sábado, 2 de agosto de 2008

Se o campo não planta, a cidade não janta

Esta frase, com rima perfeita que o PoPa leu hoje no "O Sul", seria ótima, não fosse estar escrita em uma faixa da invasão do mst no incra. Poderia ser reescrita assim: "se a cidade dependesse do mst para comer, estaria morta". Não rima, mas é verdade...

E, felizmente, a cidade está percebendo o quão perniciosa é esta organização criminosa.

8 comentários:

Anônimo disse...

Popularidade não é o forte do MST. Mas agora, e cada vez mais, só encontra apoio em redutos socialistas mais reacionários. Os mesmos que ainda veneram Fidel, Farc, ex-URSS...

Infelizmente esse povo nunca vai desaparecer por completo. Caem os muros, as máscaras, os regimes, mas o idiota latino americano permanece.

Ricardo Rayol disse...

Infelizmente o idiota sempre sobreviverá, como as baratas e escorpiões.

Lua Nua disse...

Gosto de vc e de como escreve, mas tô enjoada de política...
Abração

Pobre Pampa disse...

É verdade, Rayol, sempre haverá espaço para o idiota!

Lua, não tem quem seja "normal" que não esteja enjoado de política. Mas isto não nos dá o direito de parar de reclamar e deixar a canalha tomar conta do País. Precisamos pensar nos nossos filhos e netos...

André Wernner disse...

Essa organização chamada MST é um cancro para o país. São uns baderneiros, agitadores, paus mandados do sistema petista para fazer barulho.

Quero saber se de todo o dinheiro que essa bando já arrecadou via governo brasileiro e instituições internacionais, o que foi feito, como foi investido, qual o resultado objetivo e eficaz para a tal causa.

É preciso ter um mapeamento a altura para se saber o que realmente eles fazem além de insuflar às camadas sociais. Uma entidade fantasma para efeito jurídico. Pois, nem CNPJ tem. O movimento é clandestino. O dinheiro, segundo dizem, vai para os dirigentes que distribuem de acordo com às necessidades dos acampamentos. É mole?
Abs

CINEMAN disse...

O MST é uma tentativa mal sucedida de FARC. É o narco terrorismo sem o narco. Não consegue sobreviver. Agora me explica que história é esta dos estudantes de agronomia, que deveriam entender de - agronomia - fizeram uma manifestação conjunta com estes caras contra a silvicultura na Metade Sul?

PoPa disse...

Pior que isso, Cineman, o PoPa viu um estudante de engenharia florestal protestar contra o plantio de árvores exóticas! Não só contra os eucaliptos, mas contra qualquer tipo de árvore exótica. Onde este cara iria trabalhar???? Provavelmente, em alguma ong internacional, ou no governo...

PoPa disse...

André, esta caixa preta ninguém vai abrir! A grana que é lançada para o mst através de cooperativas de produtores é algo inimaginável! E eles ainda cobram um "pedágio" de todo o financiamento que um assentado consiga, mesmo que isso signifique redução de área de plantio ou inviabilização de algum projeto.

Este que seria um assunto muito bom para uma CPI!