terça-feira, 5 de agosto de 2008

Menores infratores, Maiores gastos

O PoPa leu com atenção as reportagens que falam do custo de um menor infrator no RS. Falam em R$ 4.500,00 mensais por cada menor internado. Ora, qualquer pessoa que conheça, minimamente, as entranhas do Estado e um pouco de economia, sabe que este número, isoladamente, nada quer dizer. Enquanto não houver a abertura destas contas, não dá para saber se isto é ou não real, se é ou não caro.

A sociedade gaúcha precisa saber - deste valor - quanto é destinado à alimentação, ensino e demais necessidades básicas destes jovens. Muito provavelmente, este valor perde-se em funções gratificadas, em diárias monumentais, em treinamentos de servidores, em ongs e outras bobagens que não justificam o fim.

Enquanto não abrirem esta conta, é apenas um número. Um enorme número... Quem sabe, para reduzir este valor, internamos mais jovens?

4 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

É impressionante a incapacidade e a ineficiência do Estado em administrar. Um absurdo esse valor. E quem paga essa conta somos nós.

CINEMAN disse...

A apresentação de números sem uma análise criteriosa é a coisa mais corriqueira. Ontem saiu um levantamento da variação patrimonial dos políticos elaborada por uma destas ONGs que andam por ai. O crescimento percentual do patrimônio, indice que recebeu o maior enfase, é um número que sozinho diz muito pouco. Vamos abrir os números PoPa, igual ao que sugeres para os gastos com menores, e ai vamos ver onde realmente estão os problemas.

Pobre Pampa disse...

Esta história de variação patrimonial, sem dizer mais que isso, é outra bobagem midiática. Imagine um líder comunitário, cujo único bem fosse um fusca de, digamos, uns mil reais na sua declaração. Ao chegar ao final do mandato de vereador, com um salário bem razoável, poderá estar com um uno mile quase novo, de uns 12.000 reais. Isso significa um aumento patrimonial de 1200%! Seria isto inimaginável ou impróprio?

CINEMAN disse...

É exatamente isto o que os caras fizeram. Ou seja, é uma informação boba que diz coisa nenhuma;