sábado, 10 de maio de 2008

Esperteza paraguaia

Lugo agora quer pagar a metade da dívida de Itaipu. O PoPa ficou impressionado com a notícia de que o novo governante quer pagar metade da dívida QUE FALTA pagar, ignorando os mais de 30 anos de pagamento brasileiro... e diz que tem grana internacional - 10 bilhões de dólares - para fazer isto! Parece que ele está querendo privatizar - internacionalizar, mesmo - a metade da usina que custou tanto sacrifício ao povo brasileiro.

Esperto, este Lugo... se está tão fácil assim conseguir grana internacional, por que ele não consegue alguma para melhorar o nível de vida e educação de sua gente?

Após a publicação deste tópico, o PoPa, alertado pelo Rayol, foi pesquisar mais um pouco sobre o tratado de Itaipu e descobriu que, realmente, o Paraguai paga a sua parcela da dívida através de descontos sobre o que recebe, que é U$45,00/MW. Esta dívida vai correr até 2023, em condições excepcionais de encargos. Se o Paraguai receber grana internacional para o pagamento do que falta, provavelmente - tendo em vista seu histórico - vai ter encargos superiores a estes e, dependendo de como for feito, o Brasil terá que fazer sua cobrança direta ao Paraguai. Quem garante o pagamento? É bom lembrar que Lugo quer dar a sua metade de Itaipu para garantir o financiamento.

Como está atualmente, é só descontar do valor devido - e isto que Lugo, aparentemente, não quer. Se Lugo - ou qualquer outro que vier depois - achar que deve atrasar alguns pagamentos, de quem os banqueiros internacionais vão cobrar? O Brasil, para evitar ingerência internacional em Itaipu, precisará honrar esta dívida. É fácil prever que os tais bancos internacionais que estão com a grana pronta para dar à Lugo, irão querer, além da hipoteca de metade da hidrelétrica, o aval da empresa Itaipu Binacional. E aí, como faremos para cobrar do "irmão pobre"?

É preciso salientar, também, que nem todo o dinheiro utilizado nesta usina é de origem internacional. Muito foi feito com recursos do BNDES, cuja principal origem é o Fundo de Amparo ao Trabalhador. Dinheiro que deixou de ser aplicado em empresas brasileiras para promover emprego e renda.

Vejam que mesmo considerando este desconto para o pagamento da dívida, a situação do Paraguai é extremamente confortável. É como se você comprasse uma enorme casa, fizesse um financiamento e desse metade dela para um vizinho morar. Aí, você paga o financiamento, promove a manutenção da mesma e paga um aluguel maior que o valor do financiamento para usar a garagem da casa...

O Paraguai foi incompetente para usar esta imensa quantidade de energia para promover seu próprio desenvolvimento.

3 comentários:

tita coelho disse...

Sim... até o Presidente Paraguaio pode no fuder (desculpa o termo). Não tinha lido nada ainda a respeito.
beijos meus

Ricardo Rayol disse...

Teoricamente ele não está sendo incoerente. O financiamento da parte paraguaia nao foi feito com tarifas diferenciadas? Ele só deve daqui pra frente mesmo.

PoPa disse...

Rayol, não conheço direito os termos do acordo, mas acho que ele não contempla o pagamento do principal da dívida, apenas manutenção e gerenciamento da mesma. E a tarifa não é tão diferenciada assim. É preciso ter em conta que eles não pagaram nada, não pagam nada, recebem a energia de graça e ainda ganham "algum". Negócio da China! Mas o mais interessante é a história da grana internacional. Ele quer pegar dinheiro para pagar o Brasil e dar em garantia... Itaipu!