terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Tal pai, tal filho, tal filha...

O tal Portal Transparência é realmente interessante. Insistentes jornalistas descobriram que o escritório do GSI (Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República) em Floripa também entrou na farra dos tais cartões corporativos. E foram até Floripa (com grana do jornal, não dos tais cartões), para descobrir o que estava acontecendo.

Quem trabalha com o setor público, sabe que as despesas ordinárias são feitas através de licitações e que as mais urgentes, podem ser feitas através de cartas convites, com a tomada de, pelo menos, três orçamentos. Assim, aquele escritório de Floripa, que tem um enorme contingente de trabalhadores e está instalado em um bom prédio (tem até piscina!), custa bastante aos contribuintes que nada têm a ver com o fato da filha do presidente morar longe de Brasília. Ok, tem que ter segurança, mas não precisa uma equipe e um escritório cheio de gente e com gastos absurdos. Quantos, realmente, estão dedicados à segurança da filhota? Quantos carros estão à disposição deste abuso?

Zero Hora fala apenas dos gastos do cartão corporativo, não dos gastos, digamos, normais do escritório! Este escritório tem gasto - somente com o cartão - mais de 11 mil reais mensais! Ou seja, apenas gastos periféricos, sem licitação, sem nada! E o ministro Jorge Félix, chefe do GSI, disse que as despesas não poderiam ter vazado na internet e que elas serão justificadas também amanhã. Precisa tempo para arrumar uma boa desculpa, não chefinho?

E, realmente, não importa quão boa seja a desculpa! Despesas com grana pública têm que ser claras, transparentes e feitas com critério. O uso do cartão tira todos estes predicados da despesa, pois não se faz tomada de preços, não se justifica a necessidade, nada! Livraria (1.800 reais)? Claro, poderia ser material de expediente, aquele que qualquer escritório utiliza e sabe quando vai precisar. Logo, licitação não seria um absurdo... Loja de piscina (1.114,00)? Bem, precisamos fazer o tratamento da água daquela piscininha ali... 21 mil reais em auto-peças? Puxa, quem gasta tudo isso em manutenção de carros, ou tem uma enorme frota, ou tem só ferro-velho! E, lembrem-se, foram em cinco meses...

Acho que todos estes gastos, os transparentes e os nem tanto, deveriam ser divulgados à população. Pelo menos, saberíamos quanto custa nossa família real. É, e também tem escritório deste GSI no ABC (gastando bem mais!). Terá em Garanhuns, também?

Portal transparência: http://www.portaltransparencia.gov.br/ Não é tarefa simples tentar desvendar os números do portal. Até porque alguns - os maiores - estão em "segredo"... e alguns, que não estavam, agora estão.

Imagem: Casinha do GSI em Floripa. Qual será o aluguel desta coisinha? Não poderia ser em um edifício comercial?

2 comentários:

CINEMAN disse...

Ainda bem que a prole é pequena.

Buggyman disse...

será que aquela filha mais velha, fora do casamento oficial, está nesta, também?