terça-feira, 8 de julho de 2008

Universidade Federal de Pelotas

A Fazenda da Palma, intimamente ligada a Faculdade de Agronomia, sempre serviu para ensino e pesquisa e o PoPa muito trabalhou nestas terras, durante sua formação técnica. Quinze anos atrás, o então reitor da UFPel, tentou fazer a doação de uma parte da Fazenda da Palma, propriedade da Universidade, para invasores que se apossaram da terra. Não conseguindo fazer a doação, fez um contrato de comodato, com prazo de 15 anos e prorrogável indefinidamente. Muitos foram os que se indignaram com esta ação mas apenas um cidadão entrou na justiça contra isto, lutando durante estes quinze anos para que a área retornasse à sua função original, que é o ensino e a pesquisa.

Este mês que passou, a decisão do tribunal federal foi, unanimemente, retirar os invasores da área e impedi-los (e à Universidade) de usar qualquer outra terra de propriedade da União para assentá-los. Não fosse o hercúleo trabalho de Cattaneo (o cidadão que lutou para que não se espoliasse o patrimônio de ensino e pesquisa da região), este contrato de comodato seria prorrogado por mais 15 anos...

Alguns, sem o conhecimento devido, poderiam dizer que a área estaria cumprindo sua função social. Nada mais equivocado! Esta área nunca serviu para produção dos "assentados", tendo sido arrendada para um produtor de arroz que, pasmem, tinha financiamento de custeio de um banco oficial para sua lavoura!

Mas o que podemos esperar de uma universidade que está fazendo um Shopping Center?

3 comentários:

Ricardo Rayol disse...

cursos superiores de jardinagem, criação de bambis e outras coisas do gênero rs.

Pobre Pampa disse...

Boa sugestão! hehe, mas não vamos divulgar, pois o reitor pode gostar da idéia...

CINEMAN disse...

Como o reitor pode gostar da idéia? Só falta dizer que o reitor atual é o mesmo que fez a doação. Cattaneo para reitor.