sexta-feira, 27 de junho de 2008

"Padrão brasileiro"


Pois com estes frios que estão abalando o Pampa, o PoPa resolveu comprar mais um aquecedor para casa. Escolheu bastante e comprou um de radiador, com óleo, que é mais seguro para se ter em um quarto.

Pois não é que a porcaria veio com o pino no tal "novo padrão brasileiro"? O fabricante até colocou uma tomada do tal padrão dentro da caixa, o que não ajudou muito, já que o aquecedor era para ser itinerante... aí, o PoPa ficou a pensar sobre os motivos que levaram os tecnocratas brasileiros a criar um padrão completamente diferente do que já está consagrado e é internacional - o dos computadores. Pino para terra, pinos para ligação do fase e neutro, tudo bonitinho.

Quantos já fizeram instalações em suas casas neste padrão? Quantos milhões de equipamentos existem no Brasil neste padrão? Mas, não! O Brasil precisava de um novo padrão, completamente diferente do que existe no resto do mundo. Foi assim com a TV colorida, com a TV digital e sabe-se lá quantas coisas mais. Não dá nem para imaginar na quantidade de equipamentos que deverão ser alterados, nas tomadas da casas que terão que ser trocadas, na incomodação ao contribuinte. E tudo isso porque algum tecno-burocrata acreditou que estava fazendo o bem para a população? O PoPa gostaria até de acreditar nisso, mas fica pensando na movimentação que algumas empresas terão. E, claro, não existem [ainda] adaptadores para o "novo padrão brasileiro"... que deverá aparecer em breve e criar uma nova fonte de renda para alguns e um novo ponto crítico nas instalações elétricas. Ou alguém acredita que uma casa de alguém que ganha salário mínimo vai ser reformada totalmente para caber neste tal "padrão"? Ou o governo vai criar um "vale tomada"?

Então, para não se preocupar mais com isso, fez o serviço no "padrão brasileiro". Arrancou o pino terra e tudo está funcionando como deveria. Perdeu a garantia, não tem como ligar o terra, mas nunca mais compra produtos Martau, que deveria mostrar na embalagem sua "modernidade".

2 comentários:

Lua Nua disse...

Pobre PoPa... sifu!

Acho que deveríamos conjugar esse verbo tão brasileiro:

Eu mifu
Tu sifu
Ele sifu
Nós sifu juntos
Vóis sifu sozinho
Mas eles nunca sifu, eles são exxxxpertos pra caramba.

Ai, ai, ai...

Bjs

CINEMAN disse...

Talvez o objetivo seja exatamente este. Obrigar o consumidor a adotar o "padrão/jeitinho brasileiro" e, consequentemente, perder a garantia. Bela vigarice. E se fores procurar, alguém levou.