sábado, 11 de dezembro de 2010

De cães e javalis

É emocionante ver pessoas que defendem os cães de rua, que os protegem e que impedem uma ação pública para seu controle. Nas cidades, crianças brincam nas caixas de areia dos parques infantis, as mesmas onde estes cães errantes - vetores de inúmeras doenças - colocam fezes e urina. Na areia da praia, onde muitos deitam-se com a impressão - errada - de que uma toalha os protegerá e onde andam descalços, estes cães depositam as doenças. Mas, quando alguma prefeitura pretende o controle destes animais, sempre alguém se levanta contra isso, em nome da civilidade, da compaixão. Esquecem que a civilidade deveria incluir segurança sanitária para nossas crianças, pelo menos.

No interior, cães errantes andam pelos campos, alimentando-se de pequenos roedores e de ovos de quero-quero, fazendo o que seria considerado um crime ambiental, caso fossem humanos. De porte um pouco maior, matam ovelhas adultas e cordeiros às centenas. Atualmente, são um problema ainda maior que o abigeato em algumas regiões.

Javalis, que nada mais são que porcos domésticos cruzados com javalis importados por criadores uruguaios, também causam inúmeros problemas à produção e à fauna nativas. E sua caça é permitida por temporadas! Ora, é um animal exótico, violento, que prejudica tanto a criação e a agricultura, como a própria fauna e flora nativas! Seu extermínio, assim como dos cães errantes, é praticamente impossível, mas seu controle é fundamental para o Rio Grande.

Assim, quando alguém falar em controle da população canina e da população de javalis, pense um pouco antes de estabelecer sua posição. Com atitudes que pensam estar "salvando" um cão e mantendo-o nas ruas, você poderá estar condenando alguma criança a alguma doença grave. Poderá estar influenciando fortemente na sobrevivência de espécies nativas. Politicamente correto é uma droga!

9 comentários:

Moita disse...

Popa

Matou a pau.

Os "verdes" e defensores da fauna e flora são na grande maoiria histéricos.

Já vi uma rodovia ser interditada por dois meses pelos orgãos ambientais por conta de um ninho de ararajuba num oco de uma árvore morta que deveria ser retirada da linha da estrada.

Ararajuba é "pau" que mais tem no Brasil.

Esse pessoal haverá de entender que no ambiente tudo é importante, porém o mais importante, desparadamente, é o ser humano.

1 abraço

charlie disse...

Pedir para essa gente pensar é querer que a chuva caia para cima.

PoPa disse...

Soube ontem, pelo jornal local, que foi liberada a caça ao javali, sem cotas e sem prazo. Boa notícia, mesmo para alguém que, como o PoPa, abomine caçadas...

CINEMAN disse...

Vamos chamar o Obelix e o problema está resolvido.

Cachorro Louco disse...

PoPa ,como vai ?
Adoro cães ,sempre tive cães durante toda a minha vida .Mas penso que cão deve ser tratado ,vacinado e cuidado .Esses cães de rua são verdadeiros mendigos e as pessoas que dizem cuidar dêles são um bando de neuróticos desocupados ,pois não se preocupam na realidade com os animais ,mas sim com a criação de uma imagem de bondosos para sí .
Já os javalis tem uma carne muito boa que poderia satisfazer a necessidade de proteina das populações de baixa renda facilmente .Eu também não gosto de caçadas ,porém acredito que são necessários em situações como esta .
Abraços

Raphael disse...

Perfeito.

A propósito:

zefirosblog.wordpress.com/2009/05/13/o-bom-racismo

Anônimo disse...

Quem sabe não propões matar os mendigos também?

PoPa disse...

Caro anônimo, não podemos comparar pessoas com animais. Não entendi o propósito da tua observação, já que falamos de animais, não de pessoas.

charlie disse...

Parabéns ao anônimo pelo comentário idiota da semana.