à filha do vice eu só queria q vc soubesse que meu filho com 18 anos e menos de 1 ano de carteira "matou" meu melhor carro. Um corsa wagon de 8 anos... o carro genial q nunca me deixou na mão!!! Meu filho o matou numa árvore pq virou pra trás pra arrumar um monitor q tombou. Ele não bebe NADA, não fuma NADA, é vegetariano e eram 5 horas da tarde. Ele não estava bêbado, nem drogado, nem com sono e meu carro foi perda total.

Depois desse dia eu falei pra ele: vc errou de bobeira, agora vai ter direção vigiada, só sai comigo, com o pai ou com tua irmã junto.

Ele ficou assim mais de 6 meses, aprendendo a ser responsável e ter noção de perigo.

Hoje confio nele (já se passaram 3 anos).

Mais beijos