quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

A Farra II...

Nesta história dos cartões, o mais impressionante e o que deixa o PoPa mais irritado, é a constante afirmação da imprensa, que os saques em dinheiro "na boca do caixa" são impossíveis de rastrar. Não é assim! O servidor recebe algum dinheiro para fazer algum tipo de serviço e tem que prestar contas. Se não o fez (se não é possível "rastrear"), é roubo! Qual o problema? O cara retira dinheiro no caixa e, se não consegue comprovar, abre-se um inquérito administrativo, coloca o cara para rua e faz ele devolver o dinheiro!

Mas, e se esse "pobre servidor" tirou o dinheiro para uma autoridade maior? Azar dele... quem mandou ser burro? Se for esperto, vai entregar a autoridade, embora o PoPa ache que vai ser difícil provar isto ou o governo vai abafar.

E essa história de segurança da família presidencial? Ninguém pode saber que Lula come seu coelhinho às custas do povo? Ou aquela picanha argentina de 50 reais o quilo? Ou seus vinhos Romanée Conti, de 6.000 dólares a garrafa? E o pior: o governo se diz chocado com a farra dos cartões!

4 comentários:

CINEMAN disse...

Novo slogan para o andar de baixo:
CHEGA DE BOLSA FAMILIA QUEREMOS CARTÃO CORPORATIVO.

Buggyman disse...

hehehe, boa pedida!

tita coelho disse...

É Popa, deveríamos parar de pagar imposto! Imagina se fosse possível...
beijos

classifica disse...

Meu assessor sindicalista sugeriu uma alteração no slogan: CHEGA DE BOLSA FAMILIA, CARTÃO CORPORATIVO JÁ!!
Eles são bons nisso. O PoPa poderia mandar mandar fazer uns 10 adesivos e distribuir para os leitores do blog. O que é que achas?