sábado, 13 de dezembro de 2008

Grana, grana, grana!

No Estadão:

Na contramão da disposição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de fazer uma parceria com os empresários para superar os problemas da desaceleração da economia, a secretária da Receita Federal, Lina Maria Vieira, determinou uma blitz nas grandes empresas para "identificar" e "combater com firmeza" a "inadimplência junto aos grandes contribuintes". A decisão foi repassada a todos os superintendentes da Receita por um e-mail ao qual a Agência Estado teve acesso. A Receita confirma que, de imediato, 400 empresas receberão a visita dos fiscais.

Ou o PoPa desaprendeu tudo que sabe sobre impostos, ou a Receita não sabe o que é isto! Sonegação não tem nada a ver com inadimplência. A primeira é o desvio do valor dos impostos através da sonegação da informação, enquanto a segunda é o não pagamento DEPOIS de informado o valor devido. Coisas diferentes, ações diferentes! Não é motivo de visita de fiscais, a inadimplência, a não ser com o intuito de coagir - ilegalmente - os empresários que estão devendo ao fisco. Que se faça a cobrança via legal, judicial! Com os atuais níveis de custo financeiro, é mais barato atrasar o pagamento dos impostos (com multas e juros legais), que pegar grana em banco - público ou privado - para gerir seu negócio.

Em seus muitos anos de trabalho, o PoPa aprendeu que a primeira coisa que uma empresa em dificuldades faz, é deixar de pagar impostos. A segunda, é deixar de pagar fornecedores. A última - e definitiva - é deixar de pagar salários. Aí, não tem mais volta.

Aprendam! Baixem os juros exorbitantes destepaís, baixem as alíquotas absurdas, as cascatas de impostos, os impostos cobrados sobre eles mesmos e sobre outros, e não será interessante atrasar impostos.

Na questão de impostos, o mais surreal de todos é o ICMS. Você sabia que ele é cobrado sobre ele mesmo? Quando o governo do estado afirma que determinado produto paga 17% de tributo, na verdade é quase 21%, pois ele é cobrado sobre o preço já acrescido do próprio imposto! Confira na sua conta de luz, por exemplo. Ela informa que o imposto é cobrado (25%!) sobre o valor total e não sobre o valor do consumo. O ICMS REAL, neste caso, é de 31,25%!!!!

3 comentários:

O Mascate disse...

Pampa o Brasil cresce apesar do governo, o empresáriado deveria ganhar um prêmio por conseguir produzir e gerar empregos e renda em um país que o governo é sócio da empresa, só atrapalha, participa apenas dos lucros, não faz investimento algum e quando desconfia de alguma coisa audita via Receita Federal.
Quer sacanagem maior do que, a tal Nota Paulista,(aqui em SP) o consumidor pede nota fiscal de tudo o que compra, e cadastra o CPF na Secretaria da Fazenda, e tem retorno em dinheiro de uma parte desse imposto que foi recolhido naquela compra.
Primeiro que o retorno em dinheiro é ridículo, segundo que o CPF vai ser cruzado com a Receita Federal, e terceiro, o consumidor virou fiscal do estado trabalhando de graça.
Só tem esperto no Brasil, e mesmo assim o país cresce, já imaginou em um modelo menos "canibal" aonde poderíamos chegar?

PoPa disse...

Existe um paraíso fiscal dentro do Brasil. Chama-se Zona Franca de Manaus. O parque industrial eletrônico e de motos, por exemplo, não cresce nestepaís, porque é impossível competir com as benesses que o governo federal dá para aqueles empresários. Veja o caso das motos: enquanto empresários fora da ZFM pagam 25% de IPI (35% se se atreverem a produzir motos elétricas), na ZFM pagam algo em torno de 2%. Isto sem contar que não pagam ICMS e uma ninharia de Imposto de Renda. E foi, recentemente, prorrogado por mais 25anos esta mamata. Carros populares pagam 7% (zero com esta redução recente) e motos 125cc (muito mais populares que qualquer mille) seguem pagando os 25%.

E nada se produz por lá! É quase tudo importado. Veja a Dafra, propagandeando que é nacional: só bateria e pneus fabricados no Brasil...

PoPa disse...

Ou seja, o governo fiscal não é o mesmo para todos...