sexta-feira, 1 de agosto de 2008

O Brasil e as farc

A revista colombiana "Cambio" traz, na capa deste mês, uma reportagem importante sobre a participação brasileira no apoio às farc (e no apoio destas a alguns políticos brasileiros). Bem, claro que as farc estão em baixa na cotação mundial e ninguém quer ser pego com este tipo de companhia. Mas as denúncias, apesar de não trazerem nada de novo, parecem ter uma boa dose de verdade, como podemos ver nas reportagens do Estadão de hoje. Várias informações foram confirmadas, mas sempre com aquela desculpa esfarrapada de que "não compactuamos com sequestros, tráfico..." ora, o Brasil asilou, politicamente, um dos guerrilheiros das farc que continuou sendo uma espécie de porta voz da guerrilha (o tal "padre Olivério Medina"), mesmo que a condição para ser exilado tenha sido "desligar-se" das farc...
Ora, um país que "abriga" um terrorista, pode ser confiável, aos olhos do povo colombiano?
Melhor, mesmo, que não tentem explicar nada. Marco Aurélio Garcia, segundo o Estadão, saiu-se com esta pérola: "houve uma certa tentativa de aproximação" do governo brasileiro com as Farc, mas insistiu que o contato "foi refutado". Ele disse que foi um dos primeiros a rejeitar todo o contato com a guerrilha. É um rejeitador, o Garcia...

Imagem: da revista Cambio, os protagonistas do "dossie brasileiro". Alguém aí duvida?

5 comentários:

Ricardo Rayol disse...

e misteriosa é a surpresa sobre o assunto ehehehehe

PoPa disse...

hehehe, grande Rayol, os colombianos foram os últimos a saber!!!!!

Buggyman disse...

Esquerdistas: deus os cria, a idiotice os une.

Buggyman disse...

Comentário acima de Toscoman

André Wernner disse...

Comovente ver essa gente assim, trabalhando – ou armando - pelas costas dos brasileiros. Se elegem ou ganham cargos públicos tudo pago com o dinheiro do brasileiro trabalhador e, no entanto, viram às costas para a democracia e o estado de Direito para usurpar o país e seus valores.
Que tristeza!