quarta-feira, 12 de setembro de 2007

A Guerra dos Eucaliptos - novo round!

Pois a Via Capesina, juntamente com o MST, o MPA, o MTD, o MMC e mais alguns FDP, resolveu bloquear o acesso dos funcionários da VCP ao viveiro que existe no município do Capão do Leão, próximo à Pelotas. “Queremos a biodiversidade e a produção de alimentos saudáveis”, afirmou a agricultora Maristela Pereira, de Encruzilhada do Sul. “Acreditamos que o agronegócio, especialmente a cultura do eucalipto pelas multinacionais, desestruturará a economia dos municípios gaúchos e fere o direito do coletivo”, disse o agricultor e integrante do MPA, Adílson Schuch, que também disse: “Somos contra o deserto verde das empresas de celulose, a exportação e a monocultura que não respeitam a estrutura econômica da região.”

Vamos por partes...

Biodiversidade e alimentos saudáveis, quem pode ser contra isso? Mas é preciso lembrar-se que os eucaliptos estão sendo plantados em áreas onde nada disso era produzido.

O agronegócio vai desestruturar a economia dos municípios. Essa é dura de engolir! Senão, vejamos: nas áreas onde estão sendo implantados os matos de eucaliptos, a grande produção é de pecuária extensiva, cujo reflexo na economia dos municípios é muito, mas muito inferior ao que se dará com os matos de eucaliptos, tanto em termos de mão de obra, como em termos de circulação de dinheiro. Os plantios de soja e milho nestas áreas são ínfimos e sem segurança, por tratar-se de regiões sem as características adequadas para estas culturas. Talvez eles não saibam que o agronegócio tem salvo o país nos últimos anos, pagando suas contas e mantendo empregos, enquanto outros setores da economia definhavam ou, simplesmente, estabilizavam.

Fere o direito coletivo. Essa é boa, principalmente dito por alguém que está impedindo mais de 200 trabalhadores de chegarem em seus postos de trabalho...

O desejo do grupo é que o Governo do Estado desaproprie as terras cultivadas com eucaliptos... essa é muito boa, também! O INCRA qualifica como improdutiva as propriedades que permaneceram somente na pecuária, mesmo intensiva, e eles querem que as áreas produtivas sejam desapropriadas?

Enquanto isso, mais de mil vagabundos estão acampados na porta de uma empresa nacional, que está trazendo desenvolvimento e trabalho para uma região absolutamente carente de investimentos. E investimentos privados, já que o público só sabe dar comida e grana para esta gente fazer este tipo de "serviço". E, como sempre, colocam mulheres e crianças na frente, para proteger os marmanjos...

Declarações dos invasores dadas ao Diário Popular, edição de hoje.

5 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

Ouvi na gaúcha, hoje pelo meio dia, que o MST invadiu Pelotas e a Brigada teve de acompanhar a marcha e por isso não pode ser realizado um jogo do Brasil de Pel. Hoje o Pelotas joga e pelo mesmo motivo o jogo parece não vai sair.

Pobre Pampa disse...

Internet é uma coisa fantástica! O PoPa procurou e encontrou: Notícia do dia 17/05/2005, relatando a invasão ocorrida em Porto Alegre, no prédio da Receita Federal: O agricultor Adilson Schuch, integrante do Movimento dos Pequenos Agricultores de Canguçu, foi detido, segundo o coronel Jones Barreto dos Santos, “em flagrante por lesão e dano ao patrimônio”...

Em uma invasão da prefeitura de Canguçú, em 2001, lá estava nosso intrépido invasor: "Dezenas de agricultores ligados aos movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e dos Pequenos Agricultores (MPA) expulsaram os servidores e tomaram ontem o prédio da prefeitura de Canguçu, na zona sul do Estado. Os ocupantes acusam o prefeito Odilon Mesko (PPB) de ignorar a lei que reserva representação ao MST e ao MPA no Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente (Comdema). A situação das estradas compromete o rendimento da bacia leiteira, segundo avalia o coordenador do MPA em Canguçu, Adílson Schuch....

Um momento! Que diabo de lei é esta que dá assento a uma entidade inexistente???? Sempre é bom lembrar que o MST não têm - por motivos óbvios - personalidade jurídica. Simples, a lei não existe, foi blefe, balela, enganação!

Pobre Pampa disse...

É verdade, Maia, enquanto isso, a bandidagem festeja, pois os efetivos da BM estão cuidando dos vagabundos...

CINEMAN disse...

O Macaco Simão tem um dito que é sensacional. O País da Piada Pronta. Como é que vai se comentar um besteirol destes. Nós mais velhos conhecemos o Stanislaw Ponte Preta que para gozar as estultices de antanho criou o Festival de Besteira que Assola o País, o FBAPA. Mas nem se encostam no que acontece hoje. Um ou dois livros não chegariam. Teriamos que escrever a Enciclopédia da Besteira que Assola o País. O problema é por onde começar. Mas a minha maior bronca é com os caras terem interrompido o jogo do Xavante. Ai já é demais. Isto sim é ferir o direito coletivo.

Tosco disse...

É o império do absurdo.