terça-feira, 24 de junho de 2008

Álcool e Direção

Nos primeiros momentos desta nova lei, O PoPa não concordava com tal rigor. Ainda acha que zero é um exagero que vai deixar problemas pelo caminho, como a falta de noção de alguns agentes de trânsito. Mas, por outro lado, é bom, pois coloca um fim na discussão de quantas cervejas posso tomar e dirigir... a resposta é bem mais simples: nenhuma!

Se este rigor continuar e servir para reduzir a mortalidade no trânsito, o PoPa acredita que os "bebedores sociais" irão apoiar a medida. Ou deveriam, pelo menos, já que todos conhecemos vítimas inocentes de bêbados ao volante. Com esta legislação, a repressão fica mais simples para a polícia e - mesmo com algumas injustiças - o bem maior prevalecerá: a preservação da vida!

Na ZH de hoje, o PoPa leu a entrevista com um motoqueiro que bebeu "duas doses de uísque com energético com amigos. Mas não fiquei mal. Estava cuidando porque sabia que ia dirigir. Se não, teria bebido bem mais". Uma coisa une os bêbados: nunca ficam mal. Mesmo na legislação antiga, este camarada tinha que ser parado e impedido de dirigir. O idiota ainda misturou energético com bebida! Podia morrer ou, pior, podia matar alguém.

8 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

Popa, sexta feira a noite quando essa lei entrou eu e minha mulher resolvemos jantar num restaurante perto de casa para ir e voltar a pé. No domingo, fomos convidados para um churrasco perto de Viamão. Eu combinei com minha mulher, hoje eu vou tomar uns vinhos e tu diriges. Da próxima vez eu volto dirigindo ou tomamos um taxi. É isso ai, o brasileiro vai ter que mudar de hábito. TAmbém achei essa lei positiva, apesar das grandes incomodações.

Ricardo Rayol disse...

vamos ver por quanto tempo esse rigor irá persistir.

André Wernner disse...

Do jeito que a coisa anda nas estradas brasileiras, o melhor mesmo é dar um basta nessa irresponsabilidade. Quem quiser beber que não dirija. Vá de táxi. Ou beba em casa e não cause danos a terceiros, não é mesmo?
Abs

P.S: ou contrata um motorista...

CINEMAN disse...

Eu me reuno todas as segundas feiras com meus amigos de infância. Um deles traz algumas limas do seu sitio em São Chico e nossa barista sai da máquina do café e nos prepara uma excepcional margarita. Nada demais. Mas de agora em diante decidimos passar para a Coca Cola. Como é que vamos continuar a fazer nossas discussões sobre Lula do PT e companhia se nós mesmos não cumprirmos as leis.

Pobre Pampa disse...

Cineman, está aí uma grande oportunidade para bares e assemelhados em sua "happy hour": bebidas sofisticadas e interessantes, sem o uso de alcool. Deve ter boas receitas para aproveitar estas limas!!!

André, realmente é um caso de guerra! E tem que ter medidas muito fortes para que se tenha algum tipo de trégua. As mortes foram bem menores que a média, neste final de semana no RS. Coincidência? Acho que não.

Maia, este é o tipo de atitude que pessoas sensatas tomam. Mas borrachos não são exatamente pessoas sensatas...

RR, vai depender de nós, também, a cobrança para que o rigor se mantenha. Se continuar o comandante que está na BM, vai continuar, mas será que ele resiste aos "movimentos sociais"?

Carlos Eduardo da Maia disse...

Se a polícia te pegar e você não passar no bafômetro dê a seguinte desculpa: comi sagu, dois bombons de licor, depois olina e biotônico fontoura.

Anônimo disse...

Nah. Essa lei é algo obtusa. O crime estaria não mais em dirigir embriagado, mas em beber qualquer quantia de álcool e dirigir um veículo, certo? Pois bem, como todos sabem, não é o simples ato de ingerir álcool que faz com que o sujeito fique borracho, algumas pessoas inclusive possuem uma boa tolerância e suportam uma dosagem maior antes de começar a sentir efeitos da bebida. E esta lei, me parece, revoga a antiga. Se o sujeito usar alguma outra droga, ilegal inclusive, e ficar embriagado, o aparelho não vai apontar, e a lei não fala mais em embriaguez, fala em dirigir alcoolizado.

Usuário de crack não é penalizado, com a nova lei de drogas, mas uma taça de vinho e um copo de cerveja podem complicar bastante a tua vida. Além do mais, se esta lei for levada a sério, as delegacias irão parar aos fins de semana com a quantidade absurda de ocorrências que irão, NECESSARIAMENTE, surgir. Questão cultural, não somos muçulmanos...

CINEMAN disse...

Uma dica para os empreendedores. Vender bafômetros. Acho que passa a ser item importante para ter no automovel. Até como contraprova. Ou para tomar umas e outras e dar um check para ver se o bafometro acusa.