terça-feira, 10 de junho de 2008

Fatos & Fatos

O PoPa tem andado muito ocupado com a própria sobrevivência e não tem tido tempo de falar sobre política, mas os fatos... ah, os fatos não ajudam! Sobre a questão Busatto:
  1. O PoPa leu o que foi transcrito na mídia sobre a gravação e não encontrou nenhum tipo de declaração que possa transformar Busatto em um político corrupto;
  2. O PoPa soube, hoje, que havia mais uma hora de conversa, que o vice não mostrou. Portanto, a conversa foi editada. Por que?
  3. Onix disse, na ZH de hoje, que "o povo" apóia a ação do vice. Onde ele viu isto? O povo gaúcho não apóia este tipo de política, com certeza! Mas o PoPa ficaria satisfeito se ele apresentasse algum tipo de pesquisa de opinião sobre o assunto. Pelo contrário, a coragem de Busatto em enfrentar a CPI, imediatamente após o fato, demonstra claramente que ele é um político sério, que declarou - em uma conversa privada - que existem esquemas políticos desde muito tempo. Alguma novidade nisso?
  4. O pt, que está mergulhado num mar de lama há tanto tempo, é quem mais bate no Busatto. Estranho isso...
  5. O psol agora quer dar um golpe no Governo do Estado. Onde estão os arautos da democracia que denunciam golpes - inexistentes - contra Lpt a todo momento?
Não precisam responder. O PoPa conhece todas as respostas. Até as golpistas...

Sobre a história de que "o povo" apoia esta baboseira, o PoPa cita Yoana, do Generacion Y:

Alguien habla en mi nombre. Me suman a una primera persona del plural que al decir “nosotros los cubanos no permitiremos (…) nuestro pueblo no transigirá…” nos incluye a todos sin consultarnos a ninguno. De esa esquizofrenia de la primera persona del plural, está lleno el discurso político cubano. [Alguém fala em meu nome. Colocam-me em uma primeira pessoa do plural porque ao dizer: "nós, cubanos, não permitiremos... nosso povo não transigirá..." incluem todos sem consultar ninguém. Desta esquizofrenia da primeira pessoa do plural, o discurso cubano está cheio.]

3 comentários:

Ricardo Rayol disse...

isso só me confirma que todos são venais perante a lei e o dinheiro público.

tita coelho disse...

Popa,
a gravação que o Feijó fez do Busatto é clássica, só não haviam gravado ainda. A crucificação do Busatto se existir é pela "meninice" de se abrir assim com o Feijó que é oposição ao Governo.
Minha opinião é que Feijó está certo ao gravar, por muitos tempos chamaram ele de louco e mentiroso quando na política se sabe que rola isso mesmo, mas... Como todos somos"éticos" no RS o discurso rolava solto.
Quanto ao golpe, os partidos ditos de "esquerda" podem até tentar... mas quem chutou o pau da barraca foi mesmo o Feijó não eles!
beijos

CINEMAN disse...

A entrevista do Feijó é impressionante. Ele diz que cerca de uma hora de gravação não tinha interesse público e por isto ele apagou. Este cara é conhecido na vila Quédi porque não paga a tabela das bolinhas de golfe devolvidas. Segundo o pessoal da vila é o maior pão duro.
Mas enfim pelo menos um ponto positivo. Já temos o nosso Juruna do Sul.