sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Guapuruvu

Este é um belíssimo exemplar de Schizolobium parahiba e está plantado solenemente no calçadão de Pelotas. Quem passa sob sua frondosa copa, nem percebe a beleza que esta árvore tem. É um exemplar nativo do Brasil, podendo ser encontrado até no RS, mas é exótico na Metade Sul, o que nos leva a um pensamento: para a natureza existem fronteiras?

E a uma indagação: Por que não se faz pesquisa para o aproveitamento da madeira desta árvore de crescimento muito rápido e de madeira interessante para painéis aglomerados, embalagens e estrutura de móveis, além de outros usos? Talvez pudesse ser uma opção ao eucalipto para celulose... O PoPa não encontrou nada na literatura técnica sobre o assunto, o que é uma lástima.

Enquanto isto, este exemplar segue servindo de parada para pardais no final da tarde, e protegendo, com sua sombra, os que precisam andar pelo centro da cidade no verão. No inverno, ele perde as folhas, para que os raios de sol possam chegar até o solo. Árvore sábia, em uma região úmida e não tão sábia...

Um comentário:

charlie disse...

Justamente por ser tão bonita, o cultivo por sua madeira pode despertar sentimentos nos ecochatos de plantão. Eles são tão sensíveis...